• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2016.tde-28072016-090223
Documento
Autor
Nome completo
Patrícia Oliveira Benetolo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2016
Orientador
Banca examinadora
Sawamura, Regina (Presidente)
Cardoso, Viviane Cunha
Porta, Gilda
Título em português
Avaliação da doença hepática gordurosa não alcoólica pelo uso da ressonância nuclear magnética em crianças e adolescentes obesos
Palavras-chave em português
crianças e adolescentes com obesidade
doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA)
esteatose hepática
ressonância nuclear magnética
Resumo em português
Introdução: A obesidade é uma doença crônica que aumenta sua prevalência progressivamente no mundo todo. Uma das suas principais complicações é a doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), que pode apresentar-se de forma assintomática, com esteatose hepática, esteato-hepatite, cirrose e hepatocarcinoma. Está associada à dislipidemia, hipertensão, diabetes, síndrome metabólica e resistência insulínica. O padrão ouro para seu diagnóstico é a biopsia hepática, considerado método invasivo. Medidas indiretas são usadas para auxiliar na sua detecção, como dados do exame físico, exames de bioquímica e de imagem. Objetivo: Diagnosticar DHGNA usando a ressonância nuclear magnética (RNM) como método não invasivo, correlacionando-a com achados clínicos e laboratoriais. Metodologia: Estudo transversal de 50 crianças e adolescentes seguidas no Ambulatório de Obesidade do Hospital das Clínicas da FMRP-USP. Foram submetidas à questionário sobre histórico pessoal e familiar, à exame físico, exames laboratoriais (lipidograma, transaminases, glicemia e insulina basal) e RNM de abdome para cálculo da de gordura hepática, visceral e subcutânea. Resultados: Diagnosticado esteatose hepática em 14 (28%) dos participantes, sendo 8 com esteatose grave (porcentagem de gordura >18%) e 4 não grave (porcentagem gordura hepática entre 9 e 18%). Houve diferença estatisticamente significante entre a gordura hepática detectada pela RNM e o gênero masculino, triglicérides, TGO, TGP, relação TGO/TGP e acantose nigricans. O cálculo do Homeostasis Model Assessment Insulin Resistance (HOMA-IR) e da síndrome metabólica não apresentaram relação positiva com a porcentagem de gordura hepática. Conclusão: A frequência de esteatose hepática, utilizando a RNM como ferramenta diagnóstica, foi inferior à encontrada na literatura. Dos parâmetros estudados, os melhores preditores de esteatose hepática foram triglicérides, TGO, TGP, relação TGO/TGP, gênero masculino, acantose nigricans e Z escore para IMC elevado
Título em inglês
Evaluation of Non alcoholic fatty liver disease by MRI in children and obese adolescents
Palavras-chave em inglês
fatty liver
MRI
non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD)
obese children and adolescents
Resumo em inglês
Introduction: Obesity is a chronic disease whose prevalence progressively increasing worldwide. One of its main complications is non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD), which may occur in an asymptomatic form, as simple fatty liver, steatohepatites (NASH), cirrhosis and hepatocellular carcinoma. This disease is associated with dyslipidemia, hypertension, diabetes, metabolic syndrome and insulin resistance. The gold standard for diagnosis is a liver biopsy, considered to be an invasive method. Indirect measures are used to aid its diagnosis, such as physical, biochemical and imaging tests. Objective: Diagnosing NAFLD using MRI as non-invasive method and correlating it with clinical and laboratory findings. Methodology: A cross-sectional study of 50 children and adolescents followed at the Obesity clinic of the University Hospital, FMRP-USP. A questionnaire about personal and family history was aplplied and each subject was submitted to physical examination, laboratory tests (lipip profile, transaminases, glycemia and basal insulin) and magnetic resonance imaging (MRI) of the abdomen for calculation of hepatic, visceral and subcutaneous fat. Results: Fatty liver disease was diagnosed in 14 (28%) of the participants, 8 of them with severe steatosis (fat percentage > 18%) and 4 with milder steatosis (fat percentage between 9 and 18%). There was a statistically significant difference between the hepatic fat detected by MRI and male gender, triglycerides, AST, ALT, AST/ALT ratio and acanthosis nigricans. The calculation of the Homeostasis Model Assessment Insulin Resistance (HOMA-IR) and of the metabolic syndrome did not show a positive relationship with the percentage of hepatic fat. Conclusion: The frequency of hepatic steatosis using MRI as a diagnostic tool, was lower than the values reported in the literature. Among the parameters studied, the best predictors of liver steatosis were triglycerides, AST, ALT, AST/ALT ratio, male gender, acanthosis nigricans and Z score for high body mass index
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-11-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.