• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.17.2020.tde-13042020-145422
Documento
Autor
Nome completo
José Maria Thiago Bonardi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2019
Orientador
Banca examinadora
Lima, Nereida Kilza da Costa (Presidente)
Carvalho, Eduardo Elias Vieira de
Fabbro, Amaury Lelis Dal
Moraes, Camila de
Título em português
Adesão a um programa de exercício aeróbio de alta intensidade e efeito no risco cardiovascular de trabalhadores sedentários de um centro de saúde: um estudo controlado randomizado
Palavras-chave em português
Exercício aeróbio
Presenteísmo
Pressão arterial
Risco cardiovascular
Servidores públicos
Resumo em português
Introdução: Estudos epidemiológicos mostram associação entre aumento dos níveis de atividade física e redução da mortalidade por todas as causas, doenças cardiovasculares e câncer em indivíduos adultos e idosos. O aumento dos níveis de atividade física está associado à melhora do presenteísmo e, consequentemente, com maior produtividade no trabalho. Objetivo: Avaliar a adesão dos servidores públicos do Centro de Saúde Escola - FMRP-USP ao treinamento intervalado de alta intensidade e os efeitos na pressão arterial, capacidade funcional, composição corporal, parâmetros metabólicos e presenteísmo de servidores públicos. Métodos: O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP/CSE-FMRP-USP - 161/2012). O estudo foi programado para ser executado em 2 fases: na fase 1 todos sujeitos foram convidados ao treinamento e na fase 2 os sujeitos foram randomizados para Treinamento Aeróbio e Controle. Na fase 1, foram selecionados 77 voluntários independentes (79% mulheres) para o treinamento aeróbio intervalado de alta intensidade. Os indivíduos foram previamente avaliados com teste de esforço e excluídos voluntários com pressão arterial (PA) maior que 160/105 mmHg e/ou com doenças cardíacas que contraindicassem exercícios de alta intensidade. As sessões foram realizadas três vezes por semana, durante 10 semanas, em esteira rolante com duração de 30 minutos e a PA foi avaliada antes e após o treinamento por meio da monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA) de 24 hs (MAPA). Na fase 2, 48 sujeitos foram randomizados em grupo Controle (C) e Treinamento Aeróbio (TA) e foram realizadas: a medida da pressão arterial em repouso; a MAPA; bioimpedância elétrica (BIA); índice de massa corpórea (IMC), circunferência de cintura (CC); glicemia de jejum, colesterol total e frações; Escore de risco global (ERG) e Morte por doença cardiovascular (MDCV); VO2máx e presenteísmo (WLQ) antes de todas as sessões e um dia após o término das 10 semanas de treinamento. Análise estatística: Análise descritiva e os parâmetros qualitativos foram avaliados pelo teste do Qui quadrado. A comparação dos parâmetros quantitativos antes e após o período de treinamento, nos grupos TA e C, foi realizada por meio da ANOVA two-way e dados referentes à monitorização ambulatorial da PA foram analisados pelo modelo linear de efeitos mistos. O programa utilizado foi o SSPS 23.0 e o nível de significância foi <0,05 Resultados: Fase 1: quanto à avaliação da adesão, observamos: 65 (84,4%) iniciaram o treinamento, com 80% do sexo feminino; 37 perderam seguimento; 28 completaram as 30 sessões de treinamento e apenas 18 (12 mulheres) realizaram todos exames finais. Calculando a taxa de adesão de homens e mulheres que completaram as 30 sessões de treinamento em relação ao total de homens e mulheres selecionados para o estudo, observamos 56,2% de adesão nos homens e 31,1% nas mulheres (p<0,001), e, quando analisamos os voluntários que completaram as 30 sessões e fizeram todos os exames finais, 37,5% homens e 19,7% mulheres (p<0,001). Analisando o efeito do exercício para PAS 24h: 123,5/10 mmHg pré treinamento versus 119,5/9,2 mmHg após; PAD 24h 76,9/5,3 mmHg versus 73,5/5,7 mmHg; CC: 94,3/11,9 cm versus 89,5/13,1 cm e 92,1/14,9 cm versus 88,5/14 cm foram significativos com p?0,05. A Glicemia de jejum, o Perfil lipídico, a Composição corporal (BIA), o IMC e VO2máx não foram significativos no momento pós treinamento comparado ao basal. Na Fase 2, 43 voluntários completaram o protocolo de randomização para grupo C (controle n=21) ou grupo TA (treinamento aeróbio n=22) (67% mulheres). A média de idade foi de 43,9/12 anos, os valores pré e pós treinamento foram, respectivamente, para as seguintes variáveis: PAS 24h C: 118,1/9,2 mmHg vs 119,6/9,5 mmHg; TA: 121,6/10 mmHg vs 118,4/8,8 mmHg (p=0,62); PAS vigília C: 122,6/11,7 mmHg vs 122,8/10,5 mmHg; TA: 125,1/9,7 mmHg vs 119,8/10,8 mmHg (p=0,01); PAS sono C: 110,8/8,6 mmHg vs 112,5/11 mmHg; TA: 113,9/810,6 mmHg vs 112,1/9,1 mmHg (p=0,77); PAD 24h C:73/6,4 mmHg vs 73,6/8,0 mmHg; TA:75,3/9,0 mmHg vs 73,6/8,9 mmHg (p?0,05); PAD vigília C: 77,6/9,7 mmHg vs 76,9/9,2 mmHg; TA: 79,9/11,1 mmHg vs 75,6/10,1 mmHg (p?0,01); PAD sono C: 64,4/6,5 mmHg vs 66,4/8,4 mmHg; TA: 66,9/10,2 mmHg vs 65,6/9,8 mmHg (p=0,80); Cintura C: 87,7/10,7 cm vs 86,9/10,2 cm; TA: 87,6/11,8 cm vs 85,2/10,2 cm (p=0,94); IMC C: 28,8/4,3 Kg/m2 vs 28,8/4,3 Kg/m2; TA: 28,1/5,0 Kg/m2 vs 27,6/4,8 Kg/m2 (p=0,78); VO2 estimado C: 39,1/5,0 vs 39,1/5,0 (mL/Kg min); TA: 38,4/5,0 vs 42,9/6,5 (mL/Kg min) (p<0,001); ERG C: 6,1/5,3 pontos vs 5,1/5,3 pontos; TA: 9/6,7 pontos vs 5,4/5,4 pontos (p=0,84); MDCV C: 11, 9/7,1% vs 11,9/5,5%; TA: 11,7/7,4% vs 10/6,0% (p=0,40) e presenteísmo Índice WLQ C: 2,3/1,8 vs 2,6/2,4; TA: 1,5/1,6 vs 1,0/1,0 (p=0,02). Conclusão: Após 10 semanas de treinamento, observamos que a adesão dos voluntários homens foi maior que das mulheres. Houve redução significativa da PAS no período vigília em favor do grupo TA, concomitantemente com aumento do VO2 máx, sem alteração para o IMC e Cintura. Houve melhora do presenteísmo no grupo de funcionários submetidos ao treinamento aeróbio.
Título em inglês
Adherence to a high intensity aerobic exercise program and effect on cardiovascular risk of sedentary workers at a health center: a randomized controlled study.
Palavras-chave em inglês
Aerobic exercise
Blood pressure
Heart risk
Presenteeism
Public servers
Resumo em inglês
Epidemiological studies show an association between increased levels of physical activity and reduced all-cause mortality, cardiovascular disease, and cancer in adults and the elderly. Increased levels of physical activity are associated with improved presenteeism and, consequently, higher productivity at work. Objective: To evaluate: the adhesion of the public servants of the School Health Center to the high intensity interval training. The effect of randomized high - intensity interval aerobic training on blood pressure, functional capacity, body composition, metabolic parameters, and presentism of public servants at the School Health Center. Methods: The study was approved by the Research Ethics Committee (CEP / CSE-FMRP-USP - 161/2012). The study was scheduled to run in 2 phases: in phase 1 all subjects were invited to training and in phase 2 subjects were randomized to Aerobic Training and Control. In phase 1, 77 independent volunteers (79% women) were selected for high intensity interval aerobic training. Subjects were previously assessed with exercise testing and excluded volunteers with blood pressure (BP) greater than 160/105 mmHg and / or heart disease that contraindicated high-intensity exercise. The sessions were held three times a week for 10 weeks on a 30-minute treadmill and 24-hour ambulatory blood