• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2012.tde-06062012-155923
Documento
Autor
Nome completo
Vânia Cláudia Spoti Caran
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2012
Orientador
Banca examinadora
Robazzi, Maria Lucia do Carmo Cruz (Presidente)
Martins, Julia Trevisan
Mendes, Aida Maria de Oliveira Cruz
Pedrão, Luiz Jorge
Silveira, Renata Cristina da Penha
Título em português
Contexto de vida e trabalho de mulheres cortadoras de cana-de-açúcar
Palavras-chave em português
cana-de-açúcar
prazer
sofrimento
trabalhador
trabalho
trabalho de mulheres
Resumo em português
A história de vida e trabalho das cortadoras de cana foi tema do presente estudo, tendo como sujeito as mulheres conveniadas ao sindicato de Guariba, interior de São Paulo na região de Ribeirão Preto. O objetivo geral foi evidenciar o contexto de vida e trabalho das mulheres cortadoras de cana-de-açúcar. O estudo foi de natureza qualitativa, utilizando-se o método da História Oral de Vida como recurso para a coleta de dados, que foi obtida em 2011. Constituíram-se sujeitos dez trabalhadoras; foram identificadas duas categorias que emergiram das suas falas: Contexto de Vida e Contexto do Trabalho na Vida. Na categoria Contexto de Vida emergiram as sub-categorias: Migração, Relacionamento Familiar, Sofrimento, Prazer, Estratégias Defensivas e Perspectivas Futuras. Na categoria Contexto do Trabalho na Vida emergiram as sub-categorias: Trabalho Infantil e do Adolescente; Gravidez e Trabalho, Ambiente de Trabalho e Alterações à Saúde, Relacionamentos no Trabalho, Desconhecimento e Aprendizagem no Trabalho, Sofrimento no trabalho e Prazer no Trabalho. A maior parte das trabalhadoras é parda, com ensino fundamental incompleto, casada, com dois e três filhos respectivamente. Suas condições de vida evidenciaram que a maioria procede da região sudeste do Brasil e que possui relacionamentos familiares agressivos e violentos. As condições de trabalho mostraram que a maioria trabalhou enquanto era criança e/ou adolescente; durante a gravidez cortava a cana-de-açúcar, com dificuldades, mesmo em avançado estado gestacional e em algumas situações, seus direitos de repouso não foram respeitados. Quanto ao ambiente de trabalho os principais problemas apresentados foram a presença de animais peçonhentos, o instrumento utilizado para cortar a cana que pode feri-las, a chuva, o calor, o transporte coletivo sujo com barro e o esforço físico demasiado. As principais alterações de saúde mencionadas foram cansaço, dores, câimbras, alterações de tendões e problemas de tontura. Os relacionamentos no trabalho eram considerados bons; ao iniciar o trabalho, a maioria aprendeu a cortar a cana-de-açúcar com seus parentes ou colegas de trabalho e procurou ensinar o ofício aos novos trabalhadores. O prazer descrito é poder ajudar os filhos, gostar do trabalho no corte da cana-de-açúcar e dos colegas. Quanto ao sofrimento foram descritos vários tipos (em relação aos filhos que eram deixados em casa, aos adoecimentos, ao próprio trabalho, ao abandono por maridos e a doação de filhos, a falta de dinheiro, a presença de animais peçonhentos e a morte de familiares); outra fonte de sofrimento foi a necessidade de acordar cedo para trabalhar e após o trabalho realizar as atividades relacionadas com a casa e o cuidado aos filhos. As estratégias defensivas mostraram que as trabalhadoras depositam sua confiança em Deus e encontram força na espiritualidade, inclusive na situação de perdas de familiares, mostrando que utilizam esta estratégia para conseguir suportar o sofrimento de suas vidas. A principal aspiração das cortadoras de cana-de-açúcar é ter uma casa própria onde possam estar com suas famílias e a segurança de um local seu para morar. As trabalhadoras mostraram ter uma vida complexa, diante de fatores sociais e ambientais, com características que levam a uma multidisciplinaridade contextual.
Título em inglês
Work and life context of female sugar cane cutters
Palavras-chave em inglês
female labour
labour
pleasure
suffering
sugar cane
worker
Resumo em inglês
The history of the lives and the work of female sugar cane cutters has been the theme of the present study, the subjects of this study were women associated with the Guariba syndicate, a country area of Sao Paulo within the region of Ribeirao Preto. The main objective of this study was to evidence the context of live and work of the female sugar cane cutters. The study had a qualitative approach; the methodology used was the Oral History of Life as resource to obtain data which was gathered in 2011. Ten female workers became subjects; two categories were identified in their speech: Life Context and Work Context in Life. Under the category of Life Context sub categories emerged in their speech: Migration, Family relations, Suffering, Pleasure, Defensive Strategies and Future prospective. Under the category of Work Context in Life, the following sub categories emerged: Child labour and Teenager labour; Pregnancy and work; Work Environment and Health changes; Suffering at work and pleasure at work. The majority of the workers is pardo (mulatto), their elementary education is incomplete, they are married and have two to three children respectively. Their life condition showed that the majority comes from the Southeastern region of Brazil and they possess aggressive and violent family relations. Work conditions showed that the majority worked as a child and/or during adolescence; during pregnancy even with difficulties in advanced gestational stage and in some descriptions their right to rest was not respected. Regarding the work environment the main issues presented were the presence of poisonous animals, the tool used to cut sugar cane that could wound them, rain, heat, dirty collective mean of transportation and the extreme physical strain. The main health changes mentioned were tiredness, pain, cramps, tendons alterations and dizziness. Work relations were considered to be good. When they started working, the majority learnt how to cut sugar cane with relatives or work colleagues and they taught the skill to new comers. The pleasure described is the possibility of helping their children, liking of the job and work colleagues. Regarding suffering many were described (leaving their children at home; illness; lack of money; presence of poisonous animals and family death); another type of suffering was the necessity to wake up early to work and after work to tend to housework chores and children care. The defensive strategies showed that the female workers put their trust in God and found their strength in their spirituality, family loss included, showing that they use this strategy to bear their life suffering. The main aspiration of the female sugar cane cutters is to have their own house where they could be with family members and have the safety of a place to live. The female workers demonstrated a complex life in the face of the social and environment factors with characteristics that lead to a contextual multi disciplinarity.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-07-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.