• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-161807
Documento
Autor
Nome completo
Sylvia Elaine Marques de Farias
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2000
Orientador
Título em português
Estimativa da evapotranspiração de áreas de floresta e pastagem na Amazônia pelo método de Priestley-Taylor
Palavras-chave em português
AMAZÔNIA
CALOR LATENTE
EVAPOTRANSPIRAÇÃO
FLORESTAS
PASTAGENS
Resumo em português
Foi estimado o calor latente pelo método de Priestley e Taylor (1972), segundo a proposição de Pereira e Villa Nova (1992), para o parâmetro a e comparado com o calor latente medido (método das correlações dos turbilhões), para cada sítio (floresta e pastagem) e época do experimento, no âmbito do projeto ABRACOS (1990-1994), nas escalas horárias e diárias. A localização dos sítios diferiram segundo a estação seca, extensão espacial das áreas de pastagem e a proximidade do oceano. Os sítios experimentais estão localizados na parte central (Manaus, AM), oriental (Marabá, PA) e sudoeste (Ji-Paraná, RO) da Amazônia, compreendendo cinco sítios do Projeto ABRACOS. Os sítios estão assim localizados: a) Área desmatada próxima a Manaus, Fazenda Dimona (2°19'S, 60°19'W; 80m); b) imediações de Marabá, Fazenda Boa Sorte (5°10'S, 48°45'W; 170m), e Reserva Vale do Rio Doce (5°45'S, 49°10'W; 150m); c) Ji-Paraná, RO, próximo ao limite sudoeste da floresta, Fazenda Nossa Senhora Aparecida (10°45'S, 62°22'W; 220m), e Reserva Jaru (10°5'S, 61°55'W; 120m). Os resultados obtidos apresentaram boas correlações entre o calor latente estimado (Priestley-Taylor) e o medido (Hydra). As melhores correlações foram obtidas para os sítios florestas, situação também observada para a correlação entre o parâmetro de Priestley-Taylor estimado (Pereira e Villa Nova) e o medido (Hydra). Na escala horária, na maioria dos casos, o calor latente estimado superestimou o calor latente medido. Na escala diária, se constatou que as melhores estimativas encontradas, tanto para o calor latente quanto para o parâmetro de Priestley-Taylor, foi observada para os dias em que foram encontrados os maiores fluxos de energia (radiação líquida e calor sensível). Foi verificado que o parâmetro de Priestley-Taylor é uma função do calor sensível
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
not available
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.