• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.12.2010.tde-08112010-161930
Documento
Autor
Nome completo
Erika Penido Barcellos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Fleury, Maria Tereza Leme (Presidente)
Cyrino, Alvaro Bruno
Oliveira Júnior, Moacir de Miranda
Título em português
Internacionalização de empresas brasileiras: um estudo sobre a relação entre grau de internacionalização e desempenho financeiro
Palavras-chave em português
Desempenho organizacional
Empresas multinacionais
Internacionalização de empresas
Resumo em português
Esse estudo buscou avaliar de que forma a internacionalização tem contribuído para o desempenho financeiro das empresas brasileiras como um todo e para o desempenho financeiro das suas operações internacionais. Por meio de uma survey realizada no ano de 2006 em 51 empresas de capital nacional pertencentes a diversos setores, esta pesquisa nos permitiu refletir sobre a forma da relação entre grau de internacionalização (GI) e desempenho financeiro das empresas brasileiras. Os resultados sugerem, ao nível de significância de 5%, que o desempenho financeiro geral das multinacionais brasileiras está associado ao GI. Os grupos de empresas com menor GI e com maior GI na dimensão da porcentagem de ativos no exterior apresentaram melhores desempenhos financeiros gerais em relação ao grupo de empresas que estão em um grau intermediário nessa dimensão do GI. Quando analisamos a relação entre o GI (medido como o intervalo da porcentagem de empregados no exterior) e o desempenho financeiro das operações internacionais das empresas, testes não paramétricos indicaram uma curva em forma de U ao nível de significância de 5%. Esse formato de curva sugere um efeito negativo inicial da expansão internacional no desempenho financeiro, antes do alcance de resultados positivos com a internacionalização, o que contrasta com o formato de uma curva em S encontrada em estudos recentes sobre o tema. Modelos de regressão simples e múltipla desenvolvidos nesse estudo também revelaram a associação do GI com o desempenho financeiro das empresas. Dentre as variáveis utilizadas para a medição do grau de internacionalização, as seguintes se mostram relevantes para explicar o desempenho financeiro das empresas em um ou mais modelos de regressão: a porcentagem de empregados no exterior, a porcentagem de ativos no exterior, a atuação em mais de três regiões geográficas mundiais e a listagem em Bolsas de Valores. Também foi observada a relevância do setor de atuação como variável moderadora da relação GI-desempenho financeiro, já que empresas do setor de manufatura intensa em insumos básicos apresentaram maiores margens EBITDA do que as demais. Uma das implicações dessa pesquisa é que as empresas brasileiras não devem ser desencorajadas por efeitos negativos nos seus desempenhos financeiros nos estágios iniciais dos seus processos de internacionalização. Como os resultados sugerem, ao adquirir conhecimento e novas competências para atuar internacionalmente, as empresas obterão benefícios que, eventualmente, serão maiores do que os custos associados à internacionalização e o impacto no desempenho financeiro será positivo.
Título em inglês
Internationalization of Brazilian companies: a study about the relationship between degree of internationalization and financial performance
Palavras-chave em inglês
Internationalization of companies
Multinational companies
Organizational performance
Resumo em inglês
This study aimed to evaluate how internationalization has contributed to the general financial performance of Brazilian companies and to the performance of their international operations. Through a survey applied in 2006 to 51 companies with Brazilian ownership structure, from different industries, this research allowed us to reflect about the shape of the relationship between degree of internationalization (DOI) and financial performance of Brazilian companies. The results suggested, at a 5% significance level, that the general financial performance of the Brazilian multinationals is associated with their DOI. The groups of companies with lower DOI and higher DOI in the dimension of percentage of foreign assets presented better general financial performances than the group of companies that hold an intermediary level at this DOI dimension. When analyzing the relationship between DOI (measured by intervals of the percentage of foreign employees) and financial performance of the companies international operations, non-parametric tests indicated a U-shaped curve at a 5% significance level. This curve shape suggests an initially negative effect of international expansion on performance, before the positive returns of international expansion are realized, and contrasts with the S-shaped curve identified in recent studies about the subject. Simple and multiple regression models developed in this study also revealed the association between DOI and financial performance of the companies. Among the variables used to measure the DOI, the following emerged as relevant to explain the financial performance in one or more regression models: the percentage of foreign employees, the percentage of foreign assets, the presence in more than three geographical regions of the world and the listing on stock exchanges. It was also observed the relevance of the companies sector as a moderating variable of the DOI-financial performance relationship, since companies from sectors of intense manufacturing on raw materials presented higher EBITDA margins than the others. One implication of this research is that Brazilian companies should not be discouraged by negative effects of internationalization on their financial performances in the initial stages of their internationalization process. As the results suggest, after acquiring knowledge and new competences to operate abroad, the company will achieve benefits that, eventually, will overcome the internationalization costs, leading to a positive impact on the financial performance.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-11-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.