• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2010.tde-09032010-162738
Documento
Autor
Nome completo
Fernando Del Guerra Prota
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2010
Orientador
Banca examinadora
Saeki, Toyoko (Presidente)
Lourenço, Lara Cristina D'Avila
Santos, Manoel Antonio dos
Título em português
Estudos dos laços afetivos entre pais psicóticos e seus filhos: como seus filhos lidam com este "louco amor"?
Palavras-chave em português
psicanálise
psicose
relação pais e filhos
saúde mental
Resumo em português
O presente trabalho estudou os laços afetivos entre pais psicóticos e seus filhos a partir da análise do discurso desses últimos. Interessou-nos apreender que significados os filhos dão aos modos de amar e se relacionar dos pais com eles, à problemática psíquica dos genitores, à percepção da transmissão subjetiva entre as gerações e quais as conseqüências em suas vidas. Foram entrevistados dez filhos de pacientes psicóticos atendidos no Ambulatório de Saúde Mental de Ribeirão Preto ou no Grupo de Pacientes Bipolares do Hospital Dia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto - USP. As entrevistas foram semi-estruturadas, gravadas, transcritas e avaliadas pelo método de análise de conteúdo, tendo como marco teórico interpretativo a psicanálise lacaniana. Pôde-se verificar que no discurso dos filhos a significação dada aos genitores contém invariavelmente o que denominamos de "marcas do excesso": invasão, intransigência, rigidez, descontrole, agressividade e outras, significadas pelos entrevistados como um não reconhecimento de sua condição subjetiva e vivenciada com sentimentos de mágoa e ressentimento. Entretanto, verificamos que esta localização subjetiva dos pais não levou a um inchaço do imperativo superegoico nesses sujeitos. A significação "doente mental" esteve presente em todas as entrevistas, mas não se mostrou um bom mediador simbólico entre os sujeitos, ampliando suas ambivalências. Verificou-se, ainda, uma relação direta entre a preponderância da significação "doente mental" no discurso e a incapacidade do entrevistado de reconhecer uma transmissão subjetiva intergeracional. A partir destes dados questionamos as abordagens psicoeducacionais centradas na noção de doença mental, sendo necessária abordagem que valorize a intersubjetividade.
Título em inglês
Studies of affective bonds between psychotic parents and their children: how children deal with this "crazy love"?
Palavras-chave em inglês
Family relationship
Mental Health
Psychoanalisis
Psychosis
Resumo em inglês
The present work studied the affective bonds between psychotic parents and their offspring based on the children´s discourse. We had interest in understanding what signification the adult children give to their parents´ way of loving and dealing with them, to the genitors psychological problematic, the perception of subjective transmission between the generations and what the consequences in their lives are. Ten adult children of the psychotic patients assisted in the Mental Health Ambulatory or in Bipolar Patients Groups from the Day Clinical Hospital of Ribeirão Preto - USP were interviewed. The interviews were semi-structured, recorded transcribed and evaluated by the method of analysis contents which had Lacan psychoanalysis as theoretical interpretative mark. The results showed that in the childrens´ discourse, the signification given to the genitors has invariably what we name as ´signs of excess´, invasion, intransigence, rigidity, lack of control, aggressiveness and others signified by the interviewees as a non-recognition of their subjective condition and experienced with feelings of bitterness and resentment. However, we noticed that this subjective localizations of the parents didn´t lead to a superegoic imperative swelling in these subjects. The signification "the mentally ill" was present in all the interviews but it didn´t prove to be a good symbolic mediator among the subjects, increasing their ambivalences. We even identified a direct relation between the preponderance of the signification "the mentally ill" in the discourse and the interviewees´ incapability of recognizing an intergenerational subjective transmission. Based on these data we questioned the psycho-educational approaches centered on the idea of mental illness what makes it necessary to have approaches that increase the value of intersubjective.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-10-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.