• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2011.tde-17052011-085508
Documento
Autor
Nome completo
Sílvia Carla da Silva André
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Takayanagui, Angela Maria Magosso (Presidente)
Canini, Silvia Rita Marin da Silva
Silva, Adriana Serafim Bispo e
Título em português
Resíduos gerados em domicílios de indivíduos com diabetes mellitus, usuários de insulina
Palavras-chave em português
Diabetes mellitus dependentes de insulina
Eliminação de resíduos de serviços de saúde
Enfermagem em saúde pública
Resíduos de serviços de saúde
Resumo em português
Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) podem causar danos à saúde e ao ambiente se não houver um gerenciamento seguro e adequado. No Brasil, os serviços de saúde devem seguir as recomendações técnicas e legais definidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e Conselho Nacional do Meio Ambiente. Porém, não há definição técnica e legal sobre o manejo de resíduos gerados nos domicílios, e que sejam do tipo dos RSS. Considerando o elevado número de pessoas com Diabetes Mellitus (DM) no Brasil, e que, dentre esses indivíduos, 20 a 25% são usuários de insulina, em tratamento ambulatorial e domiciliar, faz-se necessária a existência de um sistema organizado para o manejo desse tipo de resíduo no domicílio. Este projeto visou conhecer a realidade do manejo de resíduos perfurocortantes e de origem química e biológica em domicílios de pessoas com DM, usuários de insulina. Esta pesquisa de caráter descritivo e exploratório, foi desenvolvida com 26 usuários de insulina do Núcleo de Saúde da Família I de Ribeirão Preto-SP. O método para a coleta de dados foi a entrevista com perguntas semi-estruturadas. Os dados coletados foram compilados em um banco de dados do Programa Excel e categorizados em tabelas e gráficos, procedendo-se à análise estatística descritiva. Esta investigação foi realizada após a aprovação do CEP do CSE-Cuiabá da FMRP/USP. Os resultados obtidos revelaram que a faixa etária predominante dos usuários de insulina era de 61 até mais de 80 anos para 76,8% dos sujeitos, com apenas 1 sujeito (3,8%) na faixa etária de 11 a 20 anos. O tempo de diagnóstico variou de 10 a 29 anos para 61,5% dos usuários de insulina. Dos sujeitos deste estudo, 73,9% referiram que o tempo de uso da insulina variou entre 0 e 9 anos e de 10 a 29 anos para 23% dos indivíduos. A aplicação da insulina no próprio domicílio foi referida por 88,5% dos sujeitos. Em relação ao monitoramento da glicemia capilar no domicílio, 80,8% dos pacientes afirmaram realizar o teste regularmente. A reutilização de seringas e agulhas foi referida por 69,6% da população estudada. Quanto ao acondicionamento, os sujeitos afirmaram acondicionar as seringas e agulhas (65,2%) e lancetas (52,2%) em garrafas plásticas. Porém, os usuários de insulina referiram acondicionar as fitas reagentes (47,8%) e os frascos de insulina (82,7%) junto com os resíduos comuns. Ao que se refere ao descarte dos RSS gerados com aplicação da insulina e com o teste de glicemia capilar, a maioria dos entrevistados informou realizar o descarte de seringas e agulhas (57,8%) e lancetas (53,8%) em garrafas plásticas, encaminhando, posteriormente, para algum serviço de saúde. No entanto, o descarte das fitas reagentes (61,6%) e frascos de insulina (76,9%) são destinados para a coleta pública, juntamente com os resíduos comuns do domicílio. Em relação às orientações recebidas para o manejo e descarte desses resíduos, 61,5% dos sujeitos afirmaram ter recebido algum tipo de orientação de algum serviço de saúde. O estudo revela que há uma inadequação do manejo e descarte dos resíduos oriundos do tratamento e monitoramento do DM no domicílio de usuários de insulina. Aponta, também, para a necessidade de ampliar as ações educativas em saúde com vistas à geração de resíduos perfurocortantes e de origem química e biológica nos domicílios de usuários de insulina, no sentido de minimizar riscos de exposição a esses agentes ambientais.
Título em inglês
Waste generated in households of individuals with diabetes mellitus who use insulin.
Palavras-chave em inglês
Diabetes mellitus Type 1
Medical Waste
Medical Waste Disposal
Public Health Nursing
Resumo em inglês
Medical Waste (MW) can cause damage to health and to the environment if there is no safe and proper management. In Brazil, health services should follow the legal and technical recommendations established by the National Agency for Sanitary Surveillance and the National Council on the Environment. However, there are no legal and technical definitions about the management of waste generated in households, which are of MW kind. Considering the high number of people with diabetes mellitus (DM) in Brazil, and that, among these individuals, 20 to 25% are insulin users in outpatient treatment and home care, it is necessary to have an organized system for managing this type of waste at home. This project aimed to know the reality of the management of sharp, chemical and biological waste in households of people with DM, insulin users. This descriptive and exploratory research was developed with 26 insulin users of the Center for Family Health I, in Ribeirão Preto, state of São Paulo. Data collection was carried out using semi-structured interview. Collected data were compiled into a database of the Excel Program and categorized in tables and graphs, then descriptive statistical analysis was performed. The research was carried out after approval of the Research Ethics Committee of the Health Teaching Center (CSE) Cuiabá, of the FMRP/USP (University of São Paulo at Ribeirão Preto Medical School). Results revealed that the predominant age group of the insulin users was 61 to over 80 years for 76.8% of subjects, with only one subject (3.8%) aged 11 to 20 years. The time of diagnosis ranged from 10 to 29 years for 61.5% of the participants. Of the study subjects, 73.9% reported that the time of use of insulin ranged between 0 and 9 years and 10 to 29 years for 23% of the individuals. The application of insulin in the household was reported by 88.5% of the subjects. Regarding the monitoring of capillary blood glucose at home, 80.8% of the patients reported performing the test regularly. The reuse of syringes and needles was reported by 69.6% of the population. Concerning the storage, the subjects reported storing syringes and needles (65.2%) and lancets (52.2%) in plastic bottles. However, users of insulin reported storing reagent strips (47.8%) and vials of insulin (82.7%) with ordinary waste. Concerning the disposal of MW generated with the application of insulin and capillary blood glucose testing, most respondents reported disposing syringes and needles (57.8%) and lancets (53.8%) in plastic bottles, and later sending to some health service. However, the disposal of reagent strips (61.6%) and vials of insulin (76.9%) are forwarded to public collection, along with common household waste. In relation to the guidance received for the handling and disposal of such waste, 61.5% of the subjects reported having received some guidance from health services. The study reveals that there is inadequate handling and disposal of waste from treatment and monitoring of DM in the households of insulin users. It also points out the need to expand health education actions concerning the generation of sharp, chemical and biological waste in households of insulin users to minimize risks of exposure to these environmental agents.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-05-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.