• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.11.2019.tde-20191218-162427
Documento
Autor
Nome completo
Sérgio Brazolin
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 1997
Orientador
Título em português
Podridão mole em madeira de Tabebuia sp. (Ipê) em torre de resfriamento de água: identificação e avaliação da capacidade de degradação dos fungos e alterações na estrutura anatômica da madeira
Palavras-chave em português
EUCALIPTO
FUNGOS XILÓFAGOS
INOCULAÇÃO
MADEIRA DE IPÊ
PINHEIRO
PODRIDÃO MOLE
Resumo em português
A madeira de Tabebuia sp. - Ipê - é considerada de alta durabilidade natural aos fungos apodrecedores, sendo frequentemente utilizada em ambientes agressivos, como torres de resfriamento de água de indústrias químicas e petroquímicas brasileiras. As análises macro e microscópicas de amostras de madeira de Tabebuia sp. do eliminador de respingos e do enchimento de uma torre de resfriamento, com cerca de 23 anos em operação, revelaram a colonização por fungos de podridão mole. O ataque ocorreu de forma generalizada no madeiramento da torre, embora mais intenso e evidente, sob macroscopia, nos seus níveis inferiores. Sob microscopia, o ataque na madeira foi identificado como podridão mole tipo 1, confirmado pela formação de cavidades na parede celular, com diferentes formas e tamanhos. Este ataque restringiu-se às fibras, não sendo observado nas células dos parênquimas radial e axial e nos vasos. Foram isolados 51 fungos da madeira de Tabebuia sp., pertencentes à Subdivisão Deuteromycotina e aos gêneros Acremonium, Fusarium, Gliocladium, Penicillium, Phialophora, Pullularia, Tipo-Moniliella, Trichoderma e Verticillium. Os fungos dos gêneros Acremonium, Phialophora e Trichoderma foram os mais frequentes. Corpos-de-prova de Eucalyptus grandis e Pinus elliottii foram inoculados com os fungos isolados para avaliar sua capacidade de degradação. A análise da estrutura microscópica desses corpos-de-prova mostrou que os fungos Fusarium oxysporum, Gliocladium spp., Tipo-moniliella, Penicillium sp. Pullularia pullulans, Trichoderma spp. e Verticillium sp. não formaram cavidades típicas de podridão mole nas paredes das células do lenho. Por outro lado, Acremonium sp., A. kiliense, Phialophora sp. e Phialophora butyrii causaram podridão mole nas madeiras de E. grandis e P. elliottii, constituindo-se em importantes organismos deterioradores na torre de resfriamento. A avaliação da perda de massa (%) das madeiras submetidas) aos fungos de podridão mole mostrou que o E. grandis foi mais susceptível do que o P. elliotti, corroborando resultados de pesquisas que comprovaram a susceptibilidade das madeiras de folhosas aos fungos de podridão mole em relação às de coníferas. Dos fungos isolados, 2 cepas de A. kiliense apresentaram maior capacidade de degradação dessas madeiras, sugerindo-se sua utilização na avaliação da durabilidade natural de madeiras de coníferas e folhosas, em condições laboratoriais
Título em inglês
Soft-rot in Tabebuia sp. wood (Ipê) in cooling tower: identification and degrading capacity of the fungi and changes in the anatomic structure of the wood
Resumo em inglês
Tabebuia sp. wood (Ipê) is considered of high natural resistance to fungi decay, and has been used in harsh environments, such as cooling towers installed in chemical and petrochemical industries. Macro and microscopic analyses of Tabebuia sp. wood samples collected from the drift eliminator and filling of a cooling tower in operation for 23 years, revealed colonisation by soft-rot fungi. The attack in the cooling tower occurred in all wood exposed to water, although macroscopically, more intense and evident in its inferior leveI. Microscopically, the wood attack was identified as soft-rot type 1, confirmed by the formation of cavities in the cell wall, with different sizes and shapes. This attack was restricted to the fibers and was not observed in the radial and axial parenchyma cells and vessels. Fifty-one fungi were isolated from Tabebuia sp. wood, belonging to the Subdivision Deuteromycotina and the genus Acremonium, Fusarium, Gliocladium, Penicillium, Phialophora, Pullularia, Tipo-Moniliella, Trichoderma and Verlicillium. The fungi Acremonium, Phialophora e Trichoderma were the most frequent. Specimens of Eucalyptus grandis and Pinus elliottii woods were inoculated with the isolated fungi, in order to evaluate their degrading capacity. The microscopic analyses showed that the fungi Fusarium oxysporum, Gliocladium spp., Tipo-moniliella, Penicillium sp. Pullularia pullulans, Trichoderma spp. and Verticillium sp. were not able to produce typical soft-rot cavities in the cell wall of the xylem cells. On the other hand, Acremonium sp., A. kiliense, Phialophora sp. and Phialophora butyrii caused soft-rot in E. grandis and P. elliottii woods, becoming important deterioration organisms in the cooling tower. The analyses of weight loss (%) of the wood inoculated with the isolated fungi showed that E. grandis was more susceptible than P. elliottii, agreeing with research results which confirmed that hardwoods are less resistant to soft-rot attack than conifers. Two strains of A. kiliense showed the best degrading capacity and were recommended to be used in the evaluation of the natural resistance of hardwoods and softwoods, under laboratory conditions
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
BrazolinSergio.pdf (6.83 Mbytes)
Data de Publicação
2019-12-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.