• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2011.tde-08092011-080538
Documento
Autor
Nome completo
Jack Roberto Silva Fhon
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Rodrigues, Rosalina Aparecida Partezani (Presidente)
Cruz, Idiane Rosset
Kusumota, Luciana
Título em português
A prevalência de quedas em idosos e a sua relação com a fragilidade e a capacidade funcional
Palavras-chave em português
Capacidade Funcional
Comunidade
Fragilidade
Idoso
Quedas
Resumo em português
As iatrogenias propiciam elevado custo para o cuidado e a recuperação do idoso. Dentre elas, as quedas podem causar múltiplas lesões físicas e transtornos psicológicos e associadas com a síndrome da fragilidade causam uma diminuição da capacidade funcional alterando as atividades rotineiras, além de riscos de complicações e morte. O presente estudo é epidemiológico, observacional e transversal, teve como objetivo determinar a prevalência de queda em idosos que vivem no domicílio e a sua relação com a capacidade funcional e a fragilidade. O local de realização foi a cidade de Ribeirão Preto, São Paulo, obtendo-se uma amostra por conglomerado de duplo estagio de 240 sujeitos com idade acima de 60 anos de idade, de ambos os sexos. Os dados foram coletados por meio de visitas domiciliares no período de novembro de 2010 a fevereiro de 2011. O instrumento para a coleta de dados foi composto por questões sociodemográficas para caracterização do idoso; presença de morbidades; Mini Exame do Estado Mental (MEEM); avaliação de quedas; Escala de Fragilidade de Edmonton (EFS); Medida de Independência Funcional (MIF) e Escala de Lawton e Brody (AIVD). A média de idade dos idosos estudados foi de 73,5 anos (± 8,4), estando 25% na faixa etária de 80 anos ou mais. Houve predomínio do sexo feminino (62,9%) e de casados (57,5%); 48,8% frequentaram a escola entre 1 a 4 anos; 29,2% moravam com o cônjuge e 71,3% não precisavam de cuidador. Quanto às morbidades 67,5% apresentaram hipertensão arterial; e os idosos que sofreram queda houve referencias dos problemas de ansiedade, depressão, doença gastrointestinal, incontinência urinária e/ou fecal, problemas de coluna e visão que foram estatisticamente significativos. Em relação às quedas a média foi 1,33 quedas (± 0,472); predominância de sexo feminino 68,8%, os idosos mais jovens caíram 67,5% em relação aos mais velhos; o local mais frequente da queda foi no quintal/pátio e no banheiro com 22,5%; 83,8% sofreram queda da própria altura e 46,3% apresentaram escoriações. As causas das quedas foram por alteração do equilíbrio (50%) e pisos escorregadios (26,3%), trazendo consequências como o medo de cair (67,5%) e dificuldade para andar (41,3%). Na avaliação com a Escala de Fragilidade de Edmonton 39,1% era frágil, sendo 18,3% portadores de fragilidade leve, 11,3% de fragilidade moderada e 9,6% de fragilidade severa, além de 24,6% aparentemente vulneráveis, sendo 63,4% do sexo feminino. Encontrou-se uma forte correlação entre o nível de independência funcional (MIF global, MIF motora e MIF cognitiva) e as AIVD com a idade, grau de fragilidade e número de morbidades (p<0,01). Concluiu-se que o idoso que sofreu queda e apresenta sinais de fragilidade apresentou um efeito negativo na capacidade funcional que está relacionada com a sua idade e ao número de morbidades no idoso. É importante implementar programas para a prevenção de quedas e o surgimento de fragilidade, além de investimentos tanto governamentais quanto no que se refere ao desenvolvimento de pesquisas sobre o tema.
Título em inglês
Prevalence of falls in older adults and its relation to frailty and functional capacity
Palavras-chave em inglês
Community
Elderly
Falls
Frailty
Functional Capacity
Resumo em inglês
The geriatric syndromes provide high iatrogenics bring high costs for care and rehabilitation of the elderly. Among them, given the different syndromes, there are the falls that can cause multiple physical injuries and psychological disorders, and that associated with the frailty syndrome cause decreased functional capacity by changing the routine activities, and risk of complications and death. This is an epidemiological study is observational, cross-cutting aimed to determine the prevalence of falls in older people living at home and its relationship with functional capacity and the fragility. The place for this research was in the city of Ribeirao Preto, São Paulo, obtaining a sample of double-stage cluster of 240 subjects aged over 60 years of both genders. Data were collected through home visits in the period November 2010 to February 2011. The instrument for data collection consisted of socio-demographic characteristics for the elderly; presence of morbidity, Mini Mental State Examination (MMSE), assessment of falls; Edmonton Frailty Scale (EFS), Functional Independence Measure (FIM) and Lawton and Brody Scale (IADL).The average age of the elderly was 73.5 years (± 8.4), 25% aged over 80 years or more. There were more females (62.9%) and married (57.5%) 48.8% attended school between 1-4 years, 29.2% lived with their spouse and 71, 3% did not need a caregiver. Regarding morbidity 67.5% had hypertension, and among the elderly who fell or suffered falls were references of problems or suffer from anxiety, depression, gastrointestinal disease, urinary incontinence and / or fecal incontinence, back problems and vision that were statistically significant. With regard to falls, the average was 1.33 falls (± 0.472), with a predominance of females 68.8%, the older younger fell 67.5% more compared to oldest old, the most frequent site of crash was in the backyard / courtyard and bathroom with 22.5%, 83.8% suffered falls from height and 46.3% had excoriations. The causes of falls were due to alteration in the balance (50%) and slippery (26.3%), bringing consequences such as fear of falling (67.5%) and difficulty walking (41.3%). In the evaluation with the Edmonton Frailty Scale 39.1% was fragile, and 18,3% patients with mild weakness of 11.3% and 9.6% of severe frailty, and 24,6% apparently vulnerable, 63.4% were female. We found a strong correlation between the level of functional independence (total FIM, motor FIM and cognitive FIM) and the IADL with age, degree of frailty and number of comorbidities (p <0.01). It was concluded that the elderly who suffered a fall and call signs of weakness will have a negative effect on functional capacity that is related to their age and number of comorbidities in the elderly. It is important to implement programs to prevent falls and the development of frailty, and investments both government and in relation to research on the topic.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-09-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.