• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2014.tde-17092014-151221
Documento
Autor
Nome completo
Leticia Cristina Vicente
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2014
Orientador
Banca examinadora
Alvarenga, Katia de Freitas (Presidente)
Costa Filho, Orozimbo Alves
Frizzo, Ana Claudia Figueiredo
Título em português
Componente P1 do potencial evocado auditivo cortical nos primeiros meses de uso do implante coclear na desordem do espectro da neuropatia auditiva
Palavras-chave em português
Implantes cocleares
Perda auditiva
Potenciais evocados auditivos
Resumo em português
O implante coclear tem sido considerado uma opção de reabilitação em pacientes com a Desordem do Espectro da Neuropatia Auditiva. Contudo, a sua indicação é relativamente recente, e, com isso, poucos estudos investigaram o desenvolvimento cortical nestes pacientes. Até o momento, não há estudos longitudinais que caracterizem o desenvolvimento do sistema auditivo central após a ativação do implante coclear. O objetivo deste trabalho foi caracterizar o componente P1 do potencial evocado auditivo cortical nos primeiros meses de uso do implante coclear em crianças com a Desordem do Espectro da Neuropatia Auditiva. Participaram deste estudo oito crianças diagnosticadas com Desordem do Espectro da Neuropatia Auditiva, com perda auditiva pré-lingual de grau severo ou profundo e usuárias de implante coclear. A pesquisa do potencial evocado auditivo cortical foi realizada com o estímulo de fala /da/, apresentado em campo livre, em três sessões de avaliação: na ativação dos eletrodos, com três e com seis meses após a ativação do implante coclear. Os registros obtidos foram analisados pela pesquisadora e por um juiz experiente em eletrofisiologia a fim de verificar a concordância das análises. Houve concordância de 100% (Kappa=1) entre os juízes quanto à ocorrência do componente P1, com coeficiente de correlação interclasse excelente para os valores de latência e amplitude. Quanto à morfologia, o componente P1 caracterizou-se como um pico positivo robusto na primeira sessão de avaliação. O componente P1 foi registrado em 71,43% da casuística na primeira sessão, em 87,50 % na segunda e em 85,71% na terceira sessão de avaliação. Nos pacientes em que foi possível observar o componente P1 em todas as sessões de avaliação, observou-se uma redução da latência considerando o primeiro e último momento de avaliação, contudo, os resultados mostraram-se heterogêneos entre as crianças avaliadas. Assim, na pesquisa do componente P1 do potencial evocado auditivo cortical, não foi possível determinar um padrão de comportamento deste componente em crianças com a Desordem do Espectro da Neuropatia Auditiva nos seis primeiros meses de uso do implante coclear.
Título em inglês
P1 cortical auditory evoked potential in the first months of cochlear implant use in auditory neuropathy spectrum disorder
Palavras-chave em inglês
Auditory evoked potentials
Cochlear implants
Hearing loss
Resumo em inglês
Cochlear implants have been considered a rehabilitation option in patients with auditory neuropathy spectrum disorder. However, their indication is relatively recent, thus, few studies have investigated cortical development in these patients. So far, no longitudinal study has characterized the development of the central auditory system, following cochlear implant activation. This study aimed at characterizing P1 cortical auditory evoked potential in the first months of cochlear implant use, in children presented with auditory neuropathy spectrum disorder. Eight children diagnosed with auditory neuropathy spectrum disorder, with severe or profound pre-lingual hearing loss, users of cochlear implant, participated in this study. The cortical auditory evoked potential research was performed with the /da/ speech stimulus presented in free field, in three assessment sessions: at electrodes activation, at three and at six months, following cochlear implant activation. The recordings obtained were analyzed by the researcher and by an experienced electrophysiologist, so as to verify the agreement of the analyses. There was 100% agreement (Kappa=1) between the referees, as to the occurrence of component P1, with an excellent interclass correlation coefficient for latency and amplitude values. Regarding morphology, P1 was characterized as a robust positive peak in the first assessment session, being recorded in 71.43% of the sample, in the first session, in 87.50%, in the second, and in 85.71%, in the third. In patients in whom it was possible to observe P1 in all assessment sessions, a latency reduction was observed, considering the first and last time of evaluation, nevertheless, the results were shown to be heterogeneous among the children assessed. Thus, in the P1 cortical auditory evoked potential research, it was not possible to determine a behavior pattern of this component in children presented with auditory neuropathy spectrum disorder, in the first six months of cochlear implant use.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-09-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.