• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.17.2006.tde-26012011-074512
Documento
Autor
Nome completo
Rute Grossi Milani
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2006
Orientador
Banca examinadora
Loureiro, Sonia Regina (Presidente)
Bazon, Marina Rezende
Marturano, Edna Maria
Romanelli, Geraldo
Williams, Lucia Cavalcanti de Albuquerque
Título em português
Violência doméstica: recursos e adversidades de crianças e famílias pós ações do Conselho Tutelar
Palavras-chave em português
Autoconceito
Comportamento
Desempenho Escolar e Ambiente Familiar
Stress
Violência Familiar
Resumo em português
A violência doméstica tem sido considerada uma condição de risco psicossocial ao desenvolvimento infantil. Em nosso meio, é obrigatória a notificação dessa forma de violência ao Conselho Tutelar. Objetivou-se avaliar as variáveis pessoais de crianças que, há três anos, foram identificadas como estando em risco psicossocial, associado à violência doméstica, o que implicou em medidas legais junto ao Conselho Tutelar. Propô-se analisar os elementos de proteção a tal situação de risco, integrando as informações relativas às crianças com as do ambiente familiar, enquanto recursos e adversidades. Foram avaliadas 40 crianças, de ambos os sexos, de oito a 12 anos incompletos, que residiam com pelo menos um dos pais biológicos, divididas em dois grupos. G1: 20 crianças (grupo com história de risco psicossocial associado à violência doméstica), que receberam medidas do Conselho Tutelar há três anos; G2: 20 crianças (grupo de comparação), sem história de risco psicossocial relatada. Para a seleção dos participantes, foi aplicado às crianças o Teste das Matrizes Progressivas Coloridas de Raven e, com os pais, realizou-se, individualmente, uma entrevista semi-estruturada visando a investigar aspectos do cuidado com a criança e história prévia de atendimento pelo Conselho Tutelar. Para a coleta de dados junto às crianças, foram aplicadas a Escala de Stress Infantil, a Escala Infantil Piers-Harris de Autoconceito e o Teste de Desempenho Escolar. Os responsáveis responderam à Escala Comportamental Infantil de Rutter, ao Inventário de Recursos no Ambiente Familiar, à Escala de Eventos Adversos e ao Critério de Classificação Socioeconômica. Procedeu-se às análises de comparação dos grupos, através do teste paramétrico t de student ou do teste não-paramétrico U de Mann-Whitney, Teste Exato de Fisher e/ou Teste do Qui-quadrado (X2), e a integração dos dados, pelos testes de correlação univariada e análise de regressão logística, considerando um p < 0,05. Observaram-se diferenças significativas entre os grupos tanto para as variáveis das crianças como para as do ambiente familiar. Com relação às variáveis pessoais das crianças, as do G1 foram referidas pelas mães como apresentando maior dificuldade de comportamento e maior necessidade de cuidados especializados do que as do G2. As crianças do G1 se autoperceberam com um autoconceito mais negativo na área comportamento e apresentaram mais dificuldade no desempenho escolar na área de escrita. Quanto às características do ambiente familiar, observaram-se diferenças significativas quanto à ocorrência de adversidades, particularmente, a adversidade parental. Com relação aos recursos do ambiente familiar, observaram-se, para ambos os grupos, recursos semelhantes, entretanto, as correlações entre recursos do ambiente familiar e variáveis da criança sugeriram um melhor aproveitamento destes recursos pelas crianças sem história de risco psicossocial relatada. Concluiu-se que as crianças e as famílias se encontram em condições de vulnerabilidade, o que pode estar dificultando, para as crianças, a realização das tarefas evolutivas próprias da idade escolar. A atuação do Conselho Tutelar teve um caráter pontual, como um disparador de ações da rede de serviço de apoio. Contudo os dados evidenciam a necessidade de dar continuidade às medidas de saúde mental, preventivas e de seguimento, para as crianças e famílias.
Título em inglês
Domestic violence: childrens and families resources and adversities after the Child Protection Agencys actions
Palavras-chave em inglês
Behavior
Familiar Environment.
Familiar Violence
School Achievement
Self-concept
Stress
Resumo em inglês
Domestic violence has been regarded as a condition of psychosocial risk to the childs development. In our midst, it is mandatory to notify the Child Protection Agency of this type of violence. The present work aimed to assess the personal variables of children who, three years ago, were identified as being in psychosocial risk, associated with domestic violence, which implicated in legal actions with the Child Protection Agency. The elements of protection associated with such risk situation were analyzed, integrating the information related to the children with the variables from the familiar environment, when resources and adversities. 40 children were assessed, girls and boys, at the age of eight to twelve. They were divided in two groups: G1, with 20 children (group with a history of psychosocial risk associated with familiar violence) who received measures from the Child Protection Agency three years ago; and G2, with 20 children (control group) without a related history of psychosocial risk. In order to select the participants, The Raven Colored Progressive Matrices Test was administered to the children, and a semi-structured interview was carried out with the parents, individually, so as to investigate aspects of the care with the children and the precious history of assistance by the Child Protection Agency. To collect data from the children, the Child Stress Scale, Piers-Harris Children Self-Concept Scale and School Achievement Test were administered. The parents answered to Rutter Childrens Behavior Scale, the Familiar Environment Resources Inventory, the Adverse Events Scale, and the Criterion of Social-economic Classification. The analyses of comparison between the groups were performed, using the parametric test of t of student or the non-parametric test U of Mann-Whitney, Fishers Exact Test and/or Chi-square Test (X 2), and the data integration, through univariated correlation tests and the logistic regression analysis, considering a p < 0,05. Significant differences were observed between the groups for both the childrens and the familiar environment´s variables. As for the childrens personal variables, the ones from G1 were referred by the mothers as presenting greater difficulty with behavior than the ones in G2. The children in G1 perceive themselves with a more negative self-concept in behavior and presented more difficulty in school achievement in writing. As for the familiar environments characteristics, significant differences were observed as for the occurrence of adversities, particularly the parental one. Regarding the familiar environments resources, for both groups, similar resources were observed; however, the correlations between the familiar environments resources and the childrens variables suggested a better use of these resources by the children without a related history of psychosocial risk. It was concluded that the children and the families are found to be in a condition of vulnerability, which may be making it more difficult for the children to perform the developing tasks which are proper of school age. The action of the Child Protection Agency had an important character, as a trigger to the actions from the support net; however, the data show a need for the continuity of the mental health measures, which are preventive and follow-up, for the children and families.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
TESE.pdf (3.74 Mbytes)
Data de Publicação
2011-06-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.