• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.11.2019.tde-20191218-110515
Documento
Autor
Nome completo
Camilo Lazaro Medina
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1997
Orientador
Título em português
Trocas gasosas e relações hídricas de laranjeira ‘Valência’ enxertada sobre quatro porta-enxertos e submetida à deficiência hídrica
Palavras-chave em português
DEFICIT HÍDRICO
LARANJA VALÊNCIA
PORTA-ENXERTOS
RELAÇOES HÍDRICAS
TROCAS GASOSAS
Resumo em português
O presente trabalho foi conduzido em 1996 no Centro Experimental de Campinas do Instituto Agronômico. Dois experimentos foram realizados para observação da influência de porta-enxertos e da deficiência hídrica nas trocas e relações hídricas de laranjeira 'Valência', com 18 meses de idade colocadas em vasos. No primeiro experimento as medidas foram feitas no decorrer do dia em casa de vegetação em quatro porta-enxertos: citrange 'Troyer', tangerina 'Cleópatra', limoeiro 'Cravo' e Poncirus trifoliata. No segundo experimento, as medidas foram feitas sob condições controladas em plantas enxertadas em limoeiro 'Cravo' e Poncirus trifoliata. A deficiência hídrica foi imposta pela suspensão de irrigação dos vasos até que a taxa de assimilação de CO2 atingisse valores aproximadamente nulos durante todo o dia. Em seguida as plantas foram reidratadas e as mesmas medidas foram feitas no período de recuperação. Avaliou-se também a condutividade hidráulica das raízes dos porta-enxertos utilizados. No primeiro experimento em casa de vegetação, no tratamento sem deficiência hídrica, a taxa diária de assimilação de CO2(A) foi menor nas plantas sobre os porta-enxertos 'Troyer' e 'Cleópatra', quando comparadas às plantas sobre limoeiro 'Cravo' que não diferenciaram-se do Trifoliata. Durante o dia, as maiores taxas de A, com 8 μmol.m-2.s-1,foram observadas por volta das 11 horas, seguida por uma diminuição devido ao aumento do déficit de pressão de vapor e da temperatura ambiente, nos horários entre 11:00 e 14:00 horas. Após a suspensão da irrigação, a queda do teor de umidade do substrato e do potencial da água na folha (Ψ1) foram semelhantes em todas as plantas, independente dos porta-enxertos utilizados. Porém nas plantas sobre 'Cravo', durante a suspensão da irrigação, A decaiu mais rapidamente, e após a reidratação, recuperou-se mais vagarosamente. As plantas sobre 'Cravo' apresentaram, durante todo o período de deficiência hídrica, menor A que as plantas sobre Trifoliata e 'Cleópatra' e semelhante ao 'Troyer'. As plantas sobre Trifoliata recuperaram-se totalmente neste período de observação. A condutividade hidráulica foi superior para o limoeiro 'Cravo' e semelhantes entre os demais porta-enxertos e pode ter contribuído para uma maior assimilação de CO2na ausência de deficiência hídrica. No segundo experimento, sob condições controladas não houve decréscimo na assimilação de CO2(A), transpiração (E), condutância estomática (g), eficiência no uso da água (WUE), no potencial da água na folha (Ψ1) e no conteúdo relativo de água (RWC), quando o potencial da água no substrato (Ψs) esteve acima de -0,04 MPa, mostrando valores semelhantes nos tratamentos 'Cravo' e Trifoliata. Porém após o Ψs ter caído abaixo de -0,05 MPa, as plantas sobre os dois porta-enxertos apresentaram respostas diferentes. As plantas sobre 'Cravo' iniciaram queda em A,WUE, Ψs um dia antes que as plantas sobre Trifoliata demoraram 2 dias mais para recuperarem-se. Quando Ψs = -0,13 MPa, A atingiu 4,1 μmol.m-2.s-1 para o tratamento Trifoliata e 1,8 μmol.m-2.s-1 para o 'Cravo'. Os valores mínimos de A foram atingidos quando Ψs = -0,23 MPa, sendo de 1,0 μmol.m-2.s-1 para o 'Cravo'e 2,0 μmol.m-2.s-1 para o Trifoliata. A manutenção de maiores valores de A, g, WUE, e Ψ1, em condições de limitação ao desenvolvimento do sistema radicular, sugeriram uma maior tolerância à deficiência hídrica de laranjeira 'Valência' enxertada sobre Trifoliata que sobre 'Cravo'
Título em inglês
Gas exchange and water relations of 'Valência' orange tree grafted under four rootstocks and submitted to a water deficit.
