• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Baldam
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Carlos, 2019
Orientador
Banca examinadora
Moreira, Tomas Antonio (Presidente)
Alves, Manoel Antonio Lopes Rodrigues
Góes, Eda Maria
Monteiro, Evandro Ziggiatti
Título em português
Medo e segregação na cidade: sociabilidades em jogo em um contexto de enclaves fortificados
Palavras-chave em português
Condomínios fechados
Enclaves fortificados
Medo urbano
Região metropolitana de campinas
Sociabilidades
Resumo em português
Esta pesquisa parte do entendimento de dinâmicas de segregação e auto-segregação, que tomaram forma em grandes cidades brasileiras a partir da década de 70, conduzindo a uma prática de reprodução de enclaves fortificados, como colocado por Caldeira (2000). Em um movimento retroalimentado, a insegurança de viver na grande cidade recebe respostas arquitetônicas e urbanísticas: muros altos, cercas, sistemas de segurança, patrulhas privadas, guaritas, um estado de vigilância permanente, como disse Bauman (2014). A sociabilidade decorrente dessa dinâmica passa a ser pautada pela sensação de medo, intolerância e ameaça constante. Como este modo de organização da cidade altera as sociabilidades e a percepção do espaço urbano? Esta dinâmica gera um movimento de supervalorização da exclusividade, de negação de alteridades; contribui para a intolerância e para a construção de um mercado do medo, que vende a sensação de segurança (mesmo que esta não seja verdadeira) sob a forma de loteamentos fechados, e sistemas de segurança privados. Enquanto estratégia de campo, o trabalho se vale de levantamentos espaciais de loteamentos fechados, de modo a investigar como a arquitetura e morfologia desses espaços se relacionam com a estratégias de segurança; e levantamentos sociais qualitativos (baseados em entrevistas e questionários) com moradores desses loteamentos, localizados em cidades da Região Metropolitana de Campinas (Itatiba, Campinas, Valinhos e Vinhedo) sobre suas perspectivas acerca do medo urbano e dos seus modos de utilização dos espaços coletivos intramuros e dos espaços públicos extramuros. Esta pesquisa se preocupa principalmente em discutir como todo o aparato construído sobre o medo, e que resulta em vivências e espaços enraizados nesse afeto, se manifesta nas socializações cotidianas.
Título em inglês
Fear and segregation in the city: sociabilities at stake in a fortified enclaves context
Palavras-chave em inglês
Campinas metropolitan area
Closed communities
Fortified enclaves
Sociabilities
Urban fear
Resumo em inglês
This research starts from the understanding of segregation and auto-segregation dynamics, which took place in big brazillian cities since the 70s, conducting to a fortified enclaves reproduction practice, as put by Caldeira (2000). In a feedback movement, the insecurity of living in the big city receives architectural and urbanistic answers: high walls, fences, security systems, private guard teams, security cabins, a permanent surveillance state, as Bauman (2014) said. The consequential sociability of this dynamics begins to be ruled by the feeling of fear, intolerance and constant threat. How can this city organization way alter the sociabilities and the urban space perception? This dynamics generates a movement of exclusivity overvaluation, denial of otherness; contributes for intolerance and to the construction of a fear market, which sells the security feeling (even though it might not be real) under the form of closed allotments, gated communities and private security systems. As field research strategy, this work will be using spatial sudies of the gated communities, in order to investigate how these allotments architecture and morphology, relates to the security strategies; and qualitative social studies (based on interviews and questionnaires) with residents of closed communities located in cities inside the Campinas metropolitan area (Itatiba, Campinas, Valinhos and Vinhedo) about their perspectives on urban fear and their ways of using the collective spaces inside the community and public spaces outside them. This research discusses how the whole apparatus built on fear, which results in ways of living and spaces rooted in this affection, manifests itself in everyday socializations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.