• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2010.tde-16022011-144335
Documento
Autor
Nome completo
Anna Maria Casagrande Sarmento
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Vasconcellos, Silvio Arruda (Presidente)
Azevedo, Sérgio Santos de
Brandão, Paulo Eduardo
Título em português
Emprego de estirpes de leptospiras isoladas no Brasil, na microtécnica de soroaglutinação microscópica aplicada ao diagnóstico da leptospirose em rebanhos bovinos de oito estados brasileiros
Palavras-chave em português
Bovinos (fêmeas)
Diagnóstico
Estirpes autóctones
Leptospirose
Soroaglutinação microscópica
Resumo em português
A leptospirose bovina é uma das principais doenças reprodutivas que interfere diretamente nos índices de produção e produtividade da pecuária brasileira e mundial e por isso necessita de um aprimoramento do diagnóstico laboratorial. O objetivo do presente trabalho foi investigar a conveniência do emprego de estirpes de leptospiras autóctones isoladas no Brasil, na coleção de antígenos da microtécnica de soroaglutinação microscópica (SAM) aplicada a leptospirose. A coleção de antígenos de referência foi constituída pelos sorovares: Australis, Bratislava, Autumnalis, Butembo, Castellonis, Bataviae, Canicola, Whitcombi, Cynopteri, Grippotyphosa, Hebdomadis, Copenhageni, Icterohaemorrhagiae, Javanica, Panama, Pomona, Pyrogenes, Hardjo, Wolffi, Shermani, Tarassovi, Patoc e Sentot. As dez estirpes isoladas no Brasil incluíram os sorovares: Bananal (duas estirpes), Brasiliensis, Canicola (três estirpes), Copenhageni, Guaricura e Pomona (duas estirpes). Foram amostradas por conveniência, 109 propriedades e 9820 bovinos, fêmeas em idade de procriar, distribuídos em 84 municípios, dos Estados de: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Dos 9820 animais examinados, 5806 (59,12%) foram reagentes na SAM para qualquer sorovar com a coleção de 23 sorovares de referência. Com a coleção de antígenos de referência e dez estirpes autóctones houve 6400 (65,17%) reagentes, a diferença observada foi significante (p= 0,001). O único Estado em que não houve diferença significante no número de animais reatores para qualquer sorovar foi o de Santa Catarina (p=0,522). Das 109 propriedades trabalhadas, 106 foram consideradas positivas com pelo menos um animal reagente na SAM. Não houve diferença no número de propriedades positivas segundo a coleção de antígenos empregada. Os sorovares mais prováveis identificados com a coleção de antígenos de referência foram Hardjo (43,03 %), Shermani (20 %), Wolffi (9,96%), Grippothyphosa (5,42%) e Pomona (4,28%). Com a coleção ampliada por dez estirpes isoladas no Brasil, os sorovares mais prováveis foram Hardjo (31,00%), Guaricura - M4/84 (22,50%), Shermani (15,43%), Wolffi (4,76%), Grippothyphosa (3,71%) e Autumnalis (3,24%). O sorovar Guaricura, estirpe M4/84, isolada de bovinos e búfalos no Estado de São Paulo, foi o primeiro colocado como sorovar mais provável no Estado de Mato Grosso, diferença significante do valor obtido para o sorovar Hardjo (p= 0,0001). No Mato Grosso do Sul a despeito do valor absoluto ter sido superior para o sorovar Guaricura, a diferença observada com o sorovar Hardjo foi destituída de significado estatístico (p=.0,753). Em São Paulo o Guraricura foi o segundo colocado e em Minas Gerais Goiás ocupou a terceira posição. Esta mesma estirpe foi a mais provável em 27 propriedades das 109 trabalhadas (24,77%). A introdução de estirpes autóctones na coleção de antígenos da SAM propiciou a confirmação do diagnóstico de leptospirose em 594 animais (6,00%) classificados como não reagentes pela coleção de referência (p=0,001)
Título em inglês
Use of strains of leptospires isolated in Brazil, for the microscopic agglutination test applied to the diagnosis of leptospirosis in bovine herds of eight Brazilian states
Palavras-chave em inglês
Autochthonous strains
Bovines (females)
Diagnosis
Leptospirosis
Microscopic agglutination
Test
Resumo em inglês
Bovine leptospirosis is one of the main reproductive diseases which interferes economically on the livestock and thus it is needed the amelioration of the laboratory diagnostic procedures. The aim of this work is to investigate the adequacy to use autochthonous strains of leptospires isolated in Brazil, added into the antigen collection applied for the microscopic agglutination test (MAT). The reference antigen collection was constituted by the following serovars: Australis, Bratislava, Autumnalis, Butembo, Castellonis, Bataviae, Canicola, Whitcombi, Cynopteri, Grippothyphosa, Hebdomadis, Copenhageni, Icterohaemorrhagiae, Javanica, Panama, Pomona, Pyrogenes, Hardjo, Wolffi, Shermani, Tarassovi, Patoc and Sentot. The ten strains isolated in Brazil included the serovars: Bananal (two strains), Brasiliensis, Canicola (three strains), Copenhageni, Guaricura and Pomona (two strains). By means of non-probability sampling, 109 farms and 9,820 bovines, females at reproductive age were chosen from the 84 municipalities of the states of Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo . Among the 9,820 examined animals, 5,806 (59.12%) were reactants to the MAT for any serovar using the 23 reference serovars. Using the collection of reference serovars and the ten autochthonous strains there were 6,400 (65.24%) reactants, and the difference found was significant (p=0.001). The only state with non-significant results in the number of reactants for any serovar was the State of Santa Catarina (p=0.522). Of the 109 properties analyzed, 106 were considered positive at least with one reactant animal by MAT. According to the antigens used, there was no significant difference among the properties. The most probable serovars identified by the collection of reference antigens were Hardjo (43.03%), Shermani (20.00%), Wolfi (9.96%), Grippothyphosa (5.42%) and Pomona (4.28%). With the collection amplified with the ten strains isolated in Brazil, the most probable serovars were Hardjo (31.00%), Guaricura M4/84 (22.50%), Shermani (15.43%), Wolffi (4.76%), Grippothyphosa (3.71%) and Autumnalis (3.24%). The serovar Guaricura, strain M4/84, isolated from bovines and buffaloes in the State of São Paulo, was ranked at the first place as the most probable serovar in the State of Mato Grosso and Mato Grosso do Sul, but the differences observed with the serovar Hardjo were significant only in Mato Grosso (p=0,0001). In São Paulo State, the Guaricura serovar was the second most probable and in the states of Minas Gerais and Goiás the third one. This same strain was the most probable in 27 properties among the 109 examined (24.77%). The addition of autochthonous strains into the MAT antigen collection provided the confirmation of the diagnosis of leptospirosis in 594 animals (6.00%) which have been classified as non-reactants by the reference collection
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-03-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.