• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2008.tde-31032008-141938
Documento
Autor
Nome completo
Lucas Silveira Ferreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2007
Orientador
Banca examinadora
Bittar, Carla Maris Machado (Presidente)
Mattos, Wilson Roberto Soares
Rennó, Francisco Palma
Título em português
Inclusão de sais de ácidos orgânicos ou monensina sódica no concentrado inicial e seus efeitos no desenvolvimento ruminal e desempenho de bezerros leiteiros
Palavras-chave em português
Aditivos alimentares para animal
Alimentação animal
Bezerros
Desmama precoce
Nutrição animal.
Resumo em português
Dois experimentos foram conduzidos com o objetivo de avaliar o efeito da inclusão de butirato de sódio, monensina sódica ou propionato de cálcio no concentrado inicial, sobre o desempenho, parâmetros sanguíneos e desenvolvimento ruminal de bezerros leiteiros. No primeiro experimento, 24 bezerras recém-nascidas da raça Holandesa foram alojadas em abrigos individuais até a 10a semana de vida, com livre acesso à água, sendo alimentadas com 4 litros de leite/dia e concentrado ad libitum, enquanto feno de capim-coast-cross foi fornecido após o desaleitamento. Os animais foram distribuídos em blocos de acordo com peso ao nascer e data de nascimento e alocados em um dos tratamentos, de acordo com o aditivo no concentrado: 1)Butirato de sódio (0,15%); 2)Monensina sódica (30 ppm); e 3)Propionato de cálcio (0,15%). Os animais foram pesados e avaliados quanto à altura na cernelha, largura do traseiro e perímetro torácico semanalmente. A partir da 4a semana foram realizadas colheitas semanais de amostras de sangue para determinação de glicose, ácidos graxos livres (AGL) e ?-hidroxibutirato (BHBA). Não foram observadas diferenças significativas entre os tratamentos para o consumo de concentrado ou de feno e para o peso e ganho de peso dos animais (P>0,05). As avaliações quanto à altura na cernelha e perímetro torácico também não apresentaram diferenças entre os tratamentos (P>0,05), entretanto as medidas de largura de traseiro foram menores para os animais do tratamento com adição de propionato de cálcio (P<0,05). As concentrações plasmáticas de glicose, AGL e BHBA não foram afetadas pelos tratamentos (P>0,05). Houve efeito significativo da idade (P<0,0001) para a concentração plasmática de glicose, sendo esta reduzida com a idade dos animais. No segundo experimento, 15 bezerros recémnascidos da raça Holandesa, recebendo o mesmo manejo nutricional, foram fistulados no rúmen e alojados em baias individuais até a 10ª semana de vida. A partir da 4ª semana, foram realizadas colheitas semanais de fluído ruminal para determinação de pH, ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) e N-amoniacal; e de sangue para determinação de glicose. Ao completar dez semanas os animais foram abatidos para avaliação do desenvolvimento do trato digestório superior e de papilas ruminais. Não foram observadas diferenças significativas entre tratamentos para o consumo de concentrado e para o desempenho dos animais (P>0,05). Houve efeito significativo (P<0,05) de tratamento e horário de colheita para o pH ruminal. As concentrações de AGCC totais, bem como de cada ácido, não foram afetadas pelos tratamentos. As concentrações plasmáticas de glicose foram afetadas pelos tratamentos (P<0,05). O peso total do trato digestório superior, os pesos médios de cada compartimento e a capacidade máxima do retículo-rúmen não foram afetados pelos tratamentos, assim como os parâmetros de desenvolvimento do epitélio ruminal. Os aditivos incluídos no concentrado inicial se mostraram igualmente eficazes no que diz respeito aos seus efeitos no desempenho e desenvolvimento ruminal de bezerros em aleitamento.
Título em inglês
Inclusion of organic acids salts or sodium monensin in the starter feed and its effects on rumen development and performance of dairy calves
Palavras-chave em inglês
Calcium propionate
Early weaning
Ionophores
Ruminal papillae
Sodium butyrate
Sodium monensin.
Resumo em inglês
Two trials were conducted in order to evaluate the effects of the addition of sodium butyrate, sodium monensin or calcium propionate in the starter feed on the performance, blood parameters and ruminal development of dairy calves. In the first experiment, 24 newborn Holstein calves were housed in individual hutches during ten weeks of life, with free access to water, being fed 4 liters of milk per day and starter ad libitum, with coast-cross hay offered only after weaning. The animals were blocked according to weight and date of birth and allocated in one of the treatments, according to the additive included in the starter feed: 1) sodium butyrate (0.15%); 2) sodium monensin (30 ppm); and 3) calcium propionate (0.15%). Animals were weighed and evaluated for whiter height, hearth girth and hip width weekly. From the fourth week of age blood samples were taken for glucose, free fatty acids and ?-hydroxybutyrate concentration determination. No significant differences were observed among treatments for starter or hay intake, and weight gain or live weight (P>0.05). Measurements of whiter height and hearth girth were also not affected by treatments (P> 0.05); however, measures of hip width of the animals were smaller for treatment with addition of calcium propionate (P<0.05). Plasma concentrations of glucose, free fatty acids and ?-hydroxybutyrate were not affected by treatment (P>0.05). There was significant effect of age (P<0.0001) for the plasma concentration of glucose, with reduction as animals aged. In the second experiment, 15 male newborns Holstein calves, receiving the same nutritional management, were ruminally fistulated and housed in individual pens during ten weeks of life. From the fourth week of age ruminal samples were taken weekly for the determination of pH, short-chain fatty acids (SCFA) and ammonia-N concentration. Blood samples were also taken weekly for glucose determination. By completing ten weeks of age, animals were slaughtered for forestomach growth and papillae development evaluation. No significant differences were observed among treatments for starter intake as well as for animal performance (P>0.05). The ruminal pH was significantly affected (P<0.05) by treatments and by sampling time. Concentrations of total SCFA and individual SCFA were not affected by treatments (P<0.05). Plasma concentrations of glucose were affected by treatments (P<0.05). The total forestomach weight, the average weight of each compartment and the maximum capacity of reticulum-rumen were not affected by treatments, as well as the parameters for ruminal epithelium development. The additives included in the starter feed were equally effective as regard to its effects on animal performance and rumen development of milk-fed dairy calves.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
lucasferreira.pdf (848.56 Kbytes)
Data de Publicação
2008-04-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.