• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2020.tde-20200111-125329
Documento
Autor
Nome completo
João Menezes de Souza Neto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2004
Orientador
Título em português
Produtividade, morfologia, características físicas e valor nutritivo da forragem de capins Panicum spp.
Palavras-chave em português

PANICUM
FORRAGEM
MORFOLOGIA
PRODUTIVIDADE
VALOR NUTRITIVO
Resumo em português
O desempenho animal em pastagens depende do valor nutritivo da forragem e do consumo voluntário. O manejo visando alto consumo de forragem de alto valor nutritivo exige informações sobre as características morfológicas, físicas e químicas que podem influenciar a ingestão de forragem bem como auxiliar na melhoria do manejo e na eficiência de colheita da forragem acumulada. Este estudo foi conduzido no Departamento de Zootecnia da ESALQ/USP em Piracicaba, SP com o objetivo de caracterizar capins Panicum spp. gerando um banco de dados com informações agronômicas e de valor nutritivo destas forragens, além de características morfológicas, e físicas que possam direcionar a seleção e melhoramento dessas espécies bem como sua utilização em pastagens. Foram utilizados cinco capins Panicum spp. (Atlas, Massai, Mombaça, Tanzânia e Tobiatã) cortados a cada 28 (Atlas, Massai e Mombaça) ou 35 dias (Tanzânia e Tobiatã) no ‘verão’ (21 de setembro a 22 de março) e 49 (Atlas, Massai, e Mombaça) ou 63 dias (Tanzânia e Tobiatã) no ‘inverno’ (23 de março a 20 de setembro), a uma altura de 35 (Atlas, Mombaça, Tanzânia e Tobiatã) ou 15 cm (Massai). Acompanharam-se semanalmente duas rebrotações de ‘verão’ e, bi-semanalmente, uma rebrotação de ‘inverno’, caracterizando o acúmulo de forragem e dos componentes da forragem (folha, haste e material morto). A forragem foi caracterizada quanto à sua composição morfológica, características físicas e composição bromatológica. O capim Massai produziu 29 Mg MS ha-1 ano-1, seguido dos capins Mombaça, Tanzânia e Tobiatã que acumularam em média 20 Mg ha-1 ano-1 e Atlas (12 Mg ha-1 ano-1). Os capins apresentaram elevada participação de folhas na massa acumulada. A massa de hastes e material morto só aumentou a partir do 10º dia de crescimento, mas em pequena proporção em relação ao total de forragem em todos os capins (50 -100 g kg-1). As características físicas variaram quanto à efetividade em tipificar os materiais estudados. Resistência ao cisalhamento (RC), resistência à moagem (RM) e tamanho médio de partículas (TMP) foram efetivas para identificar diferenças entre os capins, diferentemente de densidade da forragem fresca (DFF) e densidade da forragem seca e moída (DFSM). A resistência ao cisalhamento correlacionou-se (P<0,05) com os teores de proteína bruta (PB, r = -0,47), hemicelulose (HEM, r = 0,40), fibra em detergente neutro (FDN, r = 0,40), matéria mineral (MM, r = 0,51), e com as digestibilidades da FDN (DFDN, r = 0,19) e da fibra em detergente ácido (DFDA, r = 0,23). O capim Atlas apresentou a maior digestibilidade in vitro da matéria orgânica (DIVMO) (700-730 g kg- 1), teor de PB (160 g kg-1) e os menores teores de FDN (680 g kg-1) enquanto Tanzânia apresentou a menor digestibilidade (665 g kg-1) e Massai menores teores de PB (135 g kg-1). Os capins estudados possuem grande proporção de folhas, de alto valor nutritivo e altamente contrastantes morfologicamente. O capim Massai foi o mais produtivo e o capim Atlas foi de maior valor nutritivo. Apenas RC, TMP e RM parecem ter sido eficientes para caracterizar fisicamente as forragens estudadas neste trabalho.
Título em inglês
Productivity, morphology, physical characterisctics, and forage nutritive value of Panicum spp. grasses
Resumo em inglês
Animal performance is dependent upon forage nutritive value and voluntary intake. Management directed to high levels of intake of nutritious forage requires information on plant part composition, and both physical and chemical characteristics of the forage on offer, so that quality and quantity of harvested forage can be improved. This study was conducted at the Departamento de Zootecnia, ESALQ-USP, in Piracicaba, SP, with the objective of generating data libraries on the agronomic and quality-related traits of new Panicum spp. grasses, for multiple applications including selection and breeding, as well as optimizing management practices under clipping and grazing. Five Panicum spp. cultivars were clipped every 28 (Atlas, Massai, and Mombaça) or 35 days (Tanzânia and Tobiatã) during the ‘summer’ (21 Sept. to 22 March), and 49 (Atlas, Massai, and Mombaça) or 63 days (Tanzânia and Tobiatã) during the ‘winter’ (23 March to 20 Sept.), at a 35 (Atlas, Mombaça, Tanzânia, and Tobiatã) or 15 cm (Massai) height. Two ‘summer’ regrowth were characterized by weekly observations and one ‘winter’ regrowth was monitored bi-weekly. On these occasions, accumulated forage was separated into its morphological components (leaf, stem, dead material) and each fraction was subjected to chemical composition, digestibility, and physical evaluations. Massai produced 29 Mg ha-1 yr-1 of forage dry matter (DM), followed by Mombaça, Tanzânia, and Tobiatã (mean = 20 Mg ha-1 yr-1) and Atlas (12 Mg ha-1 yr-1). All grasses yielded leafy forage and stem mass was only measurable (50 - 100 g kg-1) after the 10th day of regrowth. Physical characterization was not a consistently effective tool for describing these forages. Shear strength (SS), resistance to grinding (GR) and mean particle size (MPS) were useful physical descriptors, as opposed to fresh forage density (FFD) and dry ground forage density (DGFD). SS was correlated (P<0.05) to the forage concentrations of crude protein (CP, r = -0.47), hemicellulose (HEM, r = 0.40), neutral detergent fiber (NDF, r = 0.40), ash (ASH, r = 0.51), as wel as to NDF and acid detergent fiber (ADF) digestibilities (r = 0.19 and r = 0.23, respectively). Atlas forage had the highest in vitro organic matter digestibility (IVOMD, 700-730 g kg-1) and CP concentration (160 g kg-1), and lowest NDF concentration (680 g kg-1). Tanzânia forage had the lowest IVOMD (665 g kg-1) and CP concentration (135 g kg-1). All grasses studied yield forage with high proportion of leaves, with high nutritive value, but with contrasting morphological traits. Massai is the highest yielding entry, whereas Atlas gives the highest nutritive value. Only SS, MPS, and GR seem to be adequate for physical characterization of the Panicum grasses used in this study.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-01-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.