• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Francielly da Silva Camim
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2019
Orientador
Banca examinadora
Magalhães, Ana Carolina (Presidente)
Costa, Josimeri Hebling
Santiago Junior, Joel Ferreira
Wang, Linda
Título em inglês
Influence of MMP inhibitors on bond strength of adhesive restorations: systematic review and meta-analysis
Palavras-chave em inglês
Dental bonding
Matrix metalloproteinases
Protease Inhibitors
Resumo em inglês
Objectives: This systematic review aimed to evaluate the effect of metalloproteinase (MMPs) inhibitors on bond strength using initial (24 hours) and long-term (6, 12 months or longer) microtensile tests. Sources: A search was carried out in 7 databases and in the gray literature, limited to Portuguese, English and Spanish languages without publication year limit, following the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyzes (PRISMA) 2009. Study selection: Only in vitro studies assessing the use of MMP inhibitors in adhesive procedures were included. Meta-analyses were conducted with the extracted data and the studies were evaluated for the risk of bias. Data: Of 5,134 potentially eligible studies, 112 were selected for full-text reading, 48 were reviewed, and 43 were included in the meta-analysis. Two independent evaluators selected the studies and assessed the risk of bias. Estimates of the combined effect were reported as means and standard deviation between groups. The most commonly used MMP inhibitor was chlorhexidine (CHX). The initial values of bond strength were higher when CHX was used (p <0.05), but no difference was found in the other time-points between groups using inhibitors and control groups. Etch-andrinse adhesive systems presented better results with the use of CHX, which was not seen in self-etching systems. None of the included studies had low risk of bias, but the analysis including only studies of medium risk of bias showed similar results to the analysis with studies of high risk of bias. Conclusion: The use of 2% CHX affected positively the initial bond strength, but no inhibitor was effective in maintaining the bond strength after the aging process.
Título em português
A influência de inibidores de MMP na resistência de união de restaurações adesivas: revisão sistemática e metanálise
Palavras-chave em português
Colagem dentária
Inibidores de proteases
Metaloproteinases da matriz
Resumo em português
Objetivo: O objetivo deste estudo foi revisar sistematicamente a literatura em busca de estudos in vitro que avaliaram a influência da utilização de inibidores de metaloproteinase (MMP) durante procedimentos adesivos na resistência de união por meio de testes de microtração iniciais (até 24 horas) e a longo prazo (6 e 12 meses ou mais). Fontes: A busca foi realizada em 7 bases de dados e na literatura cinza, limitado às línguas portuguesa, inglesa e espanhola sem limite ano de publicação, seguindo a declaração Preferred Reporting Items for Systematic Reviews e Meta- Analyzes (PRISMA) 2009. Seleção dos estudos: Apenas estudos in vitro sobre o uso de inibidores de metaloproteinase em procedimentos adesivos foram incluídos. Metanálise foram conduzidas dos dados extraídos e os estudos foram avaliados para o risco de viés. Dados: De 5.134 estudos potencialmente elegíveis, 112 foram selecionados para análise de texto completo, e 48 foram incluídos para revisão, com 43 considerados na metanálise. Dois avaliadores independentes selecionaram os estudos e avaliaram o risco de viés dos estudos incluídos. As estimativas do efeito conjunto foram expressas como a valores brutos de média e desvio-padrão entre os grupos. O inibidor de MMP mais utilizado foi a clorexidina (CHX). Os resultados imediatos mostram maiores valores de resistência de união quando a CHX foi utilizada (p<0.05), os demais tempos estudados não evidenciam superioridade de nenhum dos inibidores estudados em relação ao grupo controle. Análises de modo de aplicação mostram que sistemas adesivos convencionais são beneficiados quanto ao uso de CHX, o que não acontece com os sistemas autocondicionantes. Nenhum estudo incluído se mostrou com baixo risco de viés, porém uma análise incluindo apenas estudos de médio risco de viés mostrou resultados semelhantes a análise cujo estudos de alto índice de viés foram incluídos. Conclusão: O uso de CHX afetou positivamente a resistência de união imediata, mas nenhum inibidor estudado se mostrou efetivo na manutenção da resistência de união após envelhecimento.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.