• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Marcos Roberto Tovani Palone
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2019
Orientador
Banca examinadora
Ramalho, Leandra Naira Zambelli (Presidente)
Chahud, Fernando
Donadi, Eduardo Antonio
Santana, Luisiane de Avila
Título em português
Caracterização da expressão fisiológica do antígeno leucocitário humano G em órgãos humanos fetais e adultos
Palavras-chave em português
Antígeno leucocitário humano
Fisiologia
Gestação
Tolerância imune
Transplante
Resumo em português
O antígeno leucocitário humano (HLA)-G corresponde a uma molécula não clássica de classe I do complexo principal de histocompatibilidade. Segundo a literatura, tal molécula pode ser expressa em ambos os contextos patológico e fisiológico. Diversos autores têm apresentado evidências acerca do papel do HLA-G na tolerância imune do feto durante a gestação, bem como para o sucesso de alotransplantes. No entanto, até o momento, há poucas informações publicadas a respeito da expressão fisiológica dessa molécula nos diferentes órgãos humanos. Em acréscimo a isso, a participação do HLA-G em eventos fisiológicos é ainda um assunto controverso entre cientistas. Tendo em vista o exposto, o objetivo desse estudo foi investigar a expressão da proteína HLA-G em órgãos fetais durante o progredir da gestação, bem como em órgãos adultos. Trata-se de um estudo descritivo, comparativo, transversal e retrospectivo realizado com base na revisão de prontuários e análise de necropsias/biópsias de diferentes órgãos de fetos e adultos através do método de imunohistoquímica. Os resultados demonstraram a existência de diferença estatística significativa na imunomarcação da proteína HLA-G em glândulas adrenais (p= 0,0003), baço (p= 0,0276), coração (p= 0,0474), fígado (p= 0,0052), pulmões (p = 0,0367), rins (p = 0,0377) e timo (p= 0,0336) na comparação entre o primeiro e segundo trimestre gestacional; em glândulas adrenais (p= 0,0329), baço (p= 0,0095), pâncreas (p= 0,0009) e placenta (p= 0,0285) na comparação entre o segundo e terceiro trimestre gestacional; e no coração (p= 0,0304), fígado (p= 0,0055), pulmões (p= 0,0150) e rins (p= 0,0312) na comparação entre o terceiro trimestre gestacional e a fase adulta. Foi verificado um aumento na expressão do HLA-G fetal a partir do segundo trimestre gestacional em órgãos como glândulas adrenais, coração, fígado, rins, timo e pulmões. Entretanto, isso não foi uma constante, pois em outros, a exemplo do baço, pâncreas e placenta, não observouse essa tendência durante o mesmo período. Durante o terceiro trimestre gestacional e a fase adulta evidenciou-se valores mais elevados para a expressão do HLA-G nos rins, e valores bastante inferiores no fígado. A expressão fisiológica do HLA-G embora positiva em todos os órgãos avaliados, nos três trimestres gestacionais e/ou na fase adulta, apresentou diferenças na intensidade e localização nos diferentes órgãos e períodos. Os achados a partir dessa pesquisa certamente representam uma importante contribuição para um melhor entendimento do mecanismo gestacional, assim como da fisiologia do HLA-G em adultos, sobretudo no que concerne o estabelecimento da tolerância imunológica em transplante de órgãos
Título em inglês
Characterization of the physiological expression of human leukocyte antigen-G in fetal and adult human organs
Palavras-chave em inglês
Human leukocyte antigen
Physiology , Immune tolerance
Pregnancy
Transplantation
Resumo em inglês
Human leukocyte antigen (HLA)-G is a nonclassical class I major histocompatibility complex molecule. According to the literature, this molecule can be expressed in both pathological and physiological contexts. Several authors have presented evidence about the role of HLA-G in the immune tolerance of the fetus during pregnancy, as well as for the success of allotransplants. However, until now, there are very few published data regarding the physiological expression of this molecule in different human organs. Moreover, the role of HLA-G in physiological events is still a controversial subject among scientists. In view of the above, the objective of this study was to investigate the expression of HLA-G protein in fetal organs during the progression of gestation, as well as in adult organs. This was a descriptive, comparative, cross-sectional and retrospective study based on the review of medical records and immunohistochemical analysis of different organs of fetuses and adult people. The results showed a statistically significant difference in the immunostaining of HLA-G protein in adrenal glands (p = 0.0003), spleen (p = 0.0276), heart (p = 0.0474), liver (p = 0.0367), kidneys (p = 0.0377) and thymus (p = 0.0336) in the comparison between the first and second gestational trimesters; in adrenal glands (p = 0.0329), spleen (p = 0.0095), pancreas (p = 0.0009) and placenta (p = 0.0285) in the comparison between the second and third gestational trimesters; and in the heart (p = 0.0304), liver (p = 0.0055), lungs (p = 0.0150) and kidneys (p = 0.0312) in the comparison between the third gestational trimester and the adult phase. An increase of fetal HLA-G expression was observed from the second gestational trimester in organs such as adrenal glands, heart, liver, kidneys, thymus and lungs. However, this was not a constant finding, since in other organs including spleen, pancreas and placenta, this trend was not observed during the same period. During the third gestational trimester and the adult phase, higher values for HLA-G expression in the kidneys and much lower values in the liver were observed. Although the physiological expression of HLA-G has been positive in all evaluated organs (in the three gestational trimesters and/or in adulthood), it showed differences in its intensity and location in the different organs and periods. The findings from this research certainly represent an important contribution to a better understanding of the gestational mechanism, as well as on the physiology of HLA-G in adults, especially regarding the establishment of immunological tolerance in organ transplantation
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-09-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.