• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2016.tde-25112016-091419
Documento
Autor
Nome completo
Dayane Maria Braz Nogueira
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2016
Orientador
Banca examinadora
Buchaim, Rogério Leone (Presidente)
Andreo, Jesus Carlos
Roque, José Sidney
Silveira, Elcia Maria Varize
Título em português
Análise comparativa do osso bovino mineralizado Orthogen® e do Bio-oss® na neoformação óssea em ratos submetidos ao alcoolismo experimental: análise histológica e morfométrica
Palavras-chave em português
Etanol
Regeneração óssea
Transplante ósseo
Resumo em português
O alcoolismo é considerado uma doença crônica, trazendo prejuízos para saúde do indivíduo. O tecido ósseo também sofre sérios danos com o consumo crônico do álcool, pois induz defeitos na mineralização e redução da espessura do osso medular e cortical. Devido à grande procura por tratamentos reconstrutivos para lesões e perdas ósseas, os enxertos xenógenos vêm sendo uma boa opção para o tratamento regenerativo. Em vista da procura de pacientes que fazem consumo crônico do álcool e apresentam perdas ósseas, necessitando de enxertos xenógenos, este trabalho teve como objetivo comparar, por meio de análise histomorfológica e histomorfométrica, a ação de dois biomateriais, o Bio-Oss® e o OrthoGen®, no processo de reparo de defeitos ósseos em tíbia de ratos submetidos ou não ao alcoolismo experimental. Foram utilizados 80 ratos machos (Rattus norvegicus) da linhagem Wistar, com 60 dias de idade, separados aleatoriamente em quatro grupos experimentais contendo 20 animais cada: Grupo Água Bio-Oss® (GAB), Grupo Etanol Bio-Oss® (GEB), Grupo Água OrthoGen® (GAO) e Grupo Etanol OrthoGen® (GEO). Os animais dos grupos GEB e GEO foram submetidos à adaptação gradativa ao álcool e depois permaneceram a 25% por 90 dias. Após esse período, todos os animais foram submetidos à cirurgia experimental. Foi realizada uma cavidade cirúrgica de aproximadamente 3 mm de diâmetro na epífise proximal da tíbia e nos animais dos grupos experimentais GAB e GEB se fez o preenchimento com o biomaterial Bio-Oss®. Os animais dos grupos experimentais GAO e GEO receberam o preenchimento da cavidade com o biomaterial OrthoGen®. Decorridos os períodos de 10, 20, 40 e 60 dias pós-cirúrgico, cinco animais de cada grupo, por período, foram eutanasiados. Os resultados histomorfológicos demostraram que os animais dos grupos GAB e GEB apresentaram células sanguíneas e tecido conjuntivo nos períodos de 10 e 20 dias, e nos períodos de 40 e 60 dias ocorreu a formação de novo osso, sendo que o grupo GEB apresentou um maior retardo na formação quando comparado ao GAB. Nos grupos GAO e GEO o início da formação de tecido ósseo ocorreu nos períodos de 40 e 60 dias, com um retardo na formação quando comparado ao biomaterial Bio-Oss®. Na análise histomorfométrica, comparando os grupos que receberam a dieta líquida não alcóolica com biomaterias diferentes (GAB e GAO) ocorreu diferença significante em formação óssea em todos os períodos sendo que o grupo Água Bio-Oss® apresentou uma maior formação óssea. Nos grupos que receberam a dieta alcóolica, com biomateriais diferentes (GEB e GEO), ocorreu diferença em formação óssea nos períodos de 20, 40 e 60 dias, onde o biomaterial Bio-Oss® apresentou maiores médias. Comparando os grupos que receberam o mesmo biomaterial, mas com dieta líquida diferente (GABXGEB e GAOXGEO), evidenciou-se diferença significante em formação óssea em todos os períodos (exceto GAOXGEO; 10 dias), sendo que os grupos que receberam dieta líquida apenas com água apresentaram melhores resultados. Conclui-se que o biomaterial Bio-Oss® mostrou-se superior na neoformação óssea quando comparado ao Ortoghen®, e que a dieta alcoólica interferiu de forma negativa no processo de reparação.
Título em inglês
Comparative analysis of mineralized bovine bone Orthogen® and Bio-Oss® in bone formation in rats submitted to experimental alcoholism: histologic and morphometric analysis
Palavras-chave em inglês
Bone regeneration
Bone transplantation
Ethanol
Resumo em inglês
Alcoholism is considered a chronic disease, which brings harm to an individuals health. Bones also suffer serious damage resulting from the chronic consumption of alcohol, since it induces defects in the mineralization and reduction of the thickness of the cortical and the cancellous bone. Xenografts have been a good option for regenerative treatments in response to the high search for reconstructive treatments for bone losses and lesions. Given the demand of patients who make chronic use of alcohol and present bone loss, needing xenografts, the aim of this study was to compare, by means of a histomorphological and histomorphometric analysis, the action of the biomaterials Bio-Oss® and OrthoGen® in the repair process of bone defects in the tibia of rats submitted or not to experimental alcoholism. Eighty male Wistar rats (Rattus norvegicus) aged 60 days were randomly separated into four experimental groups with 20 animals each: Bio-Oss® Water Group (GAB), Bio-Oss® Ethanol Group (GEB), OrthoGen® Water Group (GAO) and OrthoGen® Ethanol Group (GEO). The animals in the GEB and GEO were submitted to gradual adaptation to alcohol and later kept at 25% for 90 days. After this period, all animals were submitted to experimental surgery. A surgical cavity with approximately 3 mm of diameter was made in the proximal tibial epiphysis and in animals from the experimental groups GAB and GEB it was filled with the Bio-Oss® biomaterial. Animals from the experimental groups GAO and GEO had their cavity filled with the OrthoGen® biomaterial. After 10, 20, 40 and 60 days post-surgery, five animals in each group, per period, were euthanized. The histomorphological results showed that the animals from the GAB and GEB groups presented blood cells and connective tissue in the 10 and 20 days periods, and in the periods of 40 and 60 days there was formation of new bone, with the GEB group presenting greater delay in formation when compared to the GAB. In the GAO and GEO groups, bone formation started in the periods of 40 and 60 days, with a delay in formation when compared to the Bio-Oss® biomaterial. In the histomorphometric analysis, comparing the groups that received nonalcoholic liquid diet with different biomaterials (GAB and GAO), there was a significant difference in bone formation in all periods, with the Bio-Oss® Water Group presenting greater bone formation. In the groups that received an alcoholic diet, with different biomaterials (GEB and GEO), there was a difference in bone formation in the periods of 20, 40 and 60 days, in which the Bio-Oss® biomaterial presented greater means. Comparing the groups that received the same biomaterial, but with a different liquid diet (GABXGEB and GAOXGEO), there was a significant difference in bone formation in all periods (except for GAOXGEO; 10 days), in which the groups that received a liquid diet with only water presented better results. In conclusion, the Bio-Oss® biomaterial presented better performance in bone neoformation when compared to the Ortoghen®, and the alcoholic diet affected negatively the repair process.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-12-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.