pressure monitoring (ABPM) was performed before and after the protocol. In phase 2, 48 subjects were randomized into Control (C) and Aerobic Training (AT) groups that were evaluated by: the measurement of blood pressure at rest; by ABPM; electrical bioimpedance (BIA); body mass index (BMI), waist circumference (WC); asting glucose, total cholesterol and fractions; Global risk score (GRS) and Death from cardiovascular disease (DCVD); VO2max and presentism (WLQ) before all sessions and one day after the end of the 10 weeks of training. Statistical analysis: Descriptive analysis and qualitative parameters were evaluated by Chi-square test. Comparison of quantitative parameters before and after the training period in groups AT and C was obtained by two-way ANOVA and data regarding ambulatory BP monitoring were analyzed by the linear mixed effects model. The program used was SSPS 23.0 and the significance level was <0.05. Results: Phase 1: Regarding the evaluation of adherence, we observed: 65 (84.4%) started the training, with 80% female; 37 lost follow-up; 28 completed the 30 training sessions and only 18 (12 women) performed all final exams. Calculating the adherence rate of men and women who completed the 30 training sessions in relation to the total of men and women selected for the study, we observed 56.2% of adherence in men and 31.1% in women (p <0.001) , and when we analyzed the volunteers who completed the 30 sessions and did all the final exams, 37.5% men and 19.7% women (p <0.001). Analyzing the effect of exercise for SBP 24h before 123.5 / 10 mmHg versus after 119.5 / 9.2 mmHg; DBP 24h 76.9 / 5.3 mmHg versus 73.5 / 5.7 mmHg; WC: 94.3 / 11.9 cm versus 89.5 / 13.1 cm and 92.1 / 14.9 cm versus 88.5 / 14 cm, it was significant with p?0.05. Blood fasting glucose, lipid profile, body composition, BMI and VO2max were not significant at the time after training compared to baseline In phase 2, 43 volunteers were selected who were randomized to C group (control n = 21) TA group (aerobic training n = 22) (67% women) and completed the protocol. The mean age was 43.9 / 12 years, the pre and post training values were, respectively, for the following variables: 24h SBP C: 118,1/9,2 mmHg vs 119,6/9,5 mmHg; AT: 121,6/10 mmHg vs 118,4/8,8 mmHg (p=0,62); Awake SBP C: 122,6/11,7 mmHg vs 122,8/10,5 mmHg; AT: 125,1/9,7 mmHg vs 119,8/10,8 mmHg (p=0,01); Sleep SBP C: 110,8/8,6 mmHg vs 112,5/11 mmHg; AT: 113,9/810,6 mmHg vs 112,1/9,1 mmHg (p=0,77); 24 h DBP C:73/6,4 mmHg vs 73,6/8,0 mmHg; AT:75,3/9,0 mmHg vs 73,6/8,9 mmHg (p?0,05); Awake DBP C: 77,6/9,7 mmHg vs 76,9/9,2 mmHg; AT: 79,9/11,1 mmHg vs 75,6/10,1 mmHg (p?0,01); Sleep DBP C: 64,4/6,5 mmHg vs 66,4/8,4 mmHg; AT: 66,9/10,2 mmHg vs 65,6/9,8 mmHg (p=0,80); Waist C: 87,7/10,7 cm vs 86,9/10,2 cm; AT: 87,6/11,8 cm vs 85,2/10,2 cm (p=0,94); BMI C: 28,8/4,3 Kg/m2 vs 28,8/4,3 Kg/m2; AT: 28,1/5,0 Kg/m2 vs 27,6/4,8 Kg/m2 (p=0,78); estimated VO2 C: 39,1/5,0 vs 39,1/5,0 (mL/Kg min); AT: 38,4/5,0 vs 42,9/6,5 (mL/Kg min) (p<0,001); GRS C: 6,1/5,3 points vs 5,1/5,3; AT: 9/6,7 points vs 5,4/5,4 (p=0,84); DCVD C: 11, 9/7,1% vs 11,9/5,5%; TA: 11,7/7,4% vs 10/6,0% (p=0,40), and e presentism by WLQ Index C: 2,3/1,8 vs 2,6/2,4; AT: 1,5/1,6 vs 1,0/1,0 (p=0,02). Conclusion: After 10 weeks of training, we observed that the adherence of male volunteers was higher than women. There was a significant reduction in SBP in the wakefulness period in favor of the AT group, concomitantly with an increase in VO2 max, with no change in BMI and waist. There was an improvement in the presentism in the group of employees undergoing aerobic training.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-04-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.