• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.25.2013.tde-02092013-151153
Documento
Autor
Nome completo
Alexandre Simões Nogueira
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2013
Orientador
Banca examinadora
Gonçales, Eduardo Sanches (Presidente)
Bullen, Izabel Regina Fischer Rubira de
Carneiro, Christiano de Giacomo
Moraes, Ivaldo Gomes de
Soares, Eduardo Costa Studart
Título em português
Avaliação da prevalência de variações anatômicas do complexo ostiomeatal e de afecções inflamatórias dos seios maxilares por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico
Palavras-chave em português
Complexo ostiomeatal
Seios maxilares
Tomografia computadorizada de feixe cônico
Resumo em português
Introdução. O estudo da anatomia da região naso-sinusal e de suas variações é de grande importância diagnóstica e para a definição de condutas de tratamento nas áreas da Odontologia e da otorrinolaringologia, principalmente em relação aos seios maxilares, regiões anatômicas diretamente relacionadas com os dentes superiores. Objetivos. Avaliar por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) a prevalência das seguintes variações anatômicas do complexo ostiomeatal: concha bolhosa, células de Haller, desvios de septo nasal e aerações do processo uncinado e, ainda, avaliar a prevalência das afecções inflamatórias dos seios maxilares. A presença das variações anatômicas supramencionadas e de alterações apicais de dentes posteriores superiores serão correlacionadas com a presença das afecções inflamatórias dos seios maxilares. Material e Métodos. Foram avaliados 100 exames de TCFC de pacientes odontológicos escolhidos de forma aleatória de acordo com protocolos de aquisição que abrangiam as regiões anatômicas de interesse ao estudo. Todas as tomografias do estudo foram adquiridas através do tomógrafo i-Cat, modelo Classic e as imagens em formato DICOM foram visualizadas e analisadas através do software i-Cat Vision. Resultados. Os exames tomográficos avaliados eram de 100 pacientes, 43 do gênero masculino (média de idade de 23,7anos) e 57 do gênero feminino (média de idade de 25,8 anos). Todas as variações anatômicas em estudo foram visualizadas nos exames analisados. Oitenta e cinco indivíduos apresentaram uma ou mais de uma variação concomitantemente, enquanto 15 indivíduos não apresentaram qualquer tipo de variação anatômica. A maior prevalência foi de indivíduos que apresentaram duas variações anatômicas (38%). Desvio de septo nasal ocorreu em 67% dos pacientes. Considerando-se a possibilidade de ocorrência bilateral em cada paciente, concha média bolhosa, células de Haller e aeração do processo uncinado apresentaram, respectivamente, as seguintes prevalências: 31,5%; 20%; e 9%. As afecções inflamatórias dos seios maxilares apresentaram as seguintes distribuições e taxas de prevalências considerando-se análises bilaterais: em 74 seios maxilares não foram visualizadas afecções inflamatórias (37%); espessamento da mucosa sinusal foi visualizado em 97 seios maxilares (48,5%); e cistos de retenção / pseudocistos estavam presentes em 29 seios maxilares (14,5%). O grau de espessamento da mucosa dos seios maxilares foi estabelecido através de medidas milimétricas e, considerando-se análises bilaterais sem incluir cistos de retenção/pseudocistos, as seguintes distribuições e taxas de prevalência foram encontradas: classe I (mucosa sem alterações) foi vista em 74 seios maxilares (43,27%); espessamento tipo classe II (até 2mm) foi visualizado em 30 seios maxilares (17,54%); classe III (entre 2mm e 4mm) em 13 seios maxilares (7,60%); classe IV (entre 4mm e 10mm) em 30 seios maxilares (17,54%); e classe V (maior que 10mm) em 24 seios maxilares (14,03%). Na análise bilateral das condições dentárias / ósseas na região posterior da maxila encontrou-se que em 162 situações (81%) todos os dentes apresentavamse hígidos, enquanto em 11 situações (5,5%) havia a presença de hipodensidades ósseas compatíveis com lesões apicais. Aplicando-se o teste estatístico exato de Fisher (p<0,05) avaliou-se a correlação entre as hipodensidades ósseas apicais e a presença de afecções inflamatórias dos seios maxilares e os resultados mostraram que os achados foram casuais, sem significância estatística. Aplicando-se o mesmo teste estatístico para avaliar a correlação entre as variações anatômicas objetos da presente pesquisa e as afecções inflamatórias dos seios maxilares, os resultados foram estatisticamente significativos. Conclusão. A TCFC permitiu identificar todas as variações anatômicas do complexo ostiomeatal objetos do estudo e os diferentes tipos de afecções inflamatórias dos seios maxilares, assim como determinar as suas taxas de prevalência. As variações anatômicas apresentaram prevalência de 85% e o desvio de septo nasal foi a mais comum (67%). As afecções inflamatórias dos seios maxilares apresentaram taxa de prevalência de 65% e espessamento da mucosa sinusal foi a mais comum (47,5%). Enquanto as variações anatômicas do complexo ostiomeatal foram correlacionadas com as afecções inflamatórias dos seios maxilares, o mesmo não ocorreu em relação às hipodensidades apicais.
