• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.17.2020.tde-08012020-111716
Documento
Autor
Nome completo
Lucas Chaves
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2019
Orientador
Banca examinadora
Rodrigues, Fernando Bellissimo (Presidente)
Lima, Denissani Aparecida Ferrari dos Santos
Santana, Rodrigo de Carvalho
Título em português
Uso da filtragem de líquido ascítico como forma de otimizar o diagnóstico microbiológico da Peritonite Bacteriana Espontânea em portadores de cirrose hepática
Palavras-chave em português
Cirrose hepática
Diagnóstico microbiológico
Filtragem do líquido ascítico
Peritonite Bacteriana Espontânea
Resumo em português
A Peritonite Bacteriana Espontânea (PBE) é atualmente a complicação infecciosa mais frequente em indivíduos com cirrose hepática e ascite. A PBE é comumente subdiagnosticada dada a manifestação clínica habitualmente inespecífica com que ela se apresenta. Em face disso, a análise citológica do líquido ascítico a partir da paracentese diagnóstica constitui um recurso diagnóstico indispensável para confirmar a presença de PBE. Contagens superiores a 250 polimorfonucleares/mm³ no líquido ascítico na presença ou não de culturas positivas estabelecem o diagnóstico. Em menos de 40% dos casos a cultura do líquido ascítico é positiva, acarretando uma terapia empírica que resultam comumente em subtratamento ou supertratamento, induzindo inapropriadamente a resistência bacteriana. Assim, o presente trabalho procurou através de um estudo experimental laboratorial padronizar e, verificar a viabilidade técnica da filtragem a vácuo do líquido ascítico como forma de otimizar o diagnóstico microbiológico da PBE. A padronização da técnica inicialmente pode ser verificada em ensaios pilotos e a viabilidade da técnica foi confirmada por meio do processamento do líquido ascítico daqueles pacientes que apresentaram confirmação citológica para PBE. Foram incluídos 36 pacientes com cirrose hepática, atendidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCFMRP-USP) no período de novembro de 2017 a junho de 2019. Dentre eles, 17 (47,2%) apresentaram citologia compatível com PBE e, nesses últimos, a cultura pelo método semi-automatizado foi positiva em 6 casos (35,3%) e pelo método de filtragem a vácuo do líquido ascítico em 2 casos (11,8%). Conclui-se que a filtragem à vácuo não eleva a sensibilidade do diagnóstico microbiológico da PBE em relação ao método padrão. Por esse motivo é necessário o desenvolvimento de novas técnicas que aprimorem esse diagnóstico, de modo a nortear a terapia antimicrobiana nos pacientes acometidos por essa grave infecção.
Título em inglês
Use of ascitic fluid filtration as way to improve the microbiologic diagnosis of Spontaneous Bacterial Peritonitis in patients withcirhosis
Palavras-chave em inglês
Ascitic fluid vacum filtration
Cirrhosis
Microbiological diagnosis
Spontaneous Bacterial Peritonitis
Resumo em inglês
Nowadays, Spontaneous Bacterial Peritonitis (SBP) is the most common infection in individuals with liver cirrhosis and ascites. SBP is commonly underdiagnosed, usually given the nonspecific clinical manifestation. On the face of it cytological analysis from diagnostic paracentesis constitutes an indispensable diagnostic resource to confirm the presence of SBP or discard it. Counts greater than 250 polymorphonuclear cells / mm³ in ascites fluid in the presence or absence of positive cultures establish the diagnosis. In less than 40% of cases ascitic fluid culture is positive, leading to empirical antibiotocoteraphy commonly resulting in undertreatment or overteatment, inappropiately inducing bacterial resistance. So, the present study trough experimental laboratory analysis tried to standardize and verify the technical feasibility of vacuum filtration of ascitic liquid as a way to improve the microbiological diagnosis of SBP. The standardization of the technique could initially be verified in pilot trials and the feasibility of the technique was confirmed by ascitic fluid processing of those patients who presented cytological confirmation for SBP. This study included 36 patients with liver cirrhosis who were consulted at Ribeirão Preto Medical School, University of São Paulo, from November 2017 to June 2019. Among them, 17 (47.2%) presented cytology compatible with SBP and, in the latter, culture by the semi-automated method was positive in 6 cases (35.3%) and by the vacuum filtration method of ascitic fluid in 2 cases (11.8%). In conclusion, vacuum filtration does not increase the sensitivity of SBP microbiological diagnosis in relation to the standard method. For this reason, it is necessary to develop new techniques to diagnostic improvement in order to guide antimicrobial therapy in patients affected by this severe bacterial infection.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LucasChavesCO.pdf (1.69 Mbytes)
Data de Publicação
2020-04-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.