• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-160208
Documento
Autor
Nome completo
Fabiana Segatti Piedade
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2001
Orientador
Título em português
Distribuição da aflatoxina em frações de milho contaminado obtidas após separação granulométrica e visual
Palavras-chave em português
AFLATOXINAS
CONTAMINAÇÃO DE ALIMENTOS
GRANULOMETRIA
MILHO
Resumo em português
Estudos têm mostrado que a contaminação com aflatoxinas esta distribuída de forma extremamente heterogênea numa massa de grãos contaminada e que algumas frações especificas apresentam maior concentração. No Brasil, apesar da importância econômica e da possibilidade já demonstrada da contaminação com aflatoxinas no milho, não existem estudos da distribuição desta toxina em frações granulométricas, obtidas nos processos de pré-limpeza utilizados no Brasil e também, nas frações visualmente separáveis e consideradas no processo de classificação do milho. Assim, este trabalho teve como objetivo estudar a distribuição da contaminação, com aflatoxinas, em frações de milho, obtidas após peneiragem e separação visual de 30 amostras contaminadas. O procedimento de preparo das amostras para análise de aflatoxinas consistiu-se em passar cada amostra na peneira de crivos circulares de 4,5 mm de diâmetro obtendo-se uma fração ≥ 4,5 mm e outra < 4,5 mm. A fração < 4,5 mm foi moída e analisada. A fração ≥ 4,5 mm foi subdividida em duas: uma subamostra foi analisada e a outra passada por peneira de crivos circulares de 5,0 mm de diâmetro, sendo em seguida separada em grãos sadios (correspondendo a grãos regulares) e grãos não sadios (correspondendo a grãos ardidos, avariados, brotados, carunchados, chochos e quebrados), conforme a classificação oficial brasileira. Os resultados mostraram que embora a concentração com aflatoxinas nas frações granulométricas tenha sido estaticamente maior em media para a fração < 4,5mm, a fração ≥ 4,5mm apresentou para amostras especificas níveis de concentração mais elevados. Entretanto, se for considerado o peso e a concentração com aflatoxinas de cada fração, a contribuição da fração ≥ 4,5mm para a concentração estimada nas amostras seria sempre maior em comparação a fração < 4,5 mm. Foram encontrados índices de correlação entre as percentagens dos grupos de defeitos definidos pela Classificação Oficial: a) grãos ardidos, queimados e brotados e b) grãos avariados, significativos com relação aos níveis de contaminação estimados para as frações granulométricas. Entretanto, outros estudos em nosso laboratório, ainda não publicados, não mostraram correlação significativa entre estes parâmetros. Portanto o uso dos índices de classificação para estimativa do nível de contaminação com aflatoxinas deve ser melhor estudado. A distribuição da contaminação observada nas frações separadas visualmente mostrou que a contaminação dos grãos não sadios foi estatisticamente maior que dos grãos sadios e em nenhuma amostra os grãos sadios apresentaram maior contaminação que os grãos não sadios. Os níveis de contaminação dos grãos sadios foram menores de 20 μ g/kg, máximo nível permitido pela Legislação no Brasil (Brasil, 1996) em 87% das amostras. Todas as frações de grãos sadios apresentaram contaminação maior que este nível. Considerando o peso e a concentração com aflatoxinas de cada fração, a contribuição dos grãos sadios para a concentração estimada seria sempre maior e a retirada dos grãos não sadios contribuiria para reduzir os níveis de contaminação das amostras. Foram encontrados índices de correlação entre a s percentagens dos grupos de defeitos pela Classificação Oficial; a) grãos ardidos, queimados e brotados e b) grãos avariados, significativos com relação aos níveis de contaminação estimados para as frações de grãos sadios e não sadios. Entretanto, outros estudos em nosso laboratório, ainda não publicados, não mostraram correlação significativa entre estes parâmetros. Portanto o uso dos índices de classificação para estimativa do nível de contaminação com aflatoxinas deve ser melhor estudado
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
not available
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.