Palavras-chave em inglês
Cone beam computed tomography
Maxillary sinuses
Ostiomeatal complex
Resumo em inglês
Introduction. The study of anatomy nasal-sinus and its variations is of great importance for the diagnosis and definition of behavior treatment in the areas of dentistry and otolaryngology, particularly in relation to the maxillary sinuses, anatomical regions directly related to the upper teeth. Objectives. Evaluate by beam computed tomography (CBCT) the prevalence of the following complex anatomical variations ostiomeatal: concha bullosa, Haller cells, nasal septum deviation and airings of the uncinate process, and also to assess the prevalence of inflammatory diseases of the sinuses jaws. The presence of anatomical variations above and apical changes of maxillary posterior teeth will be correlated with the presence of inflammatory diseases of the maxillary sinuses. Materials and Methods. We evaluated 100 CBCT examinations of dental patients chosen at random according to acquisition protocols covering the anatomical regions of interest to the study. All scans were acquired through the study of the tomograph i-Cat, Classic model and the images in DICOM format were viewed and analyzed using the software i-Cat Vision. Results. CT scans were evaluated for 100 patients, 43 males (mean age 23.7 years) and 57 females (mean age 25.8 years). All anatomical variations in the study were displayed in the images analyzed. Eightyfive subjects had one or more concomitant variation, while 15 subjects did not show any anatomical variation. The highest prevalence was individuals who had two anatomical variations (38%). Septal deviation occurred in 67% of patients. Considering the possibility of bilateral occurrence in each patient, concha bullosa, Haller cells and aeration of the uncinate process showed, respectively, the following rates: 31.5%, 20% and 9%. The inflammatory diseases of the maxillary sinuses showed the following distributions and prevalence rates considering bilateral analysis: in 74 maxillary sinuses were not visualized inflammatory disorders (37%), thickening of the Sinus mucosa was seen in 97 maxillary sinuses (48.5%) , retention cysts and / pseudocysts were present in the maxillary sinus 29 (14.5%). The degree of mucosal thickening of the maxillary sinuses was established through measures millimeter and considering bilateral analyzes excluding retention cysts / pseudocysts, the following distributions and prevalence rates were found: class I (unchanged mucosa) was seen in 74 maxillary sinuses (43.27%), thickened class II (up to 2mm) was seen in 30 maxillary sinuses (17.54%), Class III (2mm to 4mm) in 13 maxillary sinuses (7.60%); Class IV (between 4mm and 10mm) in 30 maxillary sinuses (17.54%) and Class V (greater than 10 mm) at 24 maxillary sinuses (14.03%). In the analysis of bilateral dental conditions / bone in the posterior maxilla was found that in 162 cases (81%) had all teeth are healthy, while in 11 cases (5.5%) had the presence of bone hipodensidades compatible apical lesions. Applying the Fisher exact test statistic (p <0.05) assessed the correlation between hipodensidades apical bone and the presence of inflammatory diseases of the maxillary sinuses and the results showed that the findings were casual, without statistical significance. Applying the same statistical test to evaluate the correlation between anatomical variations objects of this research and inflammatory diseases of the maxillary sinuses, the results were statistically significant. Conclusion. The CBCT identified all variations osteomeatal complex anatomical objects of study and the different types of inflammatory diseases of the maxillary sinuses, as well as determine their prevalence rates. Anatomical variations showed a prevalence of 85% and a deviated nasal septum was the most common (67%). The inflammatory diseases of the maxillary sinuses showed a prevalence rate of 65% and thickening of the sinus mucosa was the most common (47.5%). While the complex anatomical variations ostiomeatal were correlated with inflammatory diseases of the maxillary sinuses, this did not occur in relation to apical hipodensidades.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-09-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.