• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.10.2006.tde-08022007-163356
Documento
Autor
Nome completo
Paulo Reis de Carvalho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Mendonça Júnior, Cássio Xavier de (Presidente)
Albuquerque, Ricardo de
Ferreira, Antônio José Piantino
Junqueira, Otto Mack
Menten, José Fernando Machado
Título em português
Influência da adição de fontes ricas em PUFAs n-3 na dieta de galinhas sobre a composição lipídica do ovo
Palavras-chave em português
Alga marinha
DHA
Óleo de peixe
Ovos de galinha
PUFAs n-3
Resumo em português
A presente pesquisa foi conduzida utilizando-se 288 galinhas poedeiras da linhagem Hisex White com 32 semanas de idade, pelo período de 10 semanas, com o objetivo de estudar o enriquecimento da gema do ovo em ácidos graxos a partir de rações suplementadas com óleo de peixe (OP) ou alga marinha (AM) em cinco níveis de DHA (120, 180, 240, 300 e 360 mg/100 g dieta). Foi aplicado modelo fatorial 2 x 5, inteiramente casualizado, com três repetições de oito aves por tratamento, de modo a constituir os grupos: OP120, OP180, OP240, OP300, OP360, AM120, AM180, AM240, AM300 e AM360. Um grupo controle submetido à ração basal de milho e soja (CON) e outro, acrescido de AM, contendo 420 mg de DHA/100 g dieta (AM420) foram também utilizados. Os seguintes parâmetros foram avaliados: postura, peso do ovo, consumo alimentar, conversão alimentar, qualidade externa e interna dos ovos e qualidade organoléptica dos mesmos. O peso médio do ovo assinalado para o grupo CON (63,30 g) decresceu linearmente de forma significativa (Y = - 0,0051X + 63,8560, R2 = 0,97) em resposta à suplementação de níveis crescentes de DHA da fonte OP, atingindo valor mínimo de 62,13 g no grupo OP360. O índice de postura das aves de 88,10% (CON) não foi influenciado pelas fontes de DHA na ração. A qualidade interna do ovo, avaliada em unidades Haugh, apresentou melhora significativa (P<0,05) com a adição de teores crescentes de AM igual ou superior a 1% na dieta das aves. Quanto aos teores de DHA na gema do ovo de aves suplementadas com OP, foi observado aumento significativo de 22,64 mg/ gema (CON), para 187,91 mg/ gema no grupo OP360. Os PUFAs n-3 apresentaram acréscimo significativo no contraste entre CON (62,16 mg/gema) e OP360 (218,62 mg/gema). Para a fonte AM, as médias de DHA também mostraram linearidade (Y = 0,23X + 1,27, R2 = 0,86), oscilando entre 22,64 mg/gema (CON) e 149,75 mg/gema (AM420), enquanto que o total de PUFAs n-3 oscilou de 104,18 mg/gema (AM120) a 175,32 mg/gema (AM420). O inverso ocorreu com os ácidos araquidônico, linoléico e PUFAs n-6 que mostraram decréscimos significativos (P<0,05) com o aumento de OP na dieta, variando, respectivamente, de 98,71 mg, 987,70 mg e 1108,92 mg/ gema na dieta CON a 38,87 mg, 734,22 mg e 802,79 mg/ gema, para o grupo OP360. O percentual de incorporação de DHA na gema dos ovos decresceu linearmente com o aumento dos níveis de DHA na ração suplementada com OP e AM, de 85,11% (OP120) e 65,28% (AM120) para 49,45% (OP360) e 34,06% (AM420). Melhora significativa (P<0,05) foi consignada na relação n-6/n-3, variando de 17,50 no grupo CON para 3,72 e 6,36 para tratamentos OP360 e AM420, respectivamente. A avaliação sensorial não detectou qualquer sabor ou odor estranho nos ovos dos diferentes tratamentos ou fontes utilizados, exceto para a análise qualitativa do grupo OP360 onde foi detectado grau de intensidade regular de sabor de peixe, diferindo significativamente (P<0,05) do grupo CON.
Título em inglês
Influence of the addition of PUFAs n-3 rich sources in laying hens diet on lipid composition of the egg
Palavras-chave em inglês
DHA
Fish oil
Hens' eggs
Marine algae
PUFAs n-3
Resumo em inglês
This experiment was conducted using two hundreds eighty eight 32-wk-old Hisex White laying hens for a period of ten weeks, with the objective of studying the fatty acid enrichment of the egg yolk of hens fed diets supplemented with fish oil (OP) or marine algae (AM) to provide five levels of DHA (120, 180, 240, 300 and 360 mg/100 g diet) for each source. A 2 X 5 completely randomized factorial design with three replicates of eight birds per treatment was applied in order to have the following groups: OP120, OP180, OP240, OP300, OP360, AM120, AM180, AM240, AM300 and AM360. A control group submitted to a corn/soy basal diet (CON) and another one supplemented with AM at the level of 420 mg of DHA/100 g diet (AM420) were also used. Egg production, egg weight, feed intake, feed conversion, external and internal egg quality and the organoleptic quality of the eggs were evaluated. The egg weight mean obtained for group CON (63.30 g), decreased linearly (Y = - 0.0051X + 63.8560, R2 = 0.97) as the supplemented DHA levels from the OP source increased, reaching the lowest egg weight mean of 62.13 g for the group OP360. The egg production of the control group hens (88.10%) was not influenced by the source of DHA. The internal quality of the egg evaluated by Haugh units presented significant improvement (P<0.05) with the increase of the AM source to 1% or more. The amounts of DHA into the egg yolk in birds fed OP diets, were significantly increased from 22.64 mg/egg yolk (CON), to 187.91 mg/egg yolk (OP360). The egg yolk PUFAs n-3 of the control group (62.16g) increased significantly as compared to the OP360 group (218.62 mg/yolk). The AM source showed DHA means also linear (Y = 0.23X + 1.27, R2 = 0.86), ranging from 22.64 mg/yolk (CON) to 149.75 mg/yolk (AM420), while the PUFAs n-3 ranged from 104.18 mg/yolk (AM120) to 175.32 mg/yolk (AM420). The araquidonic acid, linoleic acid and PUFAs n-6 showed significant decrease (P<0.05) with the increase of OP into the diet, ranging from 98.71 mg, 987.70 mg and 1108.92 mg/egg yolk for the CON group to 38.87 mg, 734.22 mg and 802.79 mg/egg yolk, for the OP360 group. The percentage of DHA incorporation into the egg yolk decreased linearly as the DHA levels increased into the diet. Thus, for the OP and AM sources, mean values of 85.11% (OP120) and 65.28% (AM120) decreased to 49.45% (OP360) and 34.06% (AM420). Significant improvement (P<0.05) was found in the ratio n-6/n-3, ranging from17.50 (CON) to 3.72 (OP320) and 6.36 (AM420). The sensorial evaluation of eggs did not detect any different flavor or odor in eggs among treatments or sources, except for the qualitative analysis of group OP360 which showed fish flavor, significantly different (P<0.05) from the control group.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PauloReisdeCarvalho.pdf (954.72 Kbytes)
Data de Liberação
2019-04-13
Data de Publicação
2007-05-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.