• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2010.tde-16112010-092027
Documento
Autor
Nome completo
Amanda Aparecida Teixeira Ferreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2010
Orientador
Banca examinadora
Nogueira, Maria Suely (Presidente)
Alves, Leila Maria Marchi
Cesarino, Evandro José
Título em português
Adesão ao tratamento: estudo entre portadores de hipertensão arterial internados em um hospital privado do interior paulista
Palavras-chave em português
Adesão à medicação
Hipertensão
Pressão arterial
Resumo em português
Trata-se de um estudo descritivo transversal de abordagem quantitativa, realizado com 48 portadores de hipertensão arterial sistêmica (HAS), internados em alas de internação e UTI cardiológica de um hospital privado do interior paulista, realizado no período de julho a setembro de 2009, tendo por objetivo avaliar os fatores que interferem na adesão à terapêutica. Para coleta de dados, foram utilizados três instrumentos: um relacionado aos dados sociodemográficos, clínicos e relacionados à terapêutica medicamentosa; o Teste de Medida de Adesão ao Tratamento (MAT) para avaliar a adesão ao tratamento medicamentoso e o Instrumento de Avaliação da Atitude Frente à Tomada de Remédio (IAAFTR). Os testes estatísticos foram realizados por meio do software Statistica 8.0 e MedCalc 10.2, e os dados foram considerados significativos quando o nível de significância foi p<0,05 e IC 95%. Os sujeitos possuíam idade entre 19 e 90 anos, com mediana de 70,5 anos, 79,2% eram do sexo masculino, 70,8%, casados, 64,6%, aposentados, 35,4% possuíam ensino médio completo, seguidos por 25% com ensino superior completo, a renda familiar variou de R$900,00 a R$30.000,00, com mediana de R$4.000,00, o número de indivíduos que utilizam a renda familiar variou de 1 a 6, 29,2% eram obesos, 93,8% apresentaram relação cintura-quadril (RCQ) alterada, 35,4% apresentaram valores de pressão arterial (PA) acima de 140X90mmHg, 35,4% faziam uso de diurético, 27,1%, de betabloqueador, 25%, de bloqueador de canais de cálcio, 29,2%, de inibidor da enzima conversora de angiotensina (ECA), 35,4%, de bloqueador do receptor da angiotensina 1 (AT1) e 66,7% utilizam apenas um medicamento para controle da PA. O tempo de diagnóstico da HAS variou de 1 a 40 anos, com mediana de 10 anos. As principais comorbidades encontradas foram: cardiopatias (52,1%), dislipidemia (45,8%) e diabetes mellitus (35,4%). Quando avaliados pelo MAT, 44 (91,7%) apresentaram adesão ao tratamento; pelo IAAFTR 34 (70,8%) mostraram atitude positiva frente à tomada de remédio. Entre aqueles que apresentaram adesão pelo MAT, 33 (75%) também apresentaram atitude positiva frente à tomada de remédio. Não houve diferença estatisticamente significante para idade, sexo, estado civil, ocupação, escolaridade, IMC, RCQ e complicações clínicas, quando aplicados o MAT e o IAAFTR. A prevalência de adesão foi maior entre os indivíduos que acreditavam que sua PA estava controlada (p=0,041), os que não necessitaram de mudanças em sua rotina de vida após o diagnóstico da HAS (p=0,007) e os que nunca recusaram um medicamento prescrito para controle da PA (p<0,001). Diante desse contexto, permanece o desafio quanto à necessidade dos profissionais de saúde buscarem a diminuição das barreiras que interferem na adesão ao tratamento da HAS, favorecendo-a e mostrando seus benefícios, adotando assim uma visão holística do portador de HAS.
Título em inglês
Adherence to treatment: study among patients with high blood pressure hospitalized in a private hospital in the interior of the state of Sao Paulo
Palavras-chave em inglês
Blood pressure
Hypertension
Medication Adherence
Resumo em inglês
This descriptive, quantitative and cross-sectional study was carried out with 48 patients with systemic high blood pressure (SHBP), hospitalized in a cardiologic ICU (Intensive Care Unit) of a private hospital in the interior of the state of São Paulo, between July and September 2009 and aimed to assess the factors that interfere in the adherence to treatment. Three instruments were used for data collection: one related to socioeconomic and clinical data and data related to medication therapy; the Test of Treatment Adherence Measure (TAM) to evaluate the adherence to medication treatment and the Instrument of Evaluation of Attitude regarding Medication Intake (IAAFTR). Statistical tests were carried out using the software Statistica 8.0 and MedCalc 10.2, and data were considered significant for a level of significance p<0.05 and Confidence Interval (CI) 95%. Subjects were aged 19 to 90 years, with median of age of 70.5 years, 79.2% were male, 70.8% married, 64.6% retired, 35.4% had completed high school, followed by 25% with complete higher education, family monthly income varied from R$900.00 (Brazilian reais) to R$30,000.00 (Brazilian reais), with median of R$4,000.00 (Brazilian reais), the number of individuals living with this income varied from 1 to 6, 29.2% were obese, 93.8% presented altered waist-hip ratio (WHR), 35.4% presented values of arterial pressure (AP) above 140X90mmHg, 35.4% used diuretic agents, 27.1% beta-Blockers, 25% blocker of calcium channels, 29.2% Angiotensin-Converting Enzyme Inhibitors (ACE), 35.4% Angiotensin Type 1 Receptor Blockers (AT1) and 66.7% used only one medication for blood pressure control. The time of diagnosis of SHBP varied from 1 to 40 years, with median of 10 years. The main comorbidities were heart diseases (52.1%), dyslipidemias (45.8%) and diabetes mellitus (35.4%). When assessed by TAM, 44 (91.7%) presented adherence to treatment; by IAAFTR 34 (70.8%) showed positive attitude regarding medication intake. Among the ones who presented adherence by TAM, 33 (75%) also presented positive attitude regarding medication intake. There was no statistically significant difference for age, gender, marital status, occupation, schooling, BMI, WHR and clinical complications, for administration of TAM and IAAFTR. The prevalence of adherence was higher among individuals who believed their BP was controlled (p=0.041), the ones who did not need changes in their daily life after the diagnosis of SHBP (p=0.007) and the ones who never refused a prescribed medication for BP control (p<0.001). In this context, remains the challenge of health professionals to decrease the barriers that interfere in the adherence to SHBP treatment, favoring adherence, showing its benefits and thus adopting a holistic view of patients with SHBP.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-11-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.