• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2019.tde-20191220-111804
Documento
Autor
Nome completo
Claudio José Barbedo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1997
Orientador
Título em português
Armazenamento de sementes de Inga uruguensis HOOK. & ARN.
Palavras-chave em português
ARMAZENAMENTO
INGÁ
SEMENTES
Resumo em português
Visando identificar condições que permitam o aumento do potencial de armazenamento de sementes de Inga uruguensis, foi conduzida uma pesquisa no Instituto de Botânica, São Paulo/SP, com frutos coletados de 12 árvores às margens do rio Oriçanga, Moji-Guaçu/SP (22°17’; 47°03’WG). Os frutos foram coletados em três épocas (27/12/95,09/01/96 e 23/01/96), constituindo os lotes. Em cada época foram obtidos frutos colhidos diretamente nas árvores e frutos apanhados no solo, separadamente, representando os sublotes. Os frutos foram levados ao laboratório sendo, então, abertos manualmente para a retirada das sementes. Amostras de sementes, dentro de cada lote e sublote, foram utilizadas para as avaliações iniciais de teor de água, conteúdo de matéria seca, porcentagem de germinação, condutividade elétrica da solução de imersão e dimensões das sementes. Os sublotes foram submetidos a dois ambientes de armazenamento (câmara fria ou ambiente natural de laboratório) com três substratos (bandejas, bandejas preenchidas por vermiculita umedecida com água destilada e bandejas preenchidas com vermiculita umedecidas com solução de ácido abscísico 104M), totalizando 6 condições de armazenamento durante 80 dias. As sementes mantidas em vermiculita no ambiente natural de laboratório germinaram antes de serem atingidos 20 dias de armazenamento e, por este motivo, foram excluídos das análises estatísticas. O trabalho, desta forma, constou de três experimentos, um para cada época de coleta, dentro dos quais foi estabelecido um esquema fatorial 2x4 (sublotes x ambientes de armazenamento), em delineamento inteiramente casualizado com 4 repetições. A cada 20 dias de armazenamento, foi avaliada a qualidade das sementes (teor de água, germinação e vigor). Os resultados obtidos permitiram concluir que sementes colhidas diretamente nas árvores e em momento próximo ao do ponto de maturidade fisiológica apresentaram 60% de germinação após 40 dias de armazenamento, desde que mantidas hidratadas e em câmara fria. Sementes de elevada qualidade, mantidas hidratadas e em câmara fria, Superaram 80 dias de armazenamento; por outro lado, as de baixa qualidade, nas mesmas condições, não atingiram 60 dias. A utilização do ácido abscísico em solução 10-4M, como regulador de conservação das sementes de elevada qualidade.
Título em inglês
Storage of lnga uruguensis HOOK. & ARN. seeds
Resumo em inglês
This research was carried was carried out the Instituto de Botânica, São Paulo/SP, in order to identify some conditions that allow increase the capability of storage of Inga uruguensis seeds. Fruits were collected from 12 trees in a bank of Oriçanga river, in Moji-Guaçu/SP (22°17’1S; 47°03’WG), at 12/27/95, 01/09/96 and 01/23/96. In each date, fruits were obtained directly from the trees or from the ground. So, they were brought the laboratory where they were opened handly and their seeds removed. The seeds were evaluated as for dimensions, water content, dry weight, germination and vigor. After, the seeds were submitted to different conditions of storage: cold chamber and laboratory environmental conditions. In each one it was done 3 kinds of treatments: tray, tray with vermiculite soaked with water or tray with vermiculite soaked with abscisic acid solution 10-4M. All seeds that were stored in wet vermiculite, in laboratory environmental conditions, germinated before to reach the first storage period. Every 20 days of storage, it was taken out samples of seeds from each treatment and then it was evaluated their quality (water content, germination and vigor). The results allowed to conclude that seeds harvest directly from the trees and close to their maturity, stored hidrated and in cold chamber, showed 60% of germination after 40 days. The seeds of high quality, stored hidrated in cold chamber, overcome 80 days of storage. In contrast, the seeds of low quality, in the same conditions, didn’t overcome 60 days. The abscisic acid solution. added as growth regulator, amplified the conservation capability of the high quality seeds.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.