• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2020.tde-20200111-125029
Documento
Autor
Nombre completo
Adriana Novais Martins
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Piracicaba, 2000
Director
Título en portugués
Avaliação de fatores hídricos e térmicos na produção de laranjeiras (Citrus sinensis L. Osbeck) ‘Valência’ e ‘Hamlin’
Palabras clave en portugués
DÉFICIT HÍDRICO
ESTRESSE TÉRMICO
FENOLOGIA
LARANJA HAMLIN
LARANJA VALÊNCIA
LIMÃO CRAVO
PORTA-ENXERTOS
PRODUÇÃO
Resumen en portugués
Foram avaliados fatores hídricos e térmicos na produção de laranjeiras, cultivares Valência e Hamlin, enxertadas sobre limão ‘Cravo’, levando em consideração diferentes combinações de fases fenológicas da cultura. Os dados meteorológicos, fenológicos e de 8 anos de produção, utilizados na parametrização dos modelos foram obtidos de pomar localizado em Matão (lat. 21° 35’ S; long. 48° 25’ W; alt. 551 m), Estado de São Paulo, Brasil. Os modelos foram validados com dados independentes de 6 anos produção do mesmo pomar de ‘Valência’ e ‘Hamlin’. No caso da cultivar Hamlin, os modelos foram também validados com dados independentes de 8 anos de produção pertencentes a pomar da Estação Experimental do Instituto Agronômico, em Pindorama (lat. 21° 13’ S; long. 48° 56’ W; alt. 560 m), com diferentes tipos de solo e produção potencial. Para estimar a produção (Y), foi utilizado o modelo de Jensen modificado, considerando a produção do ano anterior (Yaa) e a penalização da produção potencial (Yp) pelas relações entre evapotranspiração real e potencial (ER/EP), calculadas segundo balanço hídrico decendial, ajustadas com os coeficientes de sensibilidade (λ), de acordo com diferentes fases fenológicas. Considerando-se o conjunto de dados utilizados na validação, para os dois locais e cultivares, a melhor combinação fenológica resultou em uma boa correlação linear entre a produção real e a estimada. Os coeficientes de determinação (R2) e índices de concordância d, variaram de 0.81 a 0.84 e 0.81 a 0.95, respectivamente. Os valores dos índices de sensibilidade (λ) indicaram que o estádio de florescimento/início de frutificação foi o mais sensível ao estresse hídrico. Outro modelo utilizado foi uma modificação de Doorenbos & Kassan, onde a produção final é calculada como uma função aditiva da produção do ano anterior (Yaa) e das penalizações dos estresses causados por déficit hídrico, excedente hídrico e estresse térmico. Este modelo também apresentou bons resultados na validação, tanto para ‘Valência’ como para a ‘Hamlin’. Os coeficientes R2 e índice d foram equivalentes aos obtidos na validação do modelo anterior. Os valores dos coeficientes de resposta da cultura (ky) referentes aos fatores excedente hídrico e estresse térmico foram significativos na penalização da produção potencial. Os testes de validação utilizando-se dados independentes de produção de ‘Hamlin’, em Pindorama, resultaram em R2=0.92 e índice d = 0.93, estando, entretanto, em desacordo com a melhor combinação de fases fenológicas obtida na parametrização. O modelo de regressão múltipla linear foi testado para avaliar a influência da produção do ano anterior (Yaa) e do estresse hídrico (ER/EP) durante os estádios fenológicos críticos, sobre a produção final. Este modelo apresentou resultados satisfatórios para ‘Valência’, tanto na parametrização como na validação. De acordo com os resultados obtidos na validação, este modelo mostrou-se inadequado para previsão de produção para a cultivar Hamlin, independente do local de produção, evidenciando a limitação desse tipo de modelo para extrapolação de resultados. As principais fontes de erros podem ser atribuídas aos valores de produção potencial, às técnicas de cultivo e ao método de estimativa da evapotranspiração.
Título en inglés
Evaluation of moisture and thermal factors in valência and hamlin orange ( Citrus sinensis L. Osbeck) cultivars yield
Resumen en inglés
This study presents moisture and thermal indices for the orange crop using Valência and Hamlin cultivars, and taking into considerations water use, water surplus and thermal stress with different combinations of growth stages. The models were adjusted using meteorological data, crop phenology approach and 8 years of fruit production of orchards at Matão county, (lat. 21° 35’ S; long. 48° 25’ W; alt. 551 m), State of S. Paulo, Brazil. The models were validated using independent data of 6 years yield from the same Valencia and Hamlin orchards. For Hamlin cultivar the models were also tested using independent data of 8 years yield from plots at Experimental Station of Pindorama (lat. 21° 13’ S; long. 48° 56’ W; alt. 560 m), with different soil type and potential yield. To estimate the year yield (Y), it was used a modified Jensen model, considering the previous yield (Yaa), the penalization of crop yield potential (Yp) by ER/EP (actual/potential evapotranspiration) derived from ten days water balance and the sensitivity coefficient (λ) during dormancy, flowering and fruit setting stages. Considering the validation for two cultivars and two counties, the best combination resulted in a good linear relationship between actual and predicted yields. Both R2 and d-index values ranged from 0.81 to 0.84 and 0.81 to 0.95, respectively. The magnitude of the sensitivity coefficients (λ) indicates the crop stages flowering and beginning of fruit setting to be the most sensitive to water stress. Other yield estimate was made by adjusting and modifying the model of Doorenbos & Kassan, considering Y/Yp as an additive function of the previous year yield (Yaa) and the penalization by moisture and thermal factors weighted by crop stage yield responses (ky). This model also performed well the validation using independent local data for parametrization, both for Valencia and Hamlin cultivars. The coefficients R2 and d-index were equivalent to the previously tested model. The ky values for the water surplus and thermal factors were significant for the penalization of potential yield. The validation test using independent Hamlin yield data from Pindorama, resulted in R2 = 0.92 and d-index = 0.93, but is in disagreement with the best crop stage combination used in parametrization. A third model, multilinear regression, was applied in order to quantify the influence of the Yaa and the impact of water stress during the critical crop stages on final yield. This method explained well the influence of drought in the Valencia data used in the parametrization and in the local validation. Based on the results of the validation test this model was inadequate for prediction of Hamlin independent local yield or other type of extrapolation. The main sources of error are expected to be the potential yield values, lack of uniformity in the cultivation methods and evapotranspiration estimate.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2020-01-11
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2021. Todos los derechos reservados.