• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-160021
Document
Author
Full name
Fábio Ricardo Marin
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
Piracicaba, 2000
Supervisor
Title in Portuguese
Evapotranspiração, transpiração e balanço de energia em pomar de lima ácida"Tahiti"
Keywords in Portuguese
BALANÇO DE ENERGIA
EVAPOTRANSPIRAÇÃO
LIMA-ÁCIDA-TAHITI
TRANSPIRAÇÃO
Abstract in Portuguese
experimento foi realizado na Área Experimental de Irrigação da Fazenda Areão, Departamento de Engenharia Rural, Escola Superior de Agricultura"Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo-USP, situada no município de Piracicaba, SP (lat:22°42'30'' S; long.: 47°30'00'' W; e altitude de 546 m) durante o ano 2000. O pomar era irrigado com um sistema de microaspersão e constituía-se de árvores com 8 anos de idades, altura média de 4,5m e espaçamento de 7m X 8m. Os principais objetivos do trabalho foram: a determinação da relação entre a evapotranspiração do pomar e a transpiração das árvores; a estimativa da transpiração máxima de árvores de lima ácida"Tahiti"pelo método de Penman-Monteith adaptado; e o estudo dos componentes do balanço de energia e sua relação com as variações climáticas sazonais e com as variáveis meteorológicas medidas no pomar. O método do balanço de calor foi utilizado para medida do fluxo diário de seiva em duas árvores representativas do pomar. Nelas foram feitas determinações de área foliar e de dimensões das copas durante os dois períodos de medida, sendo o primeiro entre janeiro e fevereiro (verão) e o segundo entre junho e julho de 2000 (inverno). Concomitante a essas medidas, fez-se também observações microclimáticas em perfil vertical (velocidade do vento, temperatura do bulbo seco e do bulbo úmido) objetivando estimar a evapotranspiração do pomar pelos métodos da razão de Bowen (MRB) e aerodinâmico (MA), bem como estudar o balanço de energia avaliando o fluxo de calor sensível (H) e o fluxo de calor latente (λE). Fez-se também algumas medidas porométricas que foram empregadas no modelo Penman-Monteith adaptado à árvores isoladas para estimativa da transpiração máxima das árvores, cujos resultados foram comparados com os dados de fluxo de seiva. O MA mostrou-se mais indicado para estimativas de evapotranspiração do pomar que o MRB, sendo que a limitação deste último esteve relacionada com as medidas de saldo de radiação à 7m de altura, que não representaram adequadamente a energia disponível para o processo de evapotranspiração do pomar. No período de verão, a razão entre os dados de fluxo de seiva e os obtidos com o MA foi igual a 0,58, indicando que o componente transpiração representa 58% da evapotranspiração. No período de inverno, essa relação foi igual a 0,91, variação essa atribuída ao estado de umidade da entrelinha. As comparações entre as estimativas feitas pelo modelo de Penman-Monteith adaptado e os dados de fluxo de seiva resultaram em superestimativas por parte do modelo da ordem de 9% no período de verão e de 55% no inverno, com elevada dispersão dos dados neste último. Esses resultados indicam ainda que os sub-modelos propostos neste trabalho e utilizados para a estimativa da resistência de cobertura e do saldo de radiação da copa mostraram-se eficientes para tal no período de verão. Para estimar-se a resistência aerodinâmica, foi empregado o modelo de Landsberg & Powell (1973). A razão entre os valores de λE com os de saldo de radiação medido sobre o pomar (Rn) variou de 0,82, no período de verão, para 0,69, no inverno, indicando que a variação do estado de umidade da entrelinha afeta a partição dos fluxos de energia do pomar. Além disso, verificou-se que hà relação entre os fluxos de energia do pomar, representados pelo valor da razão de Bowen determinado com o MRB, com os fluxos energéticos provenientes das árvores. Essa relação pôde ser avaliada com a determinação de uma"razão de Bowen das árvores", a partir dos dados de fluxo de seiva e do saldo de radiação da copa.
Title in English
not available
Abstract in English
not available
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
MarinFabioRicardo.pdf (4.43 Mbytes)
Publishing Date
2018-11-27
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2022. All rights reserved.