• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
10.11606/D.11.2018.tde-20181127-162002
Document
Author
Full name
Patrícia Milano
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
Piracicaba, 2002
Supervisor
Title in Portuguese
Otimização da criação de Ageniaspis citricola Logvinovskaya, 1983 (Hymenoptera: Encyrtidae) em laboratório e sua adaptação no Estado de São Paulo
Keywords in Portuguese
CONTROLE BIOLÓGICO
CRIAÇÃO MASSAL
INSETOS PARASITOIDES
MINADOR -DOS CITROS
Abstract in Portuguese
A pesquisa teve como objetivo otimizar a criação em laboratório de Ageniaspis citrícola Logvinovskaya, 1983, parasitóide específico de Phyllocnistis citrella Stainton, 1856, Lepidoptera - Gracillariidae, minador-dos-citros; bem como verificar a adaptação do parasitóide no Estado de São Paulo. Os bioensaios relacionados à otimização da criação de A. citrícola foram desenvolvidos no laboratório de Biologia de Insetos do Departamento de Entomologia, Fitopatologia e Zoologia Agrícola da Escola Superior de Agricultura"Luiz de Queiroz"(ESALQ), campus de Piracicaba da Universidade de São Paulo (USP). A adaptação do parasitóide no Estado de São Paulo foi verificada através de levantamentos realizados no período de novembro de 2000 a fevereiro de 2001, em 16 pomares pertencentes ao grupo FISCHER S/A Agropecuária. Na otimização da criação de A. citrícola, observou-se que a proporção de 2:1 (casais de P. citrella / planta) em tubetes foi a mais adequada para a obtenção de ovos para a criação do minador-dos-citros e do parasitóide. Em função dos resultados obtidos com mudas de citros de dois tamanhos, pode-se inferir que o sistema de produção de P. citrella em tubetes é mais econômico, ocupando menos espaço do que o sistema em mudas de 10 meses facilitando experimentos em condições controladas. O comportamento do minador foi variável entre variedades de citros, em testes de confinamento e de livre escolha. Não existiu diferença de parasitismo por A. citrícola entre ovos e lagartas de 1º ínstar de P. citrella. Considerando-se a média de pupas por hospedeiro, viabilidade pupal e a duração do ciclo de A. citrícola, deve ser recomendada a temperatura de 25 graus C para a criação do parasitóide em laboratório. Em liberações inoculativas, não houve diferenças na emergência de A. citrícola em copos plásticos ou tubetes mantidos no campo e nem na idade das pupas a serem liberadas. O parasitóide, três anos após sua introdução no Brasil, está completamente adaptado, especialmente nas regiões sul e centro do estado de São Paulo, predominando em relação à espécie mais abundante anteriormente à sua introdução, Galeopsomyia fausta LaSalle.
Title in English
not available
Abstract in English
not available
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
MilanoPatricia.pdf (5.32 Mbytes)
Publishing Date
2018-11-27
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2021. All rights reserved.