• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Bárbara Camilo Rosa
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2019
Orientador
Banca examinadora
Corteletti, Lilian Cássia Bornia Jacob (Presidente)
Caldana, Magali de Lourdes
Martins, Carlos Henrique Ferreira
Meyer, Adriana Sampaio de Almeida
Título em português
Componente de interação binaural nos potenciais evocados auditivos em indivíduos pós AVC isquêmico
Palavras-chave em português
Acidente vascular cerebral
Componente de interação binaural
Potenciais evocados auditivos
Resumo em português
O objetivo do estudo foi caracterizar o componente de interação binaural nos potenciais evocados auditivos de curta, média e longa latência em indivíduos com lesão isquêmica após acidente vascular cerebral. Trata-se de um estudo clínico descritivo do tipo transversal. Participaram do estudo 18 indivíduos adultos e idosos distribuídos em dois grupos: 1) nove indivíduos com diagnóstico de acidente vascular cerebral isquêmico confirmado por meio de exame de imagem, com tempo de lesão entre três e 24 meses; 2) nove indivíduos sem histórico de doenças neurológicas e otológicas permanentes, traumas ou problemas psiquiátricos, equiparados quanto a idade e sexo para compor o grupo controle. Para tanto, foi realizada inicialmente avaliação audiológica convencional composta por meatoscopia, por audiometria tonal liminar, por logoaudiometria e por medidas da imitância acústica. Posteriormente, foi realizada a pesquisa do componente de interação binaural por meio dos potenciais evocados auditivos de curta, média e longa latência obtidos com os estímulos clique e fala nas condições mono e binaural. A reprodutibilidade dos registros obtidos foi analisada por meio do coeficiente de correlação de concordância de Lin. A estatística foi composta por análise descritiva realizada por meio da média dos registros, na qual foi realizado o cálculo aritmético da resposta binaural menos a soma das respostas monoaurais direita e esquerda para obtenção do componente de interação binaural em cada potencial. O cálculo da interação máxima foi realizado por meio do valor da amplitude obtida do componente de interação binaural dividido pela amplitude da soma das respostas monoaurais, sendo em seguida multiplicado por 100. A estatística inferencial foi realizada por meio do teste t para o potencial evocado auditivo de curta latência e por meio da análise de variância (ANOVA) de dois fatores para os potenciais de média e longa latência, sendo considerado o nível de significância de 5%. Os resultados obtidos verificaram a presença do componente de interação binaural em todos os potenciais evocados auditivos tanto no grupo estudo quanto no grupo controle. Não houve diferença significativa entre os grupos controle e estudo para a interação máxima nos componentes dos potenciais evocados auditivos de curta, média e longa latência. Contudo, quando amplitude e morfologia foram comparadas ao grupo controle, foi possível observar uma redução na amplitude e uma morfologia prejudicada do componente de interação binaural, principalmente nos potenciais evocados auditivos de média e longa latência no grupo estudo. Conclui-se que o presente estudo demonstrou que o componente de interação binaural pode ser observado ao longo da via auditiva por meio dos potenciais evocados auditivos de curta, média e longa latência em indivíduos com lesão cerebral após acidente vascular cerebral.
Título em inglês
Binaural interaction component in auditory evoked potentials in individuals after ischemic stroke
Palavras-chave em inglês
Auditory evoked potentials
Binaural interaction component
Stroke
Resumo em inglês
This research aims to describe the binaural interaction component in the short, middle, and long latency auditory evoked potentials in individuals with ischemic injury after stroke. This is a transversal descriptive clinical study. The research included 18 adult and elderly individuals divided into two groups: 1) nine individuals diagnosed with ischemic stroke confirmed through imaging, injure time between 3 and 24 months; 2) nine individuals with no history of permanent neuro-otologic diseases, trauma, or psychiatric issues, matched according to age and sex in the control group. In order to do so, a conventional audiological evaluation was performed, consisting of meatoscopy, pure tone audiometry, speech audiometry, and acoustic immittance measures. Later on, we looked for the binaural interaction component through short, middle, and long latency auditory evoked potentials obtained with click and speech stimuli in mono and binaural conditions. Reproducibility for the obtained records was analyzed by using the Lin's concordance correlation coefficient. Statistical analysis was composed of descriptive analysis through the average of the records in which we performed the arithmetic calculation of the binaural response minus the sum of the right and left monaural responses so we could find the binaural interaction component in each potential. The maximum interaction was calculated by using the amplitude value obtained from the binaural interaction component divided by the amplitude of the sum of the monaural responses, and then multiplied by 100. The inferential statistic was performed by using the t test for the short latency auditory evoked potential and two-way analysis of variance (ANOVA) for the middle and long latency potentials, with a 5% significance level. The results obtained showed the binaural interaction component was found in all auditory evoked potentials in both control and study groups. There was no significant difference between the control and study groups for the maximum interaction in the components of short, middle, and long latency auditory evoked potentials. However, there was a decrease in amplitude and impaired morphology of the binaural interaction component, mainly in middle and long latency auditory evoked potentials in the study group in comparison to the control group. In conclusion, this research showed the binaural interaction component can be observed along the auditory pathway through short, middle, and long latency auditory evoked potentials in individuals with brain injury after stroke.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.