• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2012.tde-07022012-093229
Documento
Autor
Nome completo
Aline Bertin
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2011
Orientador
Banca examinadora
Parra, José Roberto Postali (Presidente)
Lopes, Joao Roberto Spotti
Pinto, Alexandre de Sene
Título em português
Bioecologia de Dysmicoccus brevipes (Cockerell, 1893) e Pseudococcus viburni (Signoret, 1875) (Hemiptera: Pseudococcidade) em videira
Palavras-chave em português
Ciclo de vida
Cochonilhas
Estruturas vegetais
Porta-enxertos
Uva
Resumo em português
As cochonilhas farinhentas (Hemiptera: Pseudococcidae) têm se tornado pragas importantes em diversas culturas. Na videira, são responsáveis por causar danos diretos, resultando em perdas na produção e danos indiretos como vetoras de vírus. Entretanto, poucas informações estão disponíveis sobre a biologia das espécies na cultura. Neste trabalho, foi estudado em laboratório, o efeito de diferentes estruturas vegetativas, cultivares e porta-enxertos de videira no desenvolvimento, sobrevivência e reprodução de Dysmicoccus brevipes (Cockerell, 1893) e Pseudococcus viburni (Signoret, 1875). As exigências térmicas de D. brevipes foram determinadas, sendo estimado o número anual de gerações da espécie nas principais regiões produtoras de uvas de mesa do Brasil. A biologia de D. brevipes foi estudada em folhas de videira das cultivares de uva de mesa Itália (Vitis vinifera) e Niágara Rosada (Vitis labrusca) e em raízes dos porta-enxertos Paulsen 1103 (Vitis berlandieri X Vitis rupestris) e IAC 572 (Vitis caribaea X 101-14 Mgt). As exigências térmicas foram estimadas com base nos dados de biologia obtidos em cinco temperaturas constantes (15, 20, 25, 28 e 30°C) em folhas de videira da cultivar Itália. A biologia de P. viburni foi estudada em folhas de videira das cultivares de uva de mesa Itália e Niágara Rosada. D. brevipes se desenvolveu em diferentes estruturas vegetativas da planta, bem como em diferentes cultivares e porta-enxertos de videira; no entanto, folhas da cultivar Itália foram as mais adequadas ao desenvolvimento da espécie, considerando-se a menor duração do período ninfa-adulto. A taxa líquida de reprodução (Ro) de D. brevipes foi maior em folhas da cultivar Itália (19,82) em relação à cultivar Niágara Rosada (13,78). As ninfas de D. brevipes que sobreviveram nas raízes do porta-enxerto Paulsen 1103, se desenvolveram melhor do que em folhas. Raízes do porta-enxerto IAC 572 foram inadequadas para o desenvolvimento de D. brevipes, originando fêmeas que não se reproduziram. A velocidade de desenvolvimento de D. brevipes aumentou com a elevação da temperatura, sendo a faixa de temperatura entre 20ºC e 30ºC a mais adequada para a espécie. O limiar térmico inferior e superior de desenvolvimento e a constante térmica para o período ninfa-adulto de D. brevipes em folhas de videira da cultivar Itália, foram de 8,2ºC, 34,5°C e 678,42 graus-dia, respectivamente. De acordo com as exigências térmicas de D. brevipes foi possível estimar a ocorrência de 3,4 gerações anuais em Bento Gonçalves (RS), 3,1 em Caxias do Sul (RS), 4,4 em Marialva (PR), 4,8 em Jales (SP) e 5,2 em Petrolina (PE). Através dos dados de longevidade dos adultos e de viabilidade das diferentes fases do ciclo biológico (ninfa-adulto) de fêmeas de P. viburni, verificou-se que a cultivar Niágara Rosada foi mais adequada para o desenvolvimento da espécie. Os resultados deste estudo demonstraram que a planta hospedeira afeta o desenvolvimento e a sobrevivência de D. brevipes e P. viburni e que a escolha da cultivar ou do porta-enxerto a ser utilizado na implantação do vinhedo, pode auxiliar na redução da infestação destas pragas, sendo um componente adicional a ser utilizado em programas de Manejo Integrado na cultura.
Título em inglês
Bioecology of Dysmicoccus brevipes (Cockerell, 1893) and Pseudococcus viburni (Signoret, 1875) (Hemiptera: Pseudococcidae) on grapes
Palavras-chave em inglês
Grape
Life cycle
Mealybug
Plant structure
Rootstock
Resumo em inglês
Mealybugs (Hemiptera: Pseudococcidae) have become increasingly important pests in many crops. In vineyards, they cause direct damage resulting in production losses and also indirect damages through virus transmission. However, little information is available about the species biology. The effects of different vegetative structures, cultivars and vine rootstocks on the development, survival and reproduction of Dysmicoccus brevipes (Cockerell, 1893) and Pseudococcus viburni (Signoret, 1875) were studied under laboratory conditions. The thermal requirements of D. brevipes were determined and the annual number of generations was estimated for the principal grape-growing regions of Brazil. Biological aspects of D. brevipes were studied using table grape leaves (Itália: Vitis vinifera and Niágara Rosada: Vitis labrusca) and grapevine rootstocks (Paulsen 1103: Vitis berlandieri X Vitis rupestris and IAC 572: Vitis caribaea X 101-14 Mgt). The thermal requirements were estimated using five constant temperatures (15, 20, 25, 28 and 30°C) on Itália table grape leaves. The biology of P. viburni was studied on Itália and Niágara Rosada table grape leaves. D. brevipes developed on different vegetative structures, cultivars and vine rootstocks. However, table grape leaves of V. vinifera Itália were the most suitable for D. brevipes development, considering the shortest developmental period. The net reproductive rate (Ro) of D. brevipes was higher on Itália table grape leaves (19.82) than on Niágara Rosada (13.78). D. brevipes nymphs that survived on Paulsen 1103 roots developed better than on the leaves. Roots of IAC 572 were unsuitable for the development of D. brevipes, resulting in non-reproductive females. The developmental rate of D. brevipes increased with increasing temperature and the range between 20 to 30°C was the most suitable for this species. The predicted upper lethal temperature was 34,5°C, with a minimum threshold for total development at 8,2°C. D. brevipes required 678,42 degree-days to complete development from first instar nymph to the adult stage. According to the thermal requirements, D. brevipes can complete 3.4 annual generations per year in Bento Gonçalves (RS), 3.1 in Caxias do Sul (RS), 4.4 in Marialva (PR), 4.8 in Jales (SP) and 5.,2 in Petrolina (PE). From the the data on adult longevity and the viability of the different female life stages of P. viburni, table grape leaves of V. labrusca Niágara Rosada were the most suitable for development of this species. We conclude that the host plant can affect the development and survival of D. brevipes and P. viburni and that the right choice of the cultivar or vine rootstock to be used in the vineyard can help to reduce pest infestation and is, therefore, an additional component to be included in the integrated pest management of the crop.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Aline_Bertin.pdf (1.16 Mbytes)
Data de Publicação
2012-02-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.