• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-160025
Documento
Autor
Nome completo
Fábio ÁAlvares de Oliveira
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1996
Orientador
Título em português
Desenvolvimento vegetativo e nodulação de plantas de soja em função de nitrogênio e fósforo aplicados na semeadura em condições controladas
Palavras-chave em português
DESENVOLVIMENTO
FÓSFORO
NITROGÊNIO
NODULAÇÃO
SEMEADURA
SOJA
Resumo em português
Hoje, a cultura tecnificada da soja (Glycine max (L.) Merril) é considerada auto-suficiente quanto à necessidade de N, dispensando assim, os gastos com a adubação mineral desse nutriente, que é inibidor da fixação simbiótica do N2.. Porém, o N-mineral, é necessário para o desenvolvimento inicial das plantas e, para o processo de associação simbiótica, apresentando até mesmo efeitos benéficos, quando em concentrações adequadas. Se a demanda por N na fase inicial da associação foi maior do que a quantidade disponível, a não adubação pode atrasar o processo de infecção e assim prejudicar também a fixação. O fósforo apresenta também grande relação com o desenvolvimento inicial das plantas, com o processo de estabelecimento da simbiose e com a fixação do N 2, uma vez que essas etapas exigem gastos de energia, disponível na forma de moléculas de ATP. Considerando esses aspectos, foi conduzido um experimento em casa-de-vegetação entre os meses de janeiro e março de 1996, para verificar a influência da aplicação de doses de N-mineral em três níveis de adubação fosfatada na semeadura, sobre a nodulação e o crescimento radicular e também da parte aérea de dois cultivares de soja inoculada, avaliados em dois estágios de crescimento das plantas. Utilizou-se para isso o delineamento experimental no sistema de fatorial em blocos casualizados, contendo 4 níveis de nitrogênio, sendo o nível 0, aquele onde não se aplicou o nutriente e três doses correspondentes a 5,7;11,4 e 17,1 mg kg-1 de N, 3 níveis de fósforo (15,2; 22,7 e 30,3 mg kg-1 de P2O5 e dois cultivares de soja,"IAC-8"e"IAC-14", com três repetições cada tratamento e duas épocas de avaliação, quatro e oito semanas após a emergência, necessitando-se portanto, o dobro de números de vasos do fatorial, num total de 144. Os vasos das duas avaliações contiveram quatro plantas cada e apresentaram volumes diferentes de um latossolo vermelho amarelo, textura média e baixa concentração em fósforo, corrigido para V=70%. Os cultivares IAC-8 e IAC-14 apresentaram crescimento diferenciado. O desenvolvimento inicial do cultivar IAC-8, assim como a sua nodulação, foram superiores aos do cv. IAC-14. No entanto, oito semanas após a emergência, esses cultivares não apresentaram diferenças quanto à massa de material seco das raízes e a diferença da massa de material seco da parte aérea dos dois cultivares foi reduzida mostrando um maior crescimento do cultivar IAC-14 nessa fase. A massa de material seco dos nódulos não variou significativamente, porém os cultivares apresentaram diferenças quanto à nodulação. O cultivar IAC-8 produziu uma maior quantidade de nódulos, contudo, os nódulos produzidos pelo cultivar IAC-14 apresentaram a massa de material seco médio por nódulo significativamente superior à do cultivar IAC-8. Quatro semanas após a emergência, aplicação de N acima de 5,7 mg kg-1 inibiu a nodulação. O N-mineral inibiu a formação dos nódulos e o desenvolvimento dos poucos formados, reduzindo a fixação inicial, que não foi compensada pela adubação. Desse modo, a quantidade de N disponível para as plantas diminuiu, reduzindo o desenvolvimento inicial das raízes e da parte aérea. O efeito do N-mineral sobre a nodulação não foi verificado oito semanas após a emergência, porém, as plantas adubadas com 5,7 e 11,4 mg kg-1 de N apresentaram tendência de formação de um maior número e massa de material seco dos nódulos que as plantas do tratamento no qual não se aplicou N-mineral na semeadura. O desenvolvimento vegetativo das plantas foi incrementado pela aplicação de N na semeadura, verificando-se respostas lineares significativas para o crescimento da parte aérea e das raízes. A aplicação de fósforo na semeadura aumentou a nodulação e o desenvolvimento da parte aérea e das raízes nas duas épocas avaliadas. O fósforo apresentou, ainda, tendência de redução da inibição da nodulação por N-mineral com a aplicação de 30,3 mg kg-1. O N aplicado diminuiu a nodulação inicial, porém, foi benéfico para as plantas, que apresentaram nodulação e crescimento vegetativo, no início do florescimento, equivalentes às plantas do tratamento no qual não se aplicou N e, nódulos mais jovens, que podem deslocar o período de maior eficiência da fixação, para uma época mais próxima do final do ciclo.
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
not available
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.