• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2017.tde-03082016-085521
Documento
Autor
Nome completo
Gabriela Natália Ferracini
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2012
Orientador
Banca examinadora
Speziali, José Geraldo (Presidente)
Grossi, Debora Bevilaqua
Rodrigues, Marcelo Masruha
Título em português
Limiar de dor a pressão, impacto e qualidade de vida relacionada à saúde em crianças com migrânea
Palavras-chave em português
Cefaleia
Crianças
Migrânea
Qualidade de vida
Resumo em português
Objetivos: O objetivo deste estudo foi avaliar o limiar de dor a pressão (LDP) em crianças com migrânea, o impacto da cefaleia e a qualidade de vida relacionada a saúde. Métodos: Compuseram a amostra 50 crianças com migrânea sem aura de ambos os gêneros de 6 a 12 anos de idade que estavam em atendimento no Ambulatório de Cefaleia Infantil e 50 crianças sem diagnóstico de migrânea ou outro tipo de cefaleia há pelo menos 3 meses que estavam em acompanhamento no Ambulatório de Problemas de Crescimento e Desenvolvimento do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, em 2010 e 2011. O LDP foi avaliado com a utilização de um algômetro digital em 9 pontos anatômicos bilaterais (total 18), determinados pelo Colégio Americano de Reumatologia. Para verificação do impacto da cefaleia na vida destas crianças foi aplicado o questionário PedMIDAS (Pediatric Migraine Disability Score) e para qualidade de vida relacionada a saúde foi aplicado o questionário PedsQL4.0 (Pediatric Quality of Life InventoryTM) nas crianças e nos pais. Na análise estatística foi utilizado o modelo linear de efeitos mistos (efeitos aleatórios e fixos) e o coeficiente de correlação de Sperman (?). Resultados: Os resultados mostram que em se somando todas as regiões corporais avaliadas, não foi possível detectar diferença do LDP entre as crianças com migrânea e as do grupo controle. Entretanto quando os grupos foram descriminados pelo gênero, tanto as garotas quanto os garotos com migrânea apresentam LDP baixo em pelo menos uma região avaliada, do que os garotos e garotas sem cefaleia. O LDP foi baixo em um ponto cefálico (musculatura suboccipital) e um ponto extracefálico (aspecto anterior de C5-C7) nas crianças com migrânea. O ponto cefálico obteve LDP baixo em relação aos pontos extracefálicos, em ambos os grupos, exceto a região de segundo espaço intercostal. A cefaleia interfere nas atividades diárias, principalmente escolar, das crianças com migrânea, independente do gênero. E a qualidade de vida relacionada à saúde não se apresentou pior em crianças com migrânea comparadas com as sem cefaleia, pela percepção das crianças. Mas pela percepção dos pais, a qualidade de vida relacionada á saúde é pior em crianças com migrânea. Nenhuma correlação foi encontrada entre: LDP e dias perdidos devido à cefaleia, LDP e qualidade de vida. Conclusões: Este estudo demonstrou que a migrânea não está associada com dor muscular generalizada, mas que interfere nas atividades diárias, principalmente na escolar, independentemente do gênero. Pela percepção dos pais a qualidade de vida relacionada á saúde é pior em crianças com migrânea que nos controles.
Título em inglês
Pressure pain threshold, impact and health-related quality of life of children with migraine
Palavras-chave em inglês
Children
Headache
Migraine
Quality of life
Resumo em inglês
Objectives: The objective of the present study was to assess the pressure pain threshold (PPT) of children with headache and the impact of headache on healthrelated quality of life. Methods: The sample consisted of 50 children of both genders aged 6 to 12 years with migraine without aura, who were being followed up at the Childhood Headache Outpatient Clinic and 50 children without a diagnosis of migraine or other headache for at least 3 months who were being followed up at the Growth and Dveleopment Problems Outpatient Clinic of the University Hospital, Faculty of Medicine of Ribeirão Preto, in 2010 and 2011. The PPT was evaluated using a digital algometer at 9 bilateral points (a total of 18) determined by the American College of Rheumatology. The Pediatric Migraine Disability Score (PedMIDAS) questionnaire was applied to determine the impact of headache on the life of these children and the Pediatric Quality of Life InventoryTM (PedsQL4.0) questionnaire was applied to determine the quality of life related to health in children and parents. The statistical analysis used the linear mixed effects (random and fixed effects) and the Spearman correlation coefficient (?). Results: The results showed that, when all the body regions evaluated were summed, it was not possible to detect a difference in PPT between children with migraine and controls. However, when the groups were discriminated by gender, both the girls and the boys with migraine presented a lower PPT in at least one of the regions evaluated than boys and girls without headache. The PPT was lower in a cephalic point (suboccipital musculature) and in an extracephalic point (anterior aspect of C5-C7) in children with migraine. The PPT was lower in the cephalic point compared to the extracephalic points in both groups, except for the region of the second intercostal space. Headache interferes with the daily activities, mainly school ones, of children with migraine regardless of gender. And, according to the perception of the children, the health-related quality of life was not worse in children with migraine compared to children without it. However, compared to the perception of the parentes, the health-related quality of life is worse in children with migraine. No correlation was detected between PPT and days lost due to headache, or between PPT and quality of life. Conclusions: The present study demonstrated that migraine was not associated with generalized muscle pain but interfered with daily activities, mainly school ones, regardless of gender. According to the perception of the parents, health-related quality of life is worse in children with migraine than in controls.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-03-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.