• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.100.2020.tde-31102019-095344
Documento
Autor
Nome completo
Beatriz de Araujo Antonio
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Mochizuki, Luis (Presidente)
Celestino, Melissa Leandro
Ervilha, Ulysses Fernandes
Franciulli, Patrícia Martins
Título em português
Modos de coordenação da marcha em pessoas na fase crônica de acidente vascular cerebral
Palavras-chave em português
Acidente vascular cerebral
Cinemática da marcha
Codificação vetorial
Coordenação motora
Variabilidade
Resumo em português
O acidente vascular cerebral é um evento que compromete o sistema neurológico em diversas funções refletindo no desempenho motor. O déficit motor é resultado de uma série de anormalidades que modificam a coordenação. Este estudo verificou as estratégias de coordenação adotadas, bem como a interação coordenativa na marcha auto-selecionada em indivíduos pós-acidente vascular cerebral. A cinemática 3D dos segmentos inferiores foi analisada em 18 sujeitos na fase crônica. Os padrões e a variabilidade da coordenação foram comparados entre os membros parético e não parético utilizando a análise do vetor codificado. Um teste de contração voluntária isométrica balística máxima dos extensores do joelho parético foi feito e comparado a variabilidade das articulações. Esse estudo encontrou predominância do modo distal em todas as subfases de apoio e modo misto de coordenação na segunda metade do balanço, sugerindo assimetrias entre as subfases. A dominância do modo distal indicou restrição e limitações articulares dos segmentos proximais, sugerindo pouca sinergia e interação coordenativa. Encontramos correlação positiva entre o indicador de força e a variabilidade de coordenação, sugerindo que uma variabilidade diminuída do joelho estaria relacionada ao aumento de força dos extensores do joelho. Os resultados deste estudo contribuem para a compreensão dos mecanismos de coordenação motora adotados por pessoas pós-Acidente Vascular Cerebral durante a marcha auto-selecionada
Título em inglês
Coordination modes during gait of persons in the chronic phase of stroke
Palavras-chave em inglês
Gait kinematics
Motor coordination
Stroke
Variability
Vector coding
Resumo em inglês
Stroke compromises the neurological system and modifies motor performance. The motor deficit comes from abnormalities that modifies coordination. This study verified the coordination modes during self-selected speed gait in post-stroke individuals. The lower limbs 3D kinematics were compared within 18 individuals in stroke chronic phase. Coordination modes and variability were compared between the paretic and non-paretic limbs using the coded vector analysis. The parietal knee extensors maximal isometric voluntary contraction test was done and compared to joint variability. There was the distal mode predominance in all gait stance subphases and mixed coordination mode in the second half of the swing, suggesting asymmetries among the subphases. The distal mode dominance indicated proximal limb restriction and joint limitations, suggesting little synergy and coordinative interaction. There was a positive correlation between the strength and coordination variability, indicating a decreased knee variability would be related to the increased knee extensors strength. The results of this study contributed to the understanding of motor coordination mechanisms adopted by post-stroke persons during the self-selected speed gait
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
BeatrizCorrigida.pdf (2.27 Mbytes)
Data de Publicação
2020-02-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.