• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2016.tde-24022016-185442
Documento
Autor
Nome completo
Cláudia Umbelina Baptista Andrade
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2015
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Ana Maria Pimenta (Presidente)
Vilela, Sueli de Carvalho
Elias, Luciana Carla dos Santos
Santos, Patricia Leila dos
Scherer, Zeyne Alves Pires
Título em português
Práticas educativas parentais e saúde mental de crianças
Palavras-chave em português
Crianças
Estilo Parental
Saúde Mental
Resumo em português
O estudo teve como objetivo verificar a associação entre os problemas gerais de saúde mental em crianças escolares e o estilo parental exercido pelas cuidadoras principais. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, de corte transversal e abordagem quantitativa, desenvolvido com 526 cuidadoras de crianças escolares, cadastradas nas Unidades de Estratégia de Saúde da Família, localizadas no município de Alfenas, MG. A coleta de dados ocorreu no período de maio a novembro de 2014, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Para essa etapa utilizaram-se três instrumentos: Critério de Classificação Econômica Brasil que visou identificar a classe econômica familiar, Questionário de Capacidades e Dificuldades (Strenghs and Difficulties Questionnaire - SDQ),que buscou avaliar a saúde mental das crianças e Inventário de Estilos Parentais (IEP) para avaliar as práticas educativas e estilo parental adotado pelas cuidadoras principais. .Após a coleta os dados foram analisados a partir de planilhas de cálculo de cada instrumento e de estudos estatísticos descritivos e correlacionais. Como resultado constatou-se que a maioria (88,8%) dos respondentes eram mães das crianças, na faixa etária entre 31 a 40 anos(44,3%), que viviam com companheiro (67,1%), possuiam trabalho remunerado e ensino fundamental I incompleto, 70,9% das famílias pertenciam à classe econômica C (70,9%). 52,7% do total das crianças participantes do estudo eram do sexo masculino, a maioria (84,6%) estava inserida no ensino fundamental I. A prevalência dos problemas gerais da saúde mental foi de 27,9%. O estilo parental apresentou um valor positivo 3,49, mas com predomínio do estilo parental classificado de regular abaixo da média (24,5%) e de risco (30,2%) para desenvolvimento de comportamentos antissociais. Cuidadoras que adotaram estilo parental de risco tiveram 4,64 vezes mais chance de apresentarem crianças classificadas como limítrofe/anormal e anormal do que cuidadoras que adotaram estilo parental ótimo. Os resultados contribuíram para maior compreensão da realidade da saúde mental de crianças escolares, identificando fatores associados, sinalizando importantes questões a serem consideradas pelas políticas públicas de saúde e educação infantil
Título em inglês
Parental Educational Practices and Children's Mental Health
Palavras-chave em inglês
Children
Mental Health
Parental Style
Resumo em inglês
This study had the goal of verifying the association between the general mental disorders in school-aged children and the parental style developed by the caretakers. It consists on an epidemiological, descriptive, crosscut and it has a quantitative approach. It was developed with 526 school-aged children's caretakers; all of them registered in the Unities of Health Family Strategies, located in Alfenas, MG. The data collection occurred between May and September of 2014, after the approval of the Research Ethics Comity. Three instruments were used during this stage: Brazil Economics Classification Criteria that angled for identifying the economical family situation, Strengths and Difficulties Questioner (SDQ), which tried to evaluate children's mental health and Parental Style Inventory to evaluate the educational approach and parental style adopted by the caretakers. After been collected, the data were analyzed as from spreadsheet figures for each instrument and statistics, descriptive and correlational studies. As result, it was verified that most of respondents (88, 8%) were the children's mothers, aged between 31 and 40 years (44, 3%), who lived with their partners, worked and had not finished school, 70, 9% of families belonged to economic class C. 52,7% of the children were male, most of them went to Elementary School. The prevalence of mental health general problems was 27, 9%. Parental style had a positive value of 3, 49, but moderate parental style prevailed, also as the risky parental style for the development of anti-social behaviors (30, 2%). The caretakers that adopted the last style of parenting had 4, 64 more chances to present children rated as limitroph/abnormal than the caretakers that developed an optimal parental style. The study contributed to a larger comprehension of the school-aged children mental health's reality, identifying the associated elements and showing relevant questions that should be considered by the Health and Education Publics Politics
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-03-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.