• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Thèse de Doctorat
DOI
10.11606/T.10.2013.tde-20022014-112402
Document
Auteur
Nom complet
Milton Maturana Filho
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
Pirassununga, 2013
Directeur
Jury
Madureira, Ed Hoffmann (Président)
Binelli, Mario
Birgel Junior, Eduardo Harry
Celeghini, Eneiva Carla Carvalho
Sá Filho, Manoel Francisco de
Titre en portugais
Efeitos das condições metabólicas de vacas leiteiras durante o período de transição e início de lactação sobre a saúde e fertilidade no inverno e no verão
Mots-clés en portugais
Afecções puerperais
Desempenho reprodutivo
Metabólitos
Periodo de transição
Vacas leiteiras
Resumé en portugais
O presente estudo teve como objetivo verificar as associações entre variáveis plasmáticas ligadas ao metabolismo energético, com outras ligadas ao metabolismo protéico, hepático e renal, em vacas leiteiras durante o período de transição, como também durante o início de lactação no inverno e no verão, de modo que algumas destas variáveis possa ser utilizadas como preditoras da saúde e da fertilidade em vacas leiteiras nos três primeiros serviços. O experimento foi realizado em uma granja leiteira Comercial (Fazenda Colorado, município de Araras SP) com 245 vacas leiteiras, multíparas da raça Holandesa. Os animais foram distribuídos, de forma retrospectiva, de acordo com a produção média durante o pico de lactação (45,9 Kg/ leite/ dia). Posteriormente, as vacas foram alocadas dentro dos grupos experimentais (Alta Produção (AP), ≥ 45,9 até 65 kg/leite no Pico de lactação; média Produção (MP), entre 30 e 45,8 kg/leite no Pico de lactação). As vacas eram alocadas para o galpão a partir de 35 dias da data de parto prevista, para adaptação prévia de 15 dias antes do período de avaliação e também na eventualidade de algum parto ser antecipado. As dietas foram formuladas de acordo com o NRC (2001). As coletas de amostra de sangue e as avaliações foram realizadas durante o período de transição e durante os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo. As variações nos teores de globulinas (GLOB) durante o período de transição foram mais evidentes e significativas nas vacas que desenvolveram metrite, como também nas vacas que não ficaram prenhez após três serviços. Aumentos das concentrações da enzima creatina quinase (CK), foram observados para todos os grupos experimentais durante o pico de lactação. Ainda em relação as variações das enzimas medidas, as vacas do grupo de alta produção de ambos os períodos (API e APV), tiveram valores de Superóxido dismutase (SOD) mais elevados do que as vacas de média produção (MPI e MPV), sendo essas mudanças significativas a para as vacas do grupo AP a partir de 7 dias antes do parto, se mantendo mais elevada até os 104 dias de lactação. Foram observados maiores teores de glicose entre as vacas prenhes no primeiro serviço (menores teores) e aquelas vazias depois da terceira inseminação. As diferenças no perfil lipídico, foram observadas tanto no modelo animal de grupo de produção, como também no modelo animal baseado na prenhez para a maioria das variáveis avaliadas, destacando principalmente as mudanças nos teores de AGNE. Para esta variável, houve de grupo de produção (P <0,001), dia (P <0,001) e interações entre dia x estação (P<0,001) e entre grupo x dia x estação do ano (P=0,009). Nas analises baseadas no modelo de prenhez, houve somente efeito de dias (P<0,001) para as variações das concentrações de AGNE. As vacas APV tiveram valores mais elevados, bem como um padrão de variação de uréia diferente dos demais grupos até os 100 dias em lactação (DEL). De acordo com o modelo de prenhez, as vacas vazias do período de verão tiveram valores mais elevado de uréia, enquanto que no pico de lactação foram as do inverno. Não foi observada diferença na incidência de doenças entre as vacas de alta ou média produção leiteira, ou entre os períodos (P>0,05). Houve somente tendência para a incidência de retenção de placenta (P=0,09) e de metrite (P=0,07). Houve tendência para a antecipação do parto (P=0,1), peso da cria (P=0,07) e metrite no período de verão (P=0,08). Baseado no modelo de prenhez, foram observadas, diferenças significativas para as variáveis: antecipação do parto (P=0,03), auxilio parto (P=0,05), retenção de placenta (P=0,009), metrite (P=0,04) e tendências de efeito nas variáveis peso da cria (P=0,07), deslocamento de abomaso (P=0,06), cetose (P=0,08) e endometrite (P=0,08). Baixas concentrações de glicose (por volta de 45 mg/dL), aliadas a altas concentrações de AGNE (>0,4 mmol/L) no pré-parto, foram características das vacas que tiveram distocia, retenção de placenta e metrite, além disso, essas vacas tiveram uma pior taxa de prenhez no primeiro serviço. Os teores de AGNE (0,4 mmol/L) e BHBA (0,7 mmol/L) foram altamente correlacionados com a ocorrência de doenças uterinas. Foi verificado tanto nas vacas com cetose, como nas vacas com deslocamento de abomaso altos teores de AST (por volta de 128 U/L), no pré parto. No presente estudo, as variáveis: glicose, AGNE, são importantes preditoras da fertilidade, podendo ser mensuradas no D21 pós parto ou no dia da inseminação artificial (P<0,05). De acordo com os resultados obtidos, pode se concluir que a produção leiteira não foi um fator de risco para as vacas permanecerem vazias após os três primeiros serviços.