Resumo em inglês
This research was conducted at the Campinas Experimental Center of Instituto Agronômico in 1996. Two experiments were carried out to observe the rootstocks and water deficit influences on the gas exchange and water relations of 18 months old 'Valência' orange placed in pots. ln the first experiment the measures were done during the day, inside the greenhouse; four rootstocks were evaluated: 'Troyer' citrange, 'Cleópatra' mandarin, 'Rangpur' lime and Poncirus trifoliate. ln the second one, the measures were done under laboratory conditions with plants graffed on 'Rangpur' lime and Poncirus trifoliate. The water deficit was imposed by suspension of irrigation until the CO2 assimilation rates had reached values near to zero. After that, the plants were heydrated and the same mesures were repeated. The roots hidraulic condutivity of rootstocks were also evaluated. Considering the treatment without water stress inside the greenhouse, CO2 assimilation rate was lower in plants grafted on 'Troyer' and 'Cleopatra', when compar ed with plants grafted on 'Rangpur' showed no different CO2 assimilation rate from plants grafted on 'Trifoliata'. During the day, the greatest CO2 assimilation rate, 8 μmol.m-2.s-1, was observed at 11 :00h, followed by a decreasing due to the increasing of the vapour water deficit and ambient temperature, between 11:00h and 14:00h. After water suspension, the decreasing of the substrate water contents and of leaf water potential were similar to all the plants, independently on the rootstocks used. Nevertheless, the CO2 assimilation rate decreased faster, during the water suspension, and after the rehydration, it was recovered more slowly in plants grafted on 'Rangpur'. During the entire water deficit period, these plants also presented lower CO2 assimilation rates than the plants grafted on 'Trifoliata' and 'Cleopatra' and, similar to the rates of plants grafted on 'Troyer'. The plants grafted on ‘Trifoliata’ recovered in 3 days while the plants grafted on other rootstocks did not recover entirely in this observation period. The hydraulic conductivity was higher in 'Rangpur' lime tree and there were no differences between the values found to the other rootstocks; it might have contributed to a better CO2 assimilation rate in the absence of water deficit. In the second experiment, under control of conditions, there was no decreasing in CO2 assimilation (A) , transpiration (E), water use efficience (WUE), leaf water potencial (Ψ1) and (RWC) when the substrate water potential (Ψs) was above -0,04MPa, showing similar values between the treatments. However, when the (Ψs) was decreased under -0,05MPa, the plants grafted on the two rootstocks showed different responses. Toe plants on 'Rangpur' began the decreasing in (A, WUE) and Ψ1 one day before than the plants on Trifoliata and delayed two days to recover. When Ψs =-0,13MPa , (A) reached 4,1 μmol.m-2.s-1, and 1,8 μmol.m-2.s-1, to Trifoliata and 'Rangpur' treatments, respectively. The minimum A) values when Ψ1 =-0,23MPa were 1,0 and 2,0 μmol.m-2.s-1 to 'Rangpur' and Trifoliata, respectively. The maintenance of the higher values of A, g, WUE) and Ψ1, in conditions that restricted the root system development, suggested that 'Valência' orange tree grafted on Trifoliata showed a greater tolerance to water stress than that grafted on 'Rangpur'.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.