• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.12.2011.tde-30112011-192644
Documento
Autor
Nome completo
Lucas Costa Scottini
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Rangel, Marcos de Almeida (Presidente)
Madeira, Ricardo de Abreu
Musacchio, Aldo
Título em português
O que o Nome nos ensina? Padrões sociais e raciais de nomes e sobrenomes e performance escolar em São Paulo
Palavras-chave em português
Discriminação
Econometria
Educação - Aspectos econômicos
Resumo em português
Esta dissertação estuda padrões sociais e raciais de nomes e sobrenomes entre alunos paulistas e a correlação desses padrões com desempenho escolar. Para cada nome e sobrenome observados criamos índices que medem o quão distintamente rico (ou pobre) e o quão distintamente branco (ou afro) tais nomes e sobrenomes são. Os resultados são de que tanto nomes quanto sobrenomes dão sinais de status socioeconômico, enquanto sobrenomes e, em menor medida, nomes predizem raça. Nomes que indicam maior status são, em geral, de maior frequência estatística, de origem latina, formados por um só termo e com grafia condizente com a Língua Portuguesa formal. Nomes de menor frequência estatística, compostos por duas palavras, com influência do idioma inglês na grafia e na pronúncia e com grafias distintas do Português formal estão associados a baixo status. A evidência aponta ainda para uma relação mais forte entre primeiro nome e status do que entre primeiro nome e raça, revelando que, em São Paulo, o universo cultural que baseia a escolha de primeiros nomes é mais classe-específico que raça-específico. Pelo lado dos nomes de família, os dados mostram que sobrenomes tipicamente de alto status e tipicamente brancos são de menor frequência estatística e de origem não-portuguesa. Sobrenomes portugueses não apresentam padrão socioeconômico e racial, com exceção dos três sobrenomes mais frequentes, os quais são tipicamente pobres. Além disso, sobrenomes associados à religião católica são tipicamente pobres e afrodescendentes. Posteriormente, avaliamos a relação entre diversas medidas de performance escolar e nomes e sobrenomes. Os dados apontam para uma associação robusta entre ter um nome distintamente pobre (rico) e um sobrenome distintamente afro (branco) e piores (melhores) resultados escolares. Tal evidência é consistente com um cenário em que escolhas culturais dos pais e herança cultural familiar afetam a acumulação de capital humano de crianças e jovens adultos. Entre outras possibilidades está a existência de tratamento discriminatório nas escolas.
Título em inglês
What is in a Name? Social and racial patterns for names and surnames and academic performance in Sao Paulo.
Palavras-chave em inglês
Applied econometrics
Discrimination
Education
Resumo em inglês
This dissertation studies social and racial patterns of names and surnames for students in São Paulo and evaluates its contribution to academic performance. For each name and surname observed, we create indices to measure how distinctively rich (or poor) and how distinctively white (or black) they are. We find that both names and surnames are predictors of social status, while surnames and, to a lesser extent, names predict race. Names that indicate higher status present, generally, higher frequency, latin origin, only one term and spelling coherent to formal Portuguese language. Names that signal low status show lower frequency, two terms, English language influence on spelling and pronouncing and spelling different from formal Portuguese. The evidence also points to a stronger link between first names and social status than between first names and race, revealing that cultural determinants of name choice are mainly social rather than racial. When it comes to family names, data shows that distinctively high status and white surnames have low frequency and non-portuguese origin. Portuguese surnames do not present social or racial patterns, except for the three most common surnames, which are typically poor. Additionaly, catholic devotional surnames are distinctively poor and afro. Then we evaluate the correlation between names, surnames and a set of academic performance measures. The evidence indicates a robust link between having a distinctively poor (rich) name and a distinctively afro (white) family name and worse (better) grades. This is consistent with a scenario where parental cultural choices and familiar cultural heritage affect human capital accumulation of children. Discriminatory treatment in school is another possibility.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LucasCostaScottini.pdf (572.81 Kbytes)
Data de Publicação
2012-02-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.