• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2008.tde-14082008-102702
Documento
Autor
Nome completo
Luís André da Costa Diz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2008
Orientador
Banca examinadora
Bacchi, Mirian Rumenos Piedade (Presidente)
Boteon, Margarete
Miranda, Silvia Helena Galvao de
Título em português
Competitividade internacional das exportações brasileiras de manga e de uva
Palavras-chave em português
Comércio exterior
Competição econômica
Exportação
Manga
Uva
Vantagem comparativa.
Resumo em português
Este trabalho tem como objetivo analisar a competitividade das exportações brasileiras de manga e de uva no mercado internacional no período de 1989 a 2005. Para tanto, utilizou-se o modelo de Constant Market Share (CMS) e o modelo de Vantagem Comparativa Revelada (VCR) para evidenciar os principais fatores responsáveis pela rápida expansão das exportações nacionais para esses dois produtos, além de realizar uma análise comparativa entre as duas culturas selecionadas. O primeiro modelo busca analisar as causas de variação da quantidade (ou valor) exportada de um produto pelo país em questão em relação ao tempo, gerando três dimensões explicativas para a variação das exportações: o efeito dimensão, o efeito distribuição e o efeito competitividade. O efeito dimensão mostra como o crescimento das exportações mundiais afetou o crescimento das exportações do país analisado. O efeito distribuição refere-se às exportações para países de maior ou menor dinamismo. Por resíduo, descontando-se os demais efeitos temos o termo competitividade.Para a geração dos resultados foi necessária a sub-divisão do período de análise em três grupos trienais: 1989/1990/1991, 1994/1995/1996 e 2003/2004/2005.O modelo de Vantagem Comparativa Revelada parte do pressuposto de que o país em questão tende a se especializar nas exportações de produtos que ofereçam vantagens competitivas. Para tanto, o indicador deve apresentar um valor superior a 1 para os produtos competitivos, evidenciando que a participação do produto em questão na pauta do país analisado é superior à participação do país no mercado global geral. Diferentemente do CMS, os indicadores de Vantagem Comparativa Revelada (VCR) nas exportações de um produto podem ser calculados com freqüência anual. O resultado do modelo de Constant Market Share para manga, referente ao primeiro sub-período de análise, mostra que o significativo aumento das exportações brasileiras de manga foi fortemente influenciado pelo crescimento do mercado mundial, seguido pelo efeito competitividade e destino das exportações. Para o segundo subperíodo, o efeito de maior significância foi a competitividade, seguido pelo efeito crescimento do mercado mundial e destino das exportações. Para a uva, o resultado referente ao primeiro sub-período de análise mostra que o significativo aumento das exportações brasileiras dessa fruta foi fortemente influenciado pelo efeito destino das exportações, seguido pelo efeito competitividade e crescimento do mercado mundial. Para o segundo sub-período, os resultados apontam a competitividade como principal fator responsável pelo aumento das exportações brasileiras, seguido pelo efeito crescimento do mercado mundial. O efeito destino das exportações apresentou valor negativo. Para o caso da manga, foram observados altos valores para o indicador de Vantagem Comparativa Revelada, especialmente para o período após 1993. Diferentemente dos resultados apresentados para a manga, as exportações de uva revelam vantagem comparativa apenas no final do período analisado (depois de 2002).
Título em inglês
International competitiveness of brazilian exports of mangoes and grapes
Palavras-chave em inglês
Competitiveness
Constant Market Share
Exports
Grapes
Mangoes
Revealed Comparative Advantage.
Resumo em inglês
This paper has the main purpose of analyzing competitiveness of Brazilian exports of mangoes and grapes in the international market between 1989 and 2005. Constant Market Share and Revealed Comparative Advantage were used to obtain the main factors that could explain the fast growth of Brazilian exports of the chosen fruits, doing a comparative analysis between these fruits. The first model tries to analyze the reasons of variation in the quantity (or value) of a product exported by the current country related to the time, generating three dimensions: the effect dimension, the effect distribution and the effect competitiveness. The effect dimension shows how the growth of the world exports affected the growth of the current country's exports. The effect distribution relates to exports to countries of bigger or smaller dynamism. As a result, discounting the other effects we have the term competitiveness. To generate the results it was necessary to have the sub-division of the analyzed period into three triennial groups: 1989/1990/1991, 1994/1995/1996 and 2003/2004/2005.The Revealed Comparative Advantage model considers that a country tends to specialize itself in exporting products that offer competitive advantages. Thus, the indicator must submit a value higher than 1 for competitive products, showing that the product participation in a country is superior to the country participation in the global market. Different from Constant Market Share (CMS), Revealed Comparative Advantage indicators of exports can be calculated with annual frequency. The Constant Market Share model result for mangoes, referring to the first sub-period analysis shows that the significant increase in Brazilian exports of mangoes was strongly influenced by the growth of the world market, followed by the competitiveness effect, and the destination of exports. For the second sub-period, the most significant effect was the competitiveness, followed by the growth of the world market and the destination of exports. Considering grapes, the result referring to the first sub-period analysis shows that the significant increase in Brazilian grapes exports was strongly influenced by the effect "exports destination", followed by the effect competitiveness and the world market's growth. For the second sub-period, the results indicate competitiveness as the main factor responsible for the increase of the Brazilian exports, followed by the growth of the world market. The effect "exports destination" showed a negative value. For the Revealed Comparative Advantage (RCA) model, the mango case results showed a high revealed comparative advantage, especially after 1993. The grapes´ results show a comparative advantage only at the end of the period, when, from 2002 on there was a trend of grape consolidation as a competitive product in the international market, though on a distant level from mangoes.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
erratadiz.PDF (256.28 Kbytes)
luisandre.pdf (492.82 Kbytes)
Data de Publicação
2008-08-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.