• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.17.2009.tde-04042012-125620
Documento
Autor
Nome completo
Roberta Soares Lara Cassani
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2009
Orientador
Banca examinadora
Marchini, Julio Sérgio (Presidente)
Amancio, Olga Maria Silverio
Lottenberg, Ana Maria Pita
Nonino, Carla Barbosa
Santos, Jose Ernesto dos
Título em português
Linhaça e lignanas: efeito do consumo sobre indicadores nutricionais e inflamatórios
Palavras-chave em português
enterodiol
enterolactona
enterolignanas
Fatores de risco nutricionais
indicadores nutricionais
inflamatórios e metabólicos
lignanas
semente de linhaça
Resumo em português
O processo inflamatório subclinico encontra-se associado à prevenção e controle de um agrupamento de fatores de risco (FR) nutricionais, entre eles, dislipidemia e aumento de depósito de gordura visceral. Indicadores nutricionais, inflamatórios e metabólicos parecem estar associados com o estilo de vida. A semente de linhaça tem sido reconhecida como um alimento rico em fibras e -3, entretanto, um novo constituinte de sua composição nutricional tem merecido atenção, pelo seu papel antiinflamatório e antioxidante. Este componente é chamado de lignanas, um polímero complexo e o principal constituinte não-carbohidrato de plantas vasculares. Está ligado a fibras de celulose, e é responsável por reforçar a estrutura das paredes celulares, o que previne o colapso das mesmas. Lignanas, em contato com a microflora intestinal humana transformam-se em enterolignanas, especialmente, enterodiol e enterolactona. O presente trabalho tem por hipótese que o teor de lignanas dietético pode interferir no perfil metabólico, e alterar fatores de riscos envolvidos no estado nutricional, e consequentemente na saúde. O conhecimento de que diferentes características na composição nutricional de macronutrientes da dieta poderiam modificar o perfil inflamatório, independentemente, da presença das enterolignanas provenientes da semente de linhaça também constituíram o objetivo deste estudo. Por 42 dias, foram avaliados 52 funcionários, pertencentes ao sexo masculino, com idade média de 37± 9 anos, de uma indústria de grande porte, na cidade de Itu-SP. Os voluntários foram divididos em 4 grupos de pesquisa, sendo, um grupo controle, e três grupos com dietas isocalóricas e diferentes proporções no % de carboidratos (CH), e acréscimo de semente de linhaça em pó ou arroz cru triturados (protocolo duplo cego). Foi preenchida ficha de coleta de informações sobre dados pessoais e conhecimento de fatores de risco (hipertensão, dislipidemia e diabetes), comportamentos de risco (tabagismo e sedentarismo) e antecedentes familiares. Foi também realizada avaliação clinico - laboratorial, no qual se obteve o registro de medidas antropométricas, medida da pressão arterial e coleta de sangue venoso em jejum de 12 h para avaliação de indicadores bioquímicos referentes à FR cardiovascular, tais como, colesterol total e frações (LDL-c e HDL-c), triglicérides, glicemia, insulina, Homa-beta e Homa-IR, ácido úrico, bem como, para avaliação de indicadores inflamatórios (Proteína C Reativa (PCR), Fator de Necrose Tumoral (TNF-) e Isoprostane Sérico), hormonais (Leptina e Adiponectina) e nutricionais (Enterodiol e Enterolactona séricas e urinárias). Observou-se que para redução significativa das medidas antropométricas estudadas e indicador de estresse oxidativo não houve diferenças entre os grupos que receberam intervenção dietética. Entretanto, para a melhora do perfil bioquímico, inflamatório, hormonal e nutricional, diferentes respostas foram encontradas. Os grupos que receberam dietas com redução de CH total (32% e 35%) mostraram benefícios, no que se refere ao perfil bioquímico, especialmente, colesterol total, LDL-c e ácido úrico, como também, para o perfil hormonal, referente aos níveis de adiponectina (p <0,05). Com relação aos níveis de PCR e TNF-, apenas os grupos que tiveram acréscimo de semente de linhaça na dieta apresentaram redução significativa (p<0,05). Para os níveis de triglicérides, somente o grupo com adição de semente de linhaça e 32 % de CH total apresentou diminuição significativa (p<0,05). Foi observado que com 32 % de CH total ingerido e adição de um alimento rico em lignanas constituiu-se uma estratégia nutricional relevante, para prevenção primária de fatores de risco metabólicos e controle da inflamação subclinica, o que pode contribuir na redução da morbi-mortalidade a eles associada.
Título em inglês
Flaxseed and lignans: effects of consumption on nutritional and inflammatory.
Palavras-chave em inglês
enterodiol
enterolactone
enterolignanas
flaxseed
inflammatory and metabolic disorders
lignans
nutritional indicators
nutritional risk factors
Resumo em inglês
The control of subclinical inflammatory process is associated with the prevention nutritional RF (risk factor), such as dislipidemia and the increase of visceral fat deposition. Nutritional, inflammatory and metabolic indicators seem also to related to life style. The linseed has been recognized as rich in fibers and -3. However, a new component in its nutritional composition has deserved the attention for its anti- inflammatory and antioxidant roles. This component is called lignans, a complex polymer and the main non-carbohydrate constituent of vascular plants. It is binded to cellulose fibers and is responsible for reinforcing cell walls structure, preventing them from collapsing. Plant lignans, in contact with the human intestinal flora, become enterolignans, specially enterodiol and enterolactone. This present work hypothetically that the amount of dietetic plant lignans interfere in the metabolic profile, altering the risk factors involved in the nutritional health state and consequently, the welfare state. Therefore, the objective of this study is to know if different diet nutritional composition characteristics can change the inflammatory profile, independently of the presence of enterolignans from the linseed. For 42 days, 52 male volunteers, average 37±9 years old, from a industrial city of Itu-SP, were evaluated. The volunteers were divided into 4 research groups; one control group and 3 groups on isocaloric diets with different proportion of carbohydrate (CH) and the addition of powdered linseed or ground raw rice (a double blind protocol). Personal data, RF (hypertension, dislipidemia and diabetes), habits (smoking and sedentary) and family antecedents were collected. A nutritional-laboratorial evaluation was performed in order to get anthropometric data; blood pressure checked and blood samples (after 12 hours fast) for total cholesterol and fractions (LDL-c and HDL-c ), triglycerides, glycemia, insulin, Homa-beta and Homa-IR, uric acid, inflammatory indicators (Reactive-C Protein (PCR) , Tumoral Necrosis Factor (TNF-a) and Seric Isoprostane ), hormonal (Leptin and Adiponectin), enterodiol and enterolactone seric and urinary enterolignins. It was observed a reduction of the studied anthropometric measures and for the oxidative stress indicators. A significant change occurred in the anthropometric measurements and the oxidative stress marker evaluated for all groups, but no difference among them was noted. On the other hand, biochemical, inflammatory, hormonal and nutritional profile significant differences among groups was observed. The groups that received diets with the reduction of the total CH (32% and 35% ) showed improvements in the biochemical profile, specially in the total cholesterol, LDL-c and uric acid, as well as the hormonal profile, in the levels of adiponectin (p< 0,05) . The levels of PCR and TNF-a, only the groups that had the linseed, showed a reduction (p< 0,05). For the triglycerides levels, only the group with the addition of linseed and 32% of total CH showed a decrease. It was observed with 32% of CH and the addition of food lignans constitute a nutritional relevant strategy for the primary prevention of metabolic risk factors and control of subclinical inflammation, contributing to the reduction of the associated morbi-mortality.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
TD.pdf (11.28 Mbytes)
Data de Publicação
2012-07-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.