• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Doctoral Thesis
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2019.tde-20191220-140515
Document
Author
Full name
Jandir Francisco Frosi
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
Piracicaba, 1991
Supervisor
Title in Portuguese
Níveis de resistência a Exserohilum turcicum (Pass.) Leonard & Suggs em milho
Keywords in Portuguese
ANÁLISE MULTIVARIADA
FUNGOS FITOPATOGÊNICOS
MANCHA FOLIAR
MILHO
RESISTÊNCIA
Abstract in Portuguese
A queima das folhas do milho pipoca (Zea mays L.) causada por Exserohilum turcicum (Pass.) Leonard & Suggs (1974) é uma das principais doenças desta cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar, em condições de campo, o comportamento de diferentes níveis de resistência a E. turcicum em linhagens obtidas de um composto indígena de milho pipoca e analisar suas manifestações em gerações F1 e F2, quanto aos efeitos sobre a porcentagem de tecido foliar infectado, o número médio de lesões por folha e a evolução da área da lesão. O composto indígena foi sintetizado com mais de quarenta amostras de milho indígena coletadas em várias regiões da América do Sul e recombinado por oito gerações. As linhagens com diferentes níveis de resistência e de sucetibilidade foram obtidas por autofecundação de plantas selecionadas com base numa escala de diferentes tipos de reação denominados R1, R2, R3, R4, R5, Sc0, Sc1 e Sc2, representando uma variação continua de suscetibilidade ou de resistência dentro do composto indígena. Todos os cruzamentos possíveis, entre linhagens com três níveis de resistência e linhagens com dois níveis de suscetibilidade, foram efetuados, usando-se um esquema dialélico balanceado. As linhagens e a geração F1 foram avaliados para porcentagem de tecido foliar infectado , número médio de lesôes por planta e desenvolvimento das lesões. A geração F2 foi avaliada considerando-se somente a porcentagem de tecido foliar infectado logo após o florescimento. O número médio de lesões por plantas e a porcentagem média de tecido foliar infectado foram comparados pelo teste de Ryan-Einot-Gabriel-Welsh, enquanto que, para evolução das lesões, usou-se análise multivariada conforme ROY & POTTOF (1964). Os resultados para porcentagem de área foliar infectada revelaram diferenças marcantes entre os diferentes tratamentos demonstrando haver relação entre este parâmetro e os tipos de reações para resistência ou sucetibilidade das linhagens estudadas. A análise do desenvolvimento das lesões pela técnica de análise multivariada condorme ROY & POTTOF, 1964. Os resultados obtidos para a porcentagem de área foliar infectada revelaram diferenças marcantes entre os diferentes tratamentos, demonstrando haver relação entre este parâmetro e os tipos de reação para resistência ou suscetibilidade das linhagens estudadas neste trabalho. O número médio de lesões por folha, não se considerando o tipo de reação apresentada pelas plantas, tambem permitiu uma boa diferenciação entre genótipos. No entanto, é importante observar que seleções ou análises feitas com base somente neste parâmetro podem resultar na elimininação de materiais cujas médias para este parâmetro se situem em níveis intermediários, mas com reações do tipo resistentes a E. turcicum. A análise do desenvolvimento das lesões pela técnica de análise multivariada revelou-se como sendo uma boa opção no estudo da resistência a patógenos, pois além de discriminar níveis de resistência pode fornecer dados importantes quanto ao desenvolvimento do processo, tais como a quantidade inicial de tecido infectado e a aceleração verificada no desenvolvimento das lesões. O nível de resistência das gerações F1 e F2 situou-se, normalmente, entre os níveis de resistência daslinhagens parentais, revelando, no entanto, que variações neste comportamento dependem dos níveis de resistência e suscetibilidade apresentados pelas linhagens.
Title in English
Resistance levels to Exserohilum turcicum (Pass.) Leonard & Suggs on pop corn
Abstract in English
Leaf blight caused by Exserohilum turcicum (Pass.) Leonard & Suggs is on of the major diseases affecting pop corn. Inbred lines obtained from an indigenous compost, with different levels of resistance to E. turcicum, were obtained through selection for different reaction types representing continous variation from a high level of resistance to full susceptibility. Three resistant R1, R2 and R4and two suscetible, Sc0 and Sc2, inbred lines were crossed in all possible combinations, not including reciprocals. Inbred lines and F1 progenies were evaluated under field conditions for the percentage of infected foliar tissue, average number of lesions per plant and lesion development, while F2 progenies were assessed only for percentage of infected leaf area. Percentage of infected leaf tissue and lesion number on different materials were compared by the Ryan-Einot-Gabriel-Welsh test, while lesion development was analised by the multivariate analysis according analysis according to Roy and Pottof. Significant differences for the percentage of infected leaf area were detected among breeding lines and F1 and F2 progenies, indicating the existence of a relation between the percentage of infected leaf tissue and diferent reaction types to the pathogen lines. Significant differences among treatments were also observed for the average lession number per plant. However, no significant differences in the number of lesions per plant were observed between the susceptible line Sc0 and certain progenies resulting from crosses involving Sc0 and inbred lines with lower resistance levels. This indicates that lesion number considered alone may note discriminate between some intermediate levels of resistance, expressed in the form of clorotic-necrotic reactions, from lower susceptibilityy levels expressed by necrotic-lesions. Coeficients obtained for adjusted regression lines showed that the lesion development process occured differently for diferent diseases reactions types. Resistance levels of F1 and F2 progenies varied according to the levels of resistance and susceptibility of parental lines.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Publishing Date
2019-12-20
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2022. All rights reserved.