Titre en anglais
Effects of metabolic conditions of dairy cows during transition period and early lactation in winter and summer on health and fertility
Mots-clés en anglais
Dairy cows
Metabolites
Puerperal disorders
Reproductive performance
Transition period
Resumé en anglais
The present study aimed to examine the associations between plasma variables related to energy metabolism, with other related to the protein, hepatic and kidney metabolism in dairy cows during the transition period, and during early lactation in winter and summer. So these variables can be used as predictors of health and fertility for dairy cows in the first three services. The experiment was conducted on a dairy farm Commercial (Fazenda Colorado, Araras - SP) with 235 dairy cows, multiparous, Holstein. The animals were divided, retrospectively, according to the average production during peak lactation (45.9 kg / milk / day). Thereafter, the cows allocated within the experimental groups (High Production (AP), ≥ 45.9 to 65 kg / milk at peak lactation; Medium production (MP), between 30 and 45.8 kg / milk at peak lactation). The cows were allocated to the shed from 35 days from the date of delivery provided , prior to 15 days before the adaptation period of assessment and also in the event of any delivery be anticipated. Diets were formulated according to NRC (2001). Blood samples and evaluations ocurred during the transition period and during the protocols for artificial insemination. Variations in levels of globulins (GLOB) during the transition period were more evident and significant in cows that developed metrits, as well as in cows that were not pregnancy after three services. Increases in concentrations of the enzyme creatine kinase (CK) were observed for all experimental groups during peak lactation. Variations of the enzymes measures , the cows of the group of high production of both periods ( API and APV), had higher levels of superoxide dismutase (SOD) than cows of medium production (MPI and MPV), with these significant changes to the cows in the AP group from 7 days before calving and remained higher until 104 days of lactation. Higher glucose levels between pregnant cows at first service (lower levels) and those empty after the third insemination were observed. The differences in lipid profile were observed in both the animal model of group production, as well as in the animal model based on pregnancy rates for most variables, particularly highlighting the changes in the levels of NEFA. To this variable, there was a production group ( P < 0.001 ), day ( P < 0.001 ) and day x season interactions ( P < 0.001) and between group x day x season ( P = 0.009 ). In analyzes based on the model of pregnancy, affected only days (P < 0.001) for changes in NEFA concentrations. The APV cows had higher values, as well as a variation pattern of urea different from the other groups until 100 days in milk (DEL). According to the model of pregnancy, the pregnant cows of the summer had higher values of urea; while at the peak of lactation were the winter. No difference in the incidence of disease among the cows of high or average milk production, or between periods (P > 0.05). There was only trend in the incidence of retained placenta (P = 0.09) and metritis (P = 0.07). There was a tendency for earlier calving (P = 0.1), calf weight (P = 0.07) and metritis in the summer period (P = 0.08). Earlier calving ( P = 0.03 ) , dystocia ( P = 0.05 ), retained placenta ( P = 0.009 ), metritis ( P = 0,04) : Based on pregnancy model , significant differences were observed for the variables 04 ) and tendencies in effect creates weight (P = 0.07) , displaced abomasum (P = 0.06), ketosis (P = 0.08) and endometrits (P=0.08) variables. Low glucose concentrations (about 45 mg / dL), allied to high NEFA concentrations (> 0.4 mmol / L) before calving, and were characteristic of cows with dystocia, retained placenta and metritis in addition these cows had a poor pregnancy rate in the first service. The levels of NEFA (0.4 mmol / L) and BHBA (0.7 mmol / L) were highly correlated with the occurrence of uterine diseases. Was observed both in cows with ketosis, as in cows with abomasal displacement high levels of AST (around 128 U / L) pre calving. In this study, the variables: glucose, NEFA, are important predictors of fertility, can be measured in D21 postpartum or the day of insemination (P < 0.05). According to the results obtained, concluded that milk production was not a risk factor for cows remain empty after the first three services.
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Date de Publication
2014-03-06
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
Centro de Informática de São Carlos
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2020. Tous droits réservés.