• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2016.tde-07102016-105521
Documento
Autor
Nome completo
Bruno Ferrante
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Pinto, Ana Carolina Brandão de Campos Fonseca (Presidente)
Ferreira, Márcio Poletto
Souza, Alexandre Navarro Alves de
Título em português
Avaliação morfológica e morfométrica da articulação coxofemoral do buldogue inglês
Palavras-chave em português
Ângulo de Norberg
Displasia coxofemoral
Escore de subluxação dorsolateral
Radiologia
Tomografia computadorizada
Resumo em português
A displasia coxofemoral é a afecção ortopédica mais frequente na espécie canina e, pela estatística apresentada pela Orthopaedic Foundation for Animals o buldogue inglês é a raça com maior acometimento proporcionalmente. Entretanto carece em literatura dados sobre o desenvolvimento e morbidade desta doença na raça. O objetivo desse estudo foi avaliar a morfologia e morfometria da articulação coxofemoral de cães da raça buldogue inglês por meio de exame radiográfico e por tomografia computadorizada comparando-os com achados da avaliação ortopédica e cinética. A hipótese proposta é de que buldogues podem apresentar alterações radiográficas compatíveis com a displasia coxofemoral sem apresentar manifestações clínicas da doença. De cada articulação avaliada foram adquiridos dados por meio de exame ortopédico, avaliação cinética, radiográfica e por tomografia computadorizada. Foram feitas avaliação subjetiva das alterações morfológicas radiográficas e aferição do ângulo de Norberg, ângulo de inclinação do colo femoral e o escore de subluxação dorsolateral. Os dados obtidos foram correlacionados por meio dos coeficiêntes de Spearman. Trinta cães foram avaliados, 20 machos e 10 fêmeas. As médias de idade e peso dos participantes do estudo foram de 3,5 anos e 26,1 kg respectivamente. 76,6% dos animais apresentaram escore de condição corporal acima do considerado ideal e 63,3% viviam em ambiente de piso liso. Entretanto esses fatores de risco avaliados não apresentaram correlação com nenhuma alteração pesquisada. 63,3% dos cães apresentaram alterações nas articulações dos joelhos e 40% nas articulações coxofemorais pela avaliação ortopédica. Pela palpação da articulação coxofemoral foram observadas alterações em 50% dos animais, sendo a crepitação leve representando 86,6% das alterações, e crepitação de grau moderado e discreta manifestação de dor em 13,3%. A frequência de alterações morfológicas radiográficas observada foi de 98,3% para subluxação coxofemoral, 81,6% para o achatamento da cabeça do fêmur, 70% para presença de osteófitos ou entesófitos periarticulares e 61,1% para o arrasamento acetabular. A conformação radiográfica da articulação coxofemoral mais frequente foi de cabeça femoral com formato discretamente elíptico e discretamente subluxada, bordas acetabulares craniolateral arredondada e dorsal encurtada com discreta presença de osteófitos. A média das mensurações morfológicas obtidas no estudo foram abaixo dos valores considerado de normalidade, sendo de 94,94° para o ângulo de Norberg, 27,13% para o escore de subluxação dorsolateral e 128,53° para o ângulo de inclinação do colo femoral. A presença de osteófitos periarticulares obteve correlação estatística com presença de crepitação à palpação da coxofemoral, assim como o arrasamento acetabular com a presença de dor ao exame ortopédico. Entretanto as manifestações clínicas não coincidiram proporcionalmente às alterações observadas pelos métodos de diagnóstico por imagem. É questionado se a conformação muscular da raça pode contribuir para contrabalancear a instabilidade articular apresentada pelos métodos avaliados
Título em inglês
Morphological and morphometric evaluation of hip joint from English Bulldog
Palavras-chave em inglês
Computed tomography
Dorsolateral subluxation score
Hip dysplasia
Norberg ângle
Radiography
Resumo em inglês
Hip dysplasia is the most common orthopedic disorder in dogs, and the statistics presented by the Orthopedic Foundation for Animals English Bulldog is the race with most animals affected proportionately. However it lacks in literature data of the development and morbidity of this disease in the race. The aim of this study was to evaluate the morphology and morphometry of the hip joint of English Bulldogs through radiographic examination and computed tomography comparing them with findings from orthopedic and kinetic evaluation. The hypothesis proposed is that Bulldogs may have radiographic changes compatible with hip dysplasia without showing clinical symptoms of the disease. From each joint evaluated were acquired data through orthopedic examination, and kinetics, radiographic and computed tomography evaluations. They were made subjective evaluation of radiographic morphological changes and measuring the Norberg angle, femoral neck inclination angle and the dorsolateral subluxation score. The data were correlated by the Spearman's rank. Thirty dogs were evaluated, 20 males and 10 females. The mean age and weight of the study participants was 3.5 years and 26.1 kg respectively. 76.6% of the animals had a body condition score considered above ideal and 63.3% lived in flat floor environment. However, these risk factors evaluated were not correlated with any changes searched. 63.3% of dogs showed changes in knee joints and 40% in hip joints by the orthopedic evaluation. Abnormalities were observed in 50% of animals by palpation of the hip joint, the slight crackle representing 86.6% of the changes, and moderate crackle and mild degree manifestation of pain in 13.3%. The frequency of morphological radiographic changes observed was 98.3% for hip subluxation, 81.6% for the femoral head flattening, 70% for the presence of periarticular osteophytes or entesophytes and 61.1% for the acetabular razing. The most common radiographic conformation of the hip joint was femoral head slightly elliptical shape and discreetly subdisluxated, rounded craniolateral acetabular edge and shrtened dorsal edge with discreet presence of osteophytes. The average morphological measurements obtained in the study were below the values considered normal, being 94.94° for the angle of Norberg, 27.13% for dorsolateral subluxation score and 128.53° for inclination angle of the femoral neck. The presence of periarticular osteophytes have statistical correlation with the presence of ckakle on palpation of the hip joint, as well as the acetabular razing with the presence of painful on orthopedic examination. However the clinical manifestations were not proportionaly coincidence with the changes observed by the diagnostic imaging methods. It questioned whether the muscle conformation of the race can help to counteract the instability joint presented by the evaluated methods
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Liberação
2018-10-07
Data de Publicação
2016-10-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.