• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2017.tde-05042017-152806
Documento
Autor
Nome completo
Sandra Regina de Souza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Warnock, Fay (Presidente)
Antonini, Sonir Roberto Rauber
Castral, Thaíla Corrêa
Rossetto, Edilaine Giovanini
Título em português
Efeito do método canguru na redução do estresse crônico em gestantes, mães e bebês pré-termo através da análise do cortisol e desidroepiandrosterona em unhas
Palavras-chave em português
Cortisol
Desidroepiandrosterona
Estresse psicológico
Gestantes
Mães
Método canguru
Prematuro
Unhas
Unidade de Terapia Intensiva Neonatal
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O estresse tem sido foco de interesse em diferentes áreas de estudo devido às consequências no processo saúde-doença. Destaca-se a inexistência de estudos sobre o estresse crônico no período pré e pós-natal em unhas de mulheres que tiveram parto prematuro e sua relação o método canguru (MC). OBJETIVOS: Avaliar o efeito do Método Canguru na redução do estresse psicológico materno através de escalas psicométricas e o estresse biológico crônico através dos níveis de cortisol e desidroepiandrosterona (DHEA) em unhas de mães e bebês pré-termo (PT). MÉTODO: Trata-se de estudo comparativo prospectivo. A amostra contou com 59 mães e 63 bebês, coletada num hospital com o MC implantado e em dois hospitais controle, sem o MC. Foram incluídos PT (?37 semanas), sem malformações, internados em UN; mães alfabetizadas, que tiveram contato prévio com o filho, não usuárias de drogas ou hormônios. O estresse crônico materno e do PT foi avaliado pelo Cortisol e DHEA das unhas. A primeira amostra de unhas maternas foi coletada na terceira semana de vida do PT. A segunda amostra das mães e a amostra das unhas dos PT foram coletadas três meses após parto. Para análise do cortisol e DHEA das unhas das mães foi utilizada a técnica de enzima imunoensaio e dos bebês a cromatografia líquida de alto desempenho com espectrometria de massa. As unhas foram analisadas em laboratórios especializados no Canadá. O estresse psicológico da mães foi analisado com uso das PSS-10 e PSS:NICU que foram respondidas pelas mães na semana da admissão e alta do PT. RESULTADOS: Os níveis de Cortisol e DHEA nas unhas das mães referente a gestação e puerpério não diferiu significativamente entre os grupos canguru e controle, porém, diferiu entre os tempos, sendo que, os níveis dos esteroides na gestação foi maior do que no puerpério em ambos os grupos. O estresse percebido (PSS-10) pelas mães referente a gestação (p=0,846) e puerpério (p=0,465) também não diferiu significativamente entre os dois grupos. O estresse indicado pela PSS:NICU na admissão foi moderado nos dois grupos. O maior escore foi observado na subescala alteração no papel de pais. Na alta o escore foi significativamente menor (p=0,00) no canguru do que no controle. Não houve qualquer relação entre o estresse crônico (cortisol, DHEA e razão Cort:DHEA) e o psicológico (PSS-10 na gestação e PSS:NICU no puerpério) e nem entre as duas medidas de estresse psicológico (PSS-10 e PSS:NICU na alta). O nível de cortisol foi menor nos PT submetidos ao canguru, porém, sem diferença significante (p=0,08). Diferiram significativamente a DHEA - menor no controle e a razão Cort:DHEA - menor nos PT do grupo canguru. Da análise da relação entre estresse crônico constataram-se: associação positiva entre Cort:DHEA da mãe e PT (?= 0,51canguru; ?= 0,43 controle). CONCLUSÃO: O estudo mostrou que é possível medir cortisol e DHEA em unhas de mães e de bebês PT de forma restrospectiva. Os dados sugerem que o MC pode contribuir com a regulação e redução do estresse crônico do PT e do estresse psicológico materno
Título em inglês
Effect of the kangaroo mother care on the reduction of chronic stress in pregnant women, mothers and preterm infants through the analysis of cortisol and dehydroepiandrosterone in fingernails
Palavras-chave em inglês
Cortisol
Dehydroepiandrosterone
Kangaroo method
Mothers
Nails
Neonatal Intensive Care Unit
Pregnant women
Premature
Psychological stress
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Stress has been a focus of interest in different areas of study due to the consequences in the health-disease process. We highlight the lack of studies on chronic stress in pre and postnatal period using fingernails of women who had preterm birth and its relation to the kangaroo mother care (KMC) to reduce chronic and psychological stress. OBJECTIVES: To evaluate maternal psychological stress using psicometrics tools and avaluate chronic stress of mothers and Preterm infant (PT) using the analysis of cortisol and DHEA in fingernails and analyse the implication of the kangaroo care (KMC) in reduce chronic stress. METHOD: This is a prospective comparative study. The sample were 59 mothers and 63 babies collected in a KMC's hospital and two controls (without the KMC). Were included PT babies (? 37 weeks), who were admitted to the NICU, those with no malformations. With regard to mothers were included that one who had saw the PT at least once and excluded those using drugs or taking hormones. Maternal and PT chronic' stress were evaluated by fingernails' cortisol and DHEA. The first maternal sample was collected in the third week post-delivery and the second sample in the third month after baby's birth. The baby's fingernail sample was collected in the third month of life. The enzyme immunoassay was used for analysis of mothers' fingernails (cortisol and DHEA) and for babies' were used high performance liquid chromatography with mass spectrometry. Fingernail's analysis was done in Canada. The PSS-10 and PSS: mothers filled up NICU tools on first week in NICU and at discharge of the baby from this unit. RESULTS: The cortisol and DHEA's level in mothers' fingernails showed no significant difference between groups. Steroids levels in pregnancy time were higher than in puerperium in both groups (KMC and control) however, showed significant difference between times, steroids levels were higher during gestation time than the puerperium in both groups. The same occurred with the PSS-10 score (KMC's score referring to pregnancy (p=0,846) and puerperium (p=0,465), also had no difference was between groups. The PSS: NICU's stress level at admission in both groups was moderate. The highest score was showed in the subscale Parental Role. At discharge the score was significantly lower (p=0,00) in the kangaroo than in the control. There was no relationship between chronic stress (cortisol, DHEA and Cort:DHEA) and psychological stress (PSS-10 in pregnancy and PSS: NICU in the puerperium) or between the two psychological measures of stress (PSS-10 and PSS: NICU on discharge). The cortisol level was lower in PT submitted to kangaroo, however, without significant difference (p = 0.08). They differed significantly in DHEA - lower in the control and the ratio Cort:DHEA - lower in the kangaroo group. From the analysis of the relationship between chronic stress, there was a positive association between Cort: DHEA of the mother and PT (? = 0.51 kangaroo; ? = 0.43 control). CONCLUSION: The study showed that it is possible to measure cortisol and DHEA in preterm infant and mothers' fingernails retrospectively. The data suggests that KMC can contribute to regulate and to reduce chronic stress in preterm infant and to reduce psychological mother's stress
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-07-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.