• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2017.tde-12012017-140419
Documento
Autor
Nome completo
Juliana Escher Toller Kawahisa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2012
Orientador
Banca examinadora
Machado, Cleni Mara Marzocchi (Presidente)
Louzada Júnior, Paulo
Reason, Iara José de Messias
Título em português
Associação dos polimorfismos dos FcγR e do CR3 no lúpus eritematoso sistêmico e sua influência no burst oxidativo dos neutrófilos
Palavras-chave em português
Burst oxidativo
Lúpus eritematoso sistêmico
Neutrófilos
Polimorfismo
Receptor Fcy
Receptores para complemento
Resumo em português
As infecções constituem a principal causa de morbidade e mortalidade em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES), representando 20-55% das mortes e sendo 80% delas causadas por bactérias. O LES é uma doença autoimune inflamatória crônica e a suscetibilidade às infecções está associada às próprias anormalidades imunológicas da doença, bem como a sua terapia, particularmente imunossupressora e citotóxica. Além disso, os polimorfismos genéticos dos Fc?R, Fc?RIIa e Fc?RIIIb, nos neutrófilos, têm sido associados com as disfunções imunes do LES.Os Fc?R são importantes mediadores das funções efetoras do neutrófilo e atuam em sinergismo com os CR. O polimorfismo dos genes FCGR2A e FCGR3B determina a expressão de variantes alélicas com diferenças funcionais, as quais podem influenciar as respostas biológicas e a suscetibilidade e o prognóstico das doenças infecciosas.O objetivo deste estudo foi avaliar a influência dos polimorfismos dos receptores Fc?RIIa (H/R131), Fc?RIIIb (HNA-1a, HNA-1b e HNA-1c) e CR3 (HNA-4a) no burst oxidativo de neutrófilos de pacientes com LES.Neutrófilos de pacientes com LES (n=36) e indivíduos saudáveis (n=36) foram purificados do sangue periférico (0.5x106/500µL) e estimulados com 30µg de IC, IC/soro humano normal (SHN), IC/SHN inativado ou PMA 10-7M. O burst oxidativo foi medido por quimioluminescência (QL) na presenca de luminol 10-4M ou lucigenina 10-4M. As frequências dos genótipos de Fc?RIIa, Fc?RIIIb e HNA-4a em pacientes com LES (n=157) e indivíduos saudáveis (n=147) foram determinadas por PCR com primers oligoespecíficos e gel de agarose 2%.Quanto aos polimorfismos genéticos, foi observado que o alelo positivo de HNA-4a contribui para a proteção e o alelo negativo para a suscetibilidade ao LES. Entre os pacientes com LES, as infecções foram mais frequentes quando os alelos R131 de FCGR2A, HNA-1b de FCGR3B e HNA-4a positivo do CR3 estavam presentes. Para o burst oxidativo com luminol, no grupo controle, as homozigoses H131, HNA-1b e HNA-4a negativo foram associadas à redução do burst oxidativo dos neutrófilos comparado às homozigoses para os respectivos alelos correspondentes. No LES, o burst oxidativo foi maior na homozigose R131 do grupo LES inativo comparado ao homozigoto H131 controle; menor na homozigose HNA-1b do grupo LES ativo comparado ao homozigoto HNA-1a do controle e, também, na heterozigose HNA-4a positivo/negativo o burst foi menor no grupo LES ativo comparado ao LES inativo. A ausência de diferenças entre os grupos com LES e controle, nos ensaios de burst oxidativo com lucigenina e com PMA, sugerem que a NADPH oxidase, responsável pela geração do burst oxidativo, não está comprometida nos neutrófilos dos pacientes com LES. Esses resultados têm implicações para a fisiopatologia do LES e, sobretudo, reforçam a hipótese de que os polimorfismos dos FCGR2A, FCGR3B e HNA-4a modulam o burst oxidativo de neutrófilos nos indivíduos saudáveis e no LES. Assim, o presente estudo contribui para o entendimento das anormalidades nas funções dos neutrófilos no LES.
Título em inglês
Association of FcyR and CR3 polymorphisms in systemic lupus erythematosus and their influence on the neutrophil oxidative burst
Palavras-chave em inglês
Complement receptors
Lupus erythematosus
Neutrophils Fcy receptor
Oxidative burst
Polymorphism
Resumo em inglês
Infections represent 20-55% of all deaths in patients with systemic lupus erythematosus (SLE). About 80% of them are caused by bacteria. SLE is an autoimmune disease in whichdisease-related and genetic factors and immunosuppressive and cytotoxic therapies all contributeto an increased susceptibility to infections.Recent data have provided evidence that genetic polymorphism of Fc?R is associated withimmune abnormalities and risk to development of SLE.Fc?R can mediate neutrophil effector functions and play a synergistic action with CR. Fc?RIIaand Fc?RIIIb display functionally relevant genetic polymorphisms, which allelic variants caninfluence the biological responses and the susceptibility to and course of infectious diseases.The aim of this study was to investigate the influence of the Fc?RIIa (H/R131), Fc?RIIIb (HNA- 1a, HNA-1b and HNA-1c) and CR3 (HNA-4a) polymorphisms on neutrophil oxidative burst of SLE patients. Neutrophils of SLE patients (n=36) and control individuals (n=36) were purified from peripheral blood (0.5x106/500µL) in Hanks 0.1% gelatin pH7.2 and were stimulated with 30µg of immune complexes (IC), IC/normal human serum (NHS), IC/heat-inactivated NHS (iNHS) or PMA 10-7M. The oxidative burst was measured by chemiluminescence (CL) in the presence of luminol 10-4M or lucigenin 10- 4 M. The reaction was monitored in a luminometer at 37ºC for 20min and the results were analyzed as the area under the curve of the CL profile. Genotype frequencies of Fc?RIIa, Fc?RIIIb and HNA-4a alleles for SLE patients (n=157) and for healthy subjects (n=147) were determined using PCR with sequence-specific primers and agarose gel 2%. It was observed that the HNA-4a positive allele contributes to the protection and the negative allele contributes to susceptibility to SLE. Among patients with SLE, infections were more frequent when the alleles R131 of FCGR2A, HNA-1b of FCGR3B and HNA-4a positive of CR3 were present. For the oxidative burst with luminol in the control group, the homozygous H131, HNA-1b and HNA-4a negative were associated with reduced oxidative burst of neutrophils compared to homozygous to their corresponding alleles. In SLE, the oxidative burst was higher in homozygous R131 inactive SLE group compared to the homozygous H131 control; it was also lower in homozygous HNA-1b active SLE group than homozygous HNA-1a control and either in the heterozygous HNA-4a positive/negative active SLE compared to inactive SLE group. The absence of differences between the SLE and control groups in the oxidative burst assays, using lucigenin and PMA, suggests that NADPH oxidase, responsible for generating the oxidative burst, is not impaired in neutrophils from patients with SLE. These results have implications for the pathophysiology of SLE and, above all, support the hypothesis that polymorphisms of FCGR2A, FCGR3B and HNA-4a modulate the oxidative burst of neutrophils in healthy and in SLE. Thus, this study contributes to the understanding of abnormalities in neutrophil functions in SLE.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Ju.pdf (1.80 Mbytes)
Data de Publicação
2017-04-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.