• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2019.tde-20191220-141835
Documento
Autor
Nome completo
Robinson Moresca de Andrade
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2007
Orientador
Título em português
Diversidade e biogeografia de bactérias da filosfera, casca e solo sob a projeção da copa de espécies arbóreas da mata Atlântica
Palavras-chave em português
BACTÉRIAS
BIODIVERSIDADE
CASCAS
FILOSFERA
FOLHAS
MATA ATLÂNTICA
SOLOS
Resumo em português
A diversidade e a biogeografia de bactérias nas superfícies da folha, casca e no solo sob a projeção da copa das árvores da Mata Atlântica são pouco conhecidas. Inúmeros fatores ambientais e mesmo a própria espécie vegetal podem influenciar na estrutura dessas comunidades. O objetivo deste trabalho foi determinar a variabilidade espacial das comunidades de bactérias associadas à filosfera, casca e solo sob a projeção da copa de diferentes espécies arbóreas da mata Atlântica no Parque Estadual “Carlos Botelho” (PECB), bem como estabelecer uma relação entre as estruturas das comunidades de bactérias e a filogenia das espécies vegetais. Para isso foi utilizado PCR-DGGE de amplicons da região V3 do gene rRNA 16S e sequenciamento de clones da região V1-V3 do gene rRNA 16S. A estrutura das comunidades de bactérias com base nos amplicons detectados após DGGE mostra que na filosfera, foi possível agrupar comunidades bacterianas específicas para cada espécie vegetal. Na casca ocorreu um agrupamento semelhante, no entanto para solo não ocorreu semelhança entre as espécies vegetais. A localização das plantas na floresta não influenciou a estrutura das comunidades de bactérias na filosfera e casca das plantas de mesma espécie, apresentando um certo grau de variabilidade, sendo essa variabilidade menor do que entre as diferentes espécies de plantas. A diversidade e riqueza de UTOs são maiores em solo, se comparado a filosfera e casca. A abundância de UTOs|demonstrou a ocorrência de grupos específicos para cada espécie vegetal, no entanto, na filosfera não ocorreram UTOs comuns entre as plantas, ao contrário do que ocorreu em casca e solo. Quando comparadas as UTOs entre os ambientes, observou-se que cada ambiente seleciona grupos específicos, sendo maior a presença de UTOs comuns entre a filosfera e a casca. Foram observados UTOs comuns entre os três ambientes. De maneira geral, pode-se concluir que a diversidade e estrutura das comunidades de Bacteria na filosfera, casca e solo podem ser determinadas pela planta
Título em inglês
Bacterial diversity and biogeography from Atlantic Forest trees phyllosphere, bark and soil under the canopy area
Resumo em inglês
Bacterial diversity and biogeography from Atlantic Forest trees phyllosphere, bark and soil under the canopy area are little known. Additionally, countless environmental factors and the plant species itself can influence the bacterial community structure. Therefore, the goals of this work were to determine the bacterial community variability associated to phyllosphere, bark and soil under canopy area of different tree species from Atlantic Forest in the “Parque Estadual Carlos Botelho” (PECB) as well as to set a relationship between the community structure and the plant species phylogeny. For this aim, PCR-DGGE of amplicons and clones sequencing of 16S V3 region rRNA gene were used. DGGE results showed that bacterial community structure was grouped by plant species in phyllosphere and bark, but not in the soil under canopy area. Same plant species from different points of the forest were assayed resulting in little variability among them and, consequently, without influence over the bacterial community structure in phyllosphere and bark. For that reason, divergences in phyllosphere and bark communities among plant species were higher than the divergences of the same species from different points at the forest. OTUs diversity and richness were greater in soil than in phyllosphere and bark. OTUs abundance showed the presence of specific groups in phyllosphere to each single plant species, instead of bark and soil communities that revealed the presence of some common OTUs by different plant species. Comparison amongst the OTUs from phyllosphere, bark and soil suggest a selection of structure related groups, although the presence of common groups, mainly between phyllosphere and bark. Conduding, the phyllosphere, bark and soil Bacteria community structure and diversity can be determined by the plant
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.