• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-161848
Documento
Autor
Nome completo
Luis Fernando Monteiro Tamassia
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2000
Orientador
Título em português
Produção, composição morfológica, químico-bromatológica e digestibilidade in vitro do capim de Rhodes (Chloris gayana Kunth.) em diferentes idades de crescimento
Palavras-chave em português
CAPIM DE RHODES
COMPOSIÇÃO QUÍMICA
CRESCIMENTO VEGETAL
DIGESTIBILIDADE IN VITRO
PRODUÇÃO
Resumo em português
O presente trabalho teve como objetivos avaliar a altura, número de inflorescências, a produção de matéria seca, a porcentagem de folhas, hastes e material morto, a relação folha:haste, os teores de matéria seca, cinzas, proteína bruta, FDN, FDA, lignina, celulose, hemicelulose, teores de macro e microelementos e de ácido cianídrico na parte aérea do capim de Rhodes em diferentes idades de crescimento. O experimento foi desenvolvido no Departamento de Produção Animal da USP/ESALQ. Foi adotado o delineamento experimental de blocos completos casualisados (4 blocos), tendo seis idades de crescimento (tratamentos) à cada 10 dias, sendo o primeiro corte 20 dias após o corte de rebaixamento. A produção de matéria seca aumentou deforma quadrática (P<0,05), com valores mínimos observados aos 20 dias (229,18 g m-2) e máximos aos 60 dias com 709,09 g m-2 para matéria seca. Pela equação de regressão, atingiu-se 711,68 g m-2 de matéria seca aos 78 dias de crescimento. A altura variou de forma quadrática (P<0,05) de 34,54 a 94,05 cm aos 20 e 70 dias de crescimento, respectivamente. As inflorescências aumentaram linearmente (P<0,05) com médias de 29,25 e 398,50 inflorescências aos 20 e 60 dias, respectivamente. A porcentagem de folhas decresceu quadraticamente (P<0,05) no período experimental apresentando 64,07 e 15,11% de folhas aos 20 e 60 dias, respectivamente. A porcentagem de hastes e material morto aumentaram quadraticamente e linearmente (P<0,05),respectivamente, sendo obtidos 31,77 e 69,36% de hastes aos 20 e 40 dias e 4,16 e 19,16% de material morto aos 20 e 70 dias, respectivamente. A relação folha:haste decresceu quadraticamente (P<0,05) de 20 a 60 dias com 2,12 e 0,22,respectivamente. O teor de matéria seca aumentou cubicamente (P<0,05) 129,7 e 339,5 g kg-1 aos 20 e 60 dias, respectivamente. A proteína bruta diminuiu de forma quadrática (P<0,05) entre 20 e 70 dias com valores de 133,6 a 40,8 g kg-1, respectivamente. A relação folha:haste decresceu quadraticamente (P<0,05) de 20 a 60 dias com 2,12 e 0,22, respectivamente. O teor de matéria seca aumentou cubicamente (P<0,05) 129,7 e 339,5 g kg-1 aos 20 e 60 dias, respectivamente. A proteína bruta diminuiu de forma quadrática (P<0,05) entre 20 e 70 dias com valores de 133,6 a 40,8 g kg-1, respectivamente. Os teores de FDA, FDN, celulose, hemicelulose aumentaram cubicamente (P<0,05) com valores mínimos de 336,9; 642,8; 306,9 e 305,8 g kg--1 aos 20 dias e máximos de 435,2; 774,4; 384,9 e 340,1 g kg-1 para 40 dias, respectivamente para FDA, FDN, celulose e aos 50 dias para hemicelulose. A lignina aumentou quadraticamente (P<0,05) entre 20 e 70 dias variando de 30,0 a 60,8 g kg-1, respectivamente. Os valores de DVIVMS foram maiores que da DVIVMO, e decresceram cúbica e quadraticamente, respectivamente. A variação encontrada foi de 734,9 a 472,1 g kg-1 e de 725,1 a 456,8 g kg-1 para DVIVMS e DVIVMO aos 20 e 70 dias, respectivamente. O Cu decresceu cubicamente (P<0,05) de 11,75 a 5,79 mg/kg-1 aos 20 e 70 dias, respectivamente. O Fe decresceu quadraticamente (P<0,05) de 327,60 a 140,04 mg kg-1 aos 20 e 40 dias, respectivamente. O Zn decresceu linearmente (P<0,05) entre 20 e 70 dias de 40,53 a 20,95 mg kg-1, respectivamente. Para o Mn não foram encontrados modelos de regressão polinomial significativos (P<0,05) que pudessem explicar o seu decréscimo com o tempo. Os valores de HCN encontrados variaram quadraticamente (P<0,05) com aumentos de 20 a 40 dias (0,56 a 1,51 mg kg-1), respectivamente e decréscimo a partir de então atingindo 0,58 mg kg-1aos 70 dias de crescimento. Conclui-se que o capim de Rhodes apresenta melhor valor nutritivo entre 30 e 40 dias de idade.
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
not available
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.