• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
10.11606/T.27.2017.tde-27092017-112443
Documento
Autor
Nombre completo
Thiago Afonso de André
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2017
Director
Tribunal
Rosa, Almir Antonio (Presidente)
Almeida, Jane Mary Pereira de
Luca, Luiz Gonzaga Assis de
Souza Filho, Guido Lemos de
Vicente, Eduardo
Título en portugués
Cinema digital: a recepção nas salas
Palabras clave en portugués
cinema digital
espectador
percepção
tecnologia
Resumen en portugués
Já está completamente consolidada nas cadeias de produção cinematográfica uma esperada "transição para o digital". Porém a exibição propriamente dita de filmes na forma digital nas salas de cinema só foi padronizada em 2005, e a mudança ganhou força somente na década de 2010. Essa digitalização da exibição cinematográfica foi incorporada de forma transparente para a maioria dos espectadores de cinema, apesar de suas intricadas especificações técnicas e arranjos econômicos de viabilização das trocas dos equipamentos. Ao mesmo tempo, as tecnologias digitais também proporcionam cada vez mais facilidade para que filmes possam ser assistidos fora das salas de cinema, colocando-as de fato em cheque quando olha-se para o futuro. Este trabalho discute o processo de digitalização da exibição e distribuição cinematográficas, traçando algumas perspectivas sobre por que, mesmo com a digitalização, permanecerão existindo as salas de cinema. É particularmente interessante que, em meio a essa desmaterialização do suporte da cópia, sobressaia exatamente a materialidade que sobrou, a do próprio espaço e disposição da exibição, o espectador na sala de cinema. Essa permanência é apoiada em dois eixos principais. Inicialmente, o fundamental papel econômico das salas nas receitas que movimentam todas as diferentes camadas da produção de filmes. O segundo eixo é do caráter bastante único da imersão presente na sala de cinema. Esta imersão especial, por sua vez, está fundamentada nas características físicas e técnicas dos equipamentos nas salas, que evoluíram para aproveitar diferentes aspectos da percepção humana em seu âmbito individual e coletivo. Combino características tecnológicas dos padrões adotados, elementos da economia do cinema, estudos da percepção e intenções do espectador e resultados recentes da psicologia experimental que corroboram o caráter bastante particular da experiência de assistir a um filme na sala de cinema e indicam sua continuidade.
Título en inglés
-
Palabras clave en inglés
digital cinema
perception
spectator
technology
Resumen en inglés
The long foretold "transition to digital cinema" is already running full steam as far as the acquisition and post-production chains are concerned. However, for digital film exhibition, there has only recently, in 2005, been an agreed upon standard, decided by the major distributors, and the actual upgrades only gained momentum in the early 2010s The digitization and change of materiality of cinema exhibition and distribution, although of great interest to professionals, academics and critics, has been incorporated in a more or less transparent way for the majority of moviegoers, despite their intricate technical specifications and economic arrangements between the various economic parties that enabled equipment to be purchased. It is particularly interesting that, in the midst of this dematerialization of the film's physical form, what stands out is precisely the remaining tangibles, the very space and disposition for the exhibition, and the spectator in the theater. This work examines the digitalization of cinema exhibition and distribution technologies, tracing some future perspectives on what remains in a digital cinema. I combine technical specifications of the standards imposed by distributors, some elements of the economy of cinema, without which any speculation becomes exclusively theoretical; and some data from audience and spectator studies focusing on their perception, wishes and intentions, the puzzlingly often-forgotten part of the film studies, for there is no cinema without a spectator. In order to do so I present some recent results of experimental psychology that endorse the rather unique aspects of watching a movie in the movie theater, and its importance beyond the historical.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2017-09-27
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.