• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.10.2006.tde-16042007-121022
Documento
Autor
Nome completo
Sueli Blanes Damy
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Higuchi, Maria de Lourdes (Presidente)
Gioso, Marco Antonio
Sambiase, Nadia Vieira
Sinhorini, Idercio Luiz
Tolosa, Erasmo Magalhaes Castro de
Título em português
Associação entre infecção experimental por Mycoplasma pneumoniae e/ou Chlamydophila (Chlamydia) pneumoniae e a intensidade das lesões ateroscleróticas da aorta, em camundongos C57BL/6 apoE KO, com ênfase na diferença entre os sexos
Palavras-chave em português
C.pneumoniae
M.pneumoniae
Aterosclerose
C57BL/6 apoE KO
Colesterol
Resumo em português
Os mecanismos pelos quais os agentes infecciosos, independentes ou não de meio ambiente permissivo, podem promover a aterogênese e as manifestações clínicas não estão completamente esclarecidos. Apesar das numerosas publicações demonstrando a presença de antígenos ou DNA de agentes infecciosos nas placas de ateroma, a questão se o agente infeccioso pode iniciar o processo aterosclerótico ou agravá-lo permanece sem resposta, possibilitando o aprofundamento das pesquisas neste assunto. Desta forma, este trabalho tem como objetivo estudar se a infecção experimental, por C.pneumoniae e/ou M.pneumoniae, em camundongos C57BL/6 apoE KO induziria ou afetaria a intensidade e a característica de vulnerabilidade da placa ateromatosa, de acordo com o sexo e/ou a dieta rica em colesterol. Métodos: um grupo de camundongos recebeu dieta enriquecida com 1% de colesterol (hiperlipidêmica), e o outro ração com formulação adequada para espécie (normolipidêmica), desde os dois meses de idade. Aos 8 meses de idade foram subdivididos, inoculados com 106 UFI de C.pneumoniae e/ou 106 UFC de M.pneumoniae, por via intraperitoneal, reinoculados um mês após e sacrificados aos 10 meses de idade. Para análise histopatológica secções transversais das aortas torácicas foram processadas para emblocamento em parafina, cortadas com 5 µm de espessura e coradas pelas técnicas de hematoxilina-eosina e tricrômico de Masson. As medianas das variáveis: altura da placa, área da placa, área de gordura da placa, área da artéria, área da luz e porcentagem de obstrução da luz da artéria dos diferentes grupos foram submetidas ao teste de Mann Whitney, com o nível de rejeição de 5%. Resultados: a infecção por C.pneumoniae e/ou M.pneumoniae causou agravamento da aterosclerose tanto em camundongos C57BL/6 apoE KO machos quanto em fêmeas. No entanto, as fêmeas infectadas somente com M.pneumoniae evoluíram com placas mais instáveis, representadas por maior remodelamento positivo. A co-infecção por C.pneumoniae e M.pneumoniae induziu placas mais estáveis, ou seja, com menor conteúdo de gordura e sem remodelamento, tanto nos machos quanto nas fêmeas. A introdução de dieta rica em colesterol levou ao não desenvolvimento de remodelamento positivo do vaso nas fêmeas infectadas por M.pneumoniae, mas sim nas co-infectadas por C.pneumoniae e M.pneumoniae que apresentaram placas mais instáveis, por serem mais volumosas e com maior conteúdo de gordura. Nos machos houve desenvolvimento de placas mais gordurosas nos infectados por C.pneumoniae. Conclusão: A infecção por C.pneumoniae e/ou M.pneumoniae em camundongos C57BL/6 apoE KO levou ao desenvolvimento ou agravamento de placas de aterosclerose, com diferenças em relação a intensidade e padrões de vulnerabilidade de acordo com o sexo versus o tipo de agente infecciosos. Os subgrupos infectados de fêmeas apresentaram maior agravamento da aterosclerose do que os machos. A dieta rica em colesterol agravou a intensidade da aterosclerose e mudou os padrões de vulnerabilidade dos subgrupos infectados.
Título em inglês
Association between experimental infection by Mycoplasma pneumoniae and/or Chlamydophila (Chlamydia) pneumoniae and intensity of atherosclerotic lesions in the aorta of C57BL/6 apoE KO mice, with emphasis on the difference between sexes
Palavras-chave em inglês
C.pneumoniae
M.pneumoniae
Atherosclerosis
C57BL/6 apoE KO
Cholesterol
Resumo em inglês
Independent of the presence or not a favorable ambient, mechanisms by which infectious agents may boost atherogenesis and clinical aspects are not fully elucidated. In spite of many demonstrations of infeccious agent antigens or DNA, the question if the infection may iniciate or aggravate the atherosclerotic process remains unanswered, requiring further studies. Therefore, the present work studies if the experimental infection of C57BL/6 apoE KO mice by C. pneumoniae and/or M. pneumoniae induces or affects the intensity of atherosclerosis and its characteristics of plaque vulnerability, with regard to the gender and/or the cholesterolrich diet. Methods: a group of mice was fed with 1% cholesterol-enriched diet (hyperlipidemic), from two months of age; the other group received adequately formulated food for the species (normolipidemic). At eight months of age, the mice were subgrouped according to inoculation intra-peritoneally with 106 IFU of C. pneumoniae and/or 106 CFU of M. pneumoniae, and re-inoculation one month later. They were killed at ten months of age. Cross-sectional thoracic aorta fragments were studied in embedded in paraffin block sections stained Hematoxylin-eosin and Masson?s trichromic techniques. Differences in the median of the variables: plaque height, plaque area, area of fat plaque, luminal area and percent obstruction of the lumen searched using the Mann Whitney?s test, with a 5% level of rejection. Results: the infection by C. pneumoniae and/or M. pneumoniae worsened atherosclerosis in both males and females C57BL/6 apoE KO mice. However, the M. pneumoniae inoculated female group presented more unstable plaques represented by positive remodeling of the vessel. The co-infection by both bacteria induced more stable plaque represented by low fat content and absence of vessel remodeling, in both male and female mice. The introduction of cholesterol enriched diet led to lack of positive vessel remodeling in M.pneumoniae inoculated female group, but development of unstable plaques characterized by large plaque are with high content of fat, in co-infected ones. In male groups there was development of plaque with higher fat content in the subgroup inoculated with C.pneumoniae. Conclusion: Infection by M. pneumoniae and/or C. pneumoniae, in C57BL/6 apoE KO mice, led to development or aggravation of atherosclerotic plaques, with differences regarding intensity and pattern of vulnerability according to the gender versus type of infectious agents. The infected female groups presented more aggravation of atherosclerosis than male ones. Cholesterol enriched diet aggravated the intensity of atherosclerosis and changed the patterns of vulnerability of infected subgroups.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
SueliDamy.pdf (2.12 Mbytes)
siginifica que o arquivo pode ser somente acessado dentro da Universidade de São Paulo.
Data de Publicação
2007-04-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.