• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-160302
Documento
Autor
Nome completo
Joao Justi Junior
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1993
Orientador
Título em português
Desenvolvimento de uma dieta artificial e técnicas de criação de Helicoverpa zea (Boddie, 1850) em laboratório
Palavras-chave em português
CRIAÇÃO MASSAL
DIETA ARTIFICIAL
LAGARTA-DA-ESPIGA-DO-MILHO
Resumo em português
A pesquisa teve por objetivo o desenvolvimento de uma dieta artificial que permita a manutenção continua de H. zea em laboratório, visando estudos com Trichogramma pretiosum Riley, 1879. Paralelamente, furam conduzidos estudos básicos, incluindo o efeito do fotoperíodo sobre as formas imaturas, efeito do alimento e do sincronismo de emergência na fertilidade, bem como alterações ocorridas nos órgãos genitais de H. zea. Foram comparadas seis dietas artificiais: A (à base de feijão, levedura de cerveja e germe de trigo); B (à base de farinha de milho, leite, farinha de soja e levedura de cerveja); C (à base de farinha de milho, germe de trigo e levedura de cerveja); D (à base de feijão e levedura de cerveja); E (à base de germe de trigo e caseína); F (à base de germe de trigo, caseína e celulose). Baseando-se nas características biológicas, especialmente duração do período larva-adulto, viabilidade do período, peso de pupas e número de instares, foram selecionadas as dietas"A"e"B"como as mais adequadas à criação do inseto. Normalmente o inseto apresentou seis instares; o aumento para sete instares é uma indicação de inadequação nutricional. Para criação em laboratório, devem ser utilizados fotoperíodos de 14 : 10, evitando-se a escotofase de 24 horas, que alonga a duração das fases imaturas da lagarta da espiga. Não houve necessidade de se colocarem machos e fêmeas de mesma idade para a obtenção de ovos em laboratório. Solução de mel a 10% foi suficiente para a manutenção de alta capacidade de postura e longevidade de H. zea. Fontes suplementares de sais minerais e proteínas foram dispensáveis a este inseto. Ocorreram anomalias nas genitálias de machos e fêmeas de H. zea, alterações estas que dificultaram o acoplamento das estruturas por ocasião da cópula. Tais anomalias em insetos provenientes da dieta artificial ou do campo, supõem-se que sejam de natureza nutricional ou genética.
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
not available
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
JustiJuniorJoao.pdf (3.63 Mbytes)
Data de Publicação
2018-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.