• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.11.2019.tde-20191220-123104
Documento
Autor
Nome completo
Hamilton Seron Pereira
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1999
Orientador
Título em português
Avaliação do xisto e escórias na nutrição e produção do tomateiro e em atributos químicos e biológicos do solo
Palavras-chave em português
ESCÓRIAS
MICROBIOLOGIA DO SOLO
NUTRIÇÃO VEGETAL
PRODUÇÃO
PROPRIEDADES QUÍMICAS DO SOLO
TOMATE
XISTO
Resumo em português
Na produção industrial há processos que geram resíduos, muitos destes podem ser reaproveitados, ao invés de serem depositados em locais que poderiam causar danos, contaminações ou alterações do meio em que são expostos. O xisto caracteriza-se de uma rocha essencialmente silto-argilosa da formação Iratí, com conteúdo apreciável de matéria orgânica, que sob aquecimento pode produzir óleo, gás e enxofre. Atualmente na unidade de exploração de xisto, após a retirada do óleo, gás e enxofre, este é descartado chegando a um montante de 6.000 Mg dia-1. Outro resíduo ainda muito pouco aproveitado são as escórias, com excelentes propriedades corretivas. No processo de obtenção do ferro gusa, 300 kg de escórias são produzidos por Mg de ferro obtido. Para avaliar o aproveitamento destes resíduos na agricultura, foram realizados dois experimentos com delineamento em blocos ao acaso cultivando-se tomate estaqueado em Podzólicos Vermelho-Amarelos, sob condições de casa-de-vegetação (plasticultura). Foram utilizados nos experimentos xisto retortado em quatro doses (3, 6,9 e 12 Mg ha-1), duas escórias de alto fomo de siderurgia (da Mannesman e Dedini) na dose de 6 Mg ha-1 e o termo fosfato, que usa a escória como matéria-prima em seu processo de fabricação, na dose de 2,5 Mg ha-1.Os experimentos constaram de oito tratamentos incluindo a testemunha, com quatro repetições. Todos os tratamentos receberam adubação mineral NPK, inclusive a testemunha. Foram avaliados o estado nutricional e a produtividade do tomateiro. Devido a alta concentração de silicatos nos resíduos, foram avaliadas o fornecimento de silício no solo e na cultura; também foram avaliados alguns atributos químicos do solo e alguns atributos biológicos. Os resultados mostram que as escórias atuaram com eficiência na correção da acidez do solo enquanto que o xisto não alterou o mesmo. O xisto e as escórias aumentaram o teor de silício no solo e na planta, este aumento de silício no solo incrementou a disponibilidade de fósforo, devido a competição direta pelos sítios de adsorção entre os ânions silicato e o fosfato. O xisto aumentou o teor de enxofre no solo e na planta, apresentando-se eficiente no fornecimento deste elemento para a cultura. Não verificou-se níveis elevados de metais pesados nos solos e nas plantas, causados pela aplicação dos tratamentos, ficando estes abaixo dos considerados críticos para o solo e que pudessem vir causar danos ao ambiente. A população bacteriana do solo foi aumentada com a aplicação da escória da Mannesman enquanto que o xisto aumentou a população fúngica, mas não verificou-se danos ao ambiente, tanto por parte de contaminações químicas por metais pesados, como diminuição da atividade biológica do solo, bem como pela diminuição na produtividade do tomateiro em função da aplicação dos tratamentos. Os produtos utilizados nestes experimentos e nas doses sugeridas podem ser utilizados na agricultura, sejam como corretivos ou como condicionadores de solo.
Título em inglês
Evaluation of schist and scoria in the nutrition and production of tomato and the effects on the soil chemical and biological attributes
Resumo em inglês
Some processes in the industry generate residues, many of these can be re-utilized, instead of being deposited in places that could cause problems, contaminate or cause changes in the environment. Schist is a silty-clayey rock of the lratí formation, with a high content of organic matter, that when heated can produce oil, gas and sulfur. ActualIy, in the exploitation unit of schist, after the extraction of oil, gas and sulfur, the residue is discarded reaching an amount of 6000 Mg day -1. Another residue that is not re-utilized are the scorias, their corrective action has already being demonstrated. In the process for the obtention of the gusa iron, 300kg of scorias are produced by iron Mg. To evaluate the re-utilization of these residues in agriculture, two experiments were performed with a randon complete block desing growing tomato on Alfisols in greenhouse conditions (plasticultura). Pour doses of schist were used in the experiments (3,6, 9 and 12 Mg ha-1), two siderurgy high oven scorias (Mannesman and Dedini) with a doses of 6 Mg ha-l and thermophosphate, that uses scorias in its fabrication process, with a doses of 2.5 Mg ha-1. The experiments had eight treatments including the control, with four repetitions. Ali the treatments received NPK mineral fertilization, including the controI. The nutritional state and production of tomato were evaluated. Due to the high concentration of silicates in the residue, the addition of silicium to the soil and crop was evaluated; some chemical and biological attributes were evaluated. The results showed that the scorias were efficient in the acidity correction while schist did not alter this attribute. Schist and scorias increased the soil and plant siIicium content, this increase of silicium in the soil increased the availabily of phosphorus, due to the direct competition for the adsorption sites between silicium and phosphorus. Schist increased the soil and plant sulfur content, being efficient in the supply of this element to the crop. High levels of heavy metaIs were not verified in soils and in the plants caused by the application of these treatments. The level remained below those considered criticaI for the soil and that could harm the environment. The soil’s bacterial population was increased with the application of Mannesman scoria while schist increased the fungaI population, but environmental problems not were identified, such as the chemical contamination by heavy metaIs, as the diminishing of the soil biological activity, as well as the productivity decrease as a function of the applied treatments. The products used in these experiments and in the suggested doses can perfectly be used in agriculture, as correctives or as soil conditioners
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.