• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2016.tde-05052016-202907
Documento
Autor
Nome completo
Milena Hohmann Antonacci
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2016
Orientador
Banca examinadora
Saeki, Toyoko (Presidente)
Cardoso, Carmen Lúcia
Fiorati, Regina Celia
Kantorski, Luciane Prado
Minelli, Massimiliano
Título em português
Avaliação de boas práticas em saúde mental na atenção psicossocial
Palavras-chave em português
Avaliação de serviços de saúde
Boa prática
Enfermagem psiquiátrica
Saúde mental
Serviço de saúde mental comunitário
Resumo em português
A partir do redirecionamento do modelo assistencial no Brasil emerge a necessidade de discussão da reinvenção de práticas alinhadas com o cenário de transformações. As práticas agora devem se desenvolver no sentido de superar o isolamento das grades, dos muros e das chaves, do apagamento do sujeito, da supressão de sintomas e das personalidades dos sujeitos em sofrimento psíquico. Diante disso, é que este estudo tem como objetivos avaliar boas práticas em saúde mental na atenção psicossocial no contexto de um município da região Sul do Brasil. Para tanto, organizou-se como uma pesquisa avaliativa construtivista, com enfoque responsivo, a medida que desenvolve um consenso critico entre os grupos de interesse. Está baseada na Avaliação de Quarta Geração, proposta por Guba e Lincoln (2011), que emerge como opção metodológica e se articula com o referencial teórico das "Boas Práticas em Saúde Mental Comunitária", proposto por Thornicroft e Tansella (2010). Este é apresentado de modo a identificar boas práticas na saúde mental, com base na articulação de 3 eixos indispensáveis e indissociáveis: a ética, como princípio fundamental que deverá orientar o planejamento, a assistência e a avaliação dos serviços. A evidência deve embasar as intervenções e serviços. E a experiência como uma evidência do que vem sendo produzido nas experiências locais e regionais de organização da rede de serviços. Como resultado do processo as práticas de Acolhimento, Projeto Terapêutico Singular e Transferência de Cuidados emergiram para discussão. O Acolhimento torna-se concreto nas ações da Porta Aberta, e significa escuta qualificada no momento em que a necessidade emerge, além de representar a oferta de atenção de qualidade baseada no processo relacional que fortalece o estabelecimento de vínculos e a construção de projetos de vida. O Projeto Terapêutico Singular apresenta-se como uma boa prática, a medida que é capaz de dar resposta singularizada e individualizada às necessidades do sujeito, de modo a oportunizar como resultado uma pessoa capaz de andar na vida. É definido de forma compartilhada entre equipe, usuário e família, segundo os objetivos terapêuticos para cada sujeito, e utiliza o técnico de referência, as mini equipes, as oficinas terapêuticas, os grupos terapêuticos, as assembleias, enfim, ofertas e propostas que permitem ao sujeito retomar o envolvimento com os espaços da cidade, no caminho da produção de vida. Com relação à Transferência de Cuidados, esta possibilita ao sujeito que vive o processo não só circular em uma rede de serviços, mas, acima de tudo, buscar, com suporte dela, sua emancipação. Para tanto, investe em práticas que estimulem a autonomia dos sujeitos, por meio de instrumentos como o Acompanhamento Terapêutico, Grupo de Apoio à Alta, espaços de decisões e discussões, estímulo à busca e resolução de problemas, atividades de reconhecimento dos espaços da cidade, transporte, cultura e lazer. Além disso, investe nas ações com a Atenção Básica, a partir do Apoio Matricial com processos de formação continuada com as equipes, e mapeamento da situação da saúde mental nos territórios. Ao final deste estudo, é possível concluir que o modelo de atenção psicossocial demonstrou potencialidade de produzir boas práticas na atenção à saúde mental, e que estas tem transformado a vida dos sujeitos em sofrimento psíquico, bem como tem auxiliado no processo de reconquista de espaços sociais
Título em inglês
Evaluation of best practices in mental health in psychosocial care
Palavras-chave em inglês
Best practice
Community mental health services
Health services evaluation
Mental health
Psychiatric nursing
Resumo em inglês
The redirection of the care model in Brazil raises the need to discuss the reinvention of practices in tune with the scenery of changes. The practices must now be developed in order to overcome the isolation of bars, walls and keys, the deletion of the subject, the suppression of symptoms and the personalities of individuals in psychological distress. Given this, the present study aims to evaluate best practices in mental health in psychosocial care in the context of a city in Southern Brazil. To do so, it is organized as a constructivist evaluation research, with a responsive approach, as it develops a critical consensus among stakeholdres. It is based on the Fourth Generation Evaluation, proposed by Guba and Lincoln (2011), which emerges as a methodological option and articulates with the theoretical framework of "Best Practice in Community Mental Health" proposed by Thornicroft and Tansella (2010). This one is presented in order to identify best practices in mental health based on the articulation of three indispensable and inseparable pillars: ethics, as a fundamental principle that should guide the planning, assistance and assessment of services; evidence, which must base the interventions and services; and experience, as an evidence of what is being produced in the local and regional experience of organizing network services. As a result of the process, Welcoming practices, Singular Therapeutic Project and Transfer of Care emerged for discussion. The Welcoming becomes concrete in the actions of the Porta Aberta project, and it means qualified hearing at the moment the need arises, besides representing the offer of quality care based on the relationship process that strengthens the bonds and the construction of life projects. The Singular Therapeutic Project is presented as best practice, as it is able to give individualized responses to the needs of the subject in order to create, as a result, a person who is able to walk through life. It is set in a shared manner among staff, user and family, according to the therapeutic goals for each subject, and it uses the reference technician (ou professional), the mini teams, therapeutic workshops, therapeutic groups, assemblies, in other words, any offers and proposals which allow the subject to resume the engagement with the spaces of the city, on the way to production of life. Regarding the Transfer of Care, it enables the person who lives the process not only to have access to a network of services but, above all, to seek their emancipation through its support. To do so, it invests in practices that encourage the subjects' autonomy, using instruments such as the Therapeutic Monitoring, Patient Discharge Support Group, spaces for decisions and discussions, motivation for searching and solving problems, recognition activities of city areas , transport, culture and leisure. In addition, it invests in actions with the Basic Health Care, based on the matrix support with processes of continuing education with the teams and mapping of the mental health situation in the territories. At the end of this study, the conclusion was that the psychosocial care model showed capability of producing best practices in mental health, and these have changed the lives of individuals in psychological distress, and have helped in the process of conquering social spaces again
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-05-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.