• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.39.2016.tde-02092016-071635
Documento
Autor
Nome completo
Fábio Rodrigo Ferreira Gomes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Tani, Go (Presidente)
Correa, Umberto Cesar
Franchini, Emerson
Perotti Junior, Alaercio
Rodrigues, Sérgio Tosi
Título em português
Estrutura de prática na aprendizagem do golpe de Judô o soto gari: foco no kuzuzhi
Palavras-chave em português
Aprendizagem Motora
Golpe o soto gar
Judô
Organização da prática
Resumo em português
A luta de Judô tem uma característica dual, em que os lutadores tentam derrubar um ao outro mutuamente, de forma que o ambiente se encontra em constante mudança. Os golpes de projeção do Judô são constituídos de três partes, o kuzushi (desequilíbrio), o tsukuri (preparação) e o kake (finalização), que devem ser executados em sequência. A execução de cada parte influencia a execução da parte subsequente, de maneira que para o sucesso do golpe, colocar o oponente em desequilíbrio (kuzushi) é primordial, visto que é condição para a execução bem-sucedida das partes seguintes. Durante a luta, para desequilibrar o oponente, é comum ocorrer deslocamentos mútuos de empurrar e puxar, que podem ser denominados de deslocamentos pré-kuzushi. Considerando que o kuzushi é fundamental para o sucesso do golpe, e que os deslocamentos pré-kuzushi favorecem a ocorrência efetiva do kuzushi, o objetivo deste estudo foi investigar o efeito da organização de prática na aprendizagem dos deslocamentos pré-kuzushi. Inicialmente foram realizados dois experimentos utilizando o golpe o soto gari: o primeiro experimento com iniciantes e o segundo com participantes não iniciantes (experiência entre três e seis meses de prática). Em cada experimento foram formados três grupos experimentais: o grupo de prática constante (Co), que praticou o golpe o soto gari com somente uma possibilidade de deslocamento pré-kuzushi; o grupo de prática variada por blocos (Bl), que praticou três possibilidades de deslocamentos pré-kuzushi variando-as a cada dez tentativas; e o grupo de prática variada aleatória (Al), que praticou três possibilidades de deslocamentos pré-kuzushi de forma aleatória. O delineamento experimental constou de três fases: pré-teste (3 tentativas), aquisição (250 tentativas) e teste de retenção (3 tentativas, uma semana após o último dia de aquisição). Mediante o uso de vídeo foram analisados os padrões de movimento com relação à configuração total do golpe, aos deslocamentos pré-kuzushi e ao kuzushi no tocante a ação motora e o efeito. No Experimento 1 (iniciantes) o Co apresentou superioridade aos grupos com variabilidade (Bl e Al) nos deslocamentos pré-kuzushi que foi o objeto manipulado na organização da prática, e foi o único grupo a apresentar evolução no efeito do kuzushi. No Experimento 2 (não iniciantes) os grupos com maior variabilidade (Al e Bl) apresentaram superioridade em relação ao grupo Co nos deslocamentos pré-kuzushi; já na ação motora do kuzushi o grupo Al foi superior ao grupo Co e somente os grupos com variabilidade apresentaram melhora no efeito do kuzushi. A partir dos resultados dos Experimentos 1 e 2 foi realizado um terceiro experimento, em que foi adicionado um novo grupo experimental aos três grupos do Experimento 1, Co-Al (grupo constante-aleatória), que praticou 50% iniciais da aquisição de forma constante e os 50% restantes de forma variada aleatória. Os resultados apresentaram superioridade do grupo Co-Al em relação a todos os outros grupos (Co, Bl e Al) no teste de retenção para configuração total do golpe. Concluiu-se que a prática constante ou experiência anterior antes da prática variada é importante na aprendizagem dos deslocamentos pré-kuzushi que influencia a configuração total do golpe. Provavelmente se beneficiando do que foi adquirido no aprendizado do deslocamento pré-kuzushi, os grupos Co e Co-Al nos iniciantes e o grupo Al nos não iniciantes apresentaram melhora no item efeito do kuzushi, posicionando o oponente desequilibrado
Título em inglês
Structure of practice in learning judo throwing technique o soto gari: focus on kuzushi
Palavras-chave em inglês
Judo
Motor learning
O soto gari technique
Practice organization
Resumo em inglês
The judo contest has a dual feature, when the fighters try to throw each other, so that the environment is constantly changing. The Judo throwing techniques are consisted of three parts, the kuzushi (unbalance), the tsukuri (preparation) and kake (finishing), which must be performed in that sequence. The execution of each part influences the execution of the subsequent part. Thus, to let the opponent unbalanced (kuzushi) is essential for the successful implementation of the next parts. During the fight, to unbalance the opponent, it is common mutual displacements of push and pull movements, which can be called pre-kuzushi displacements. Considering that the kuzushi is crucial to the success of the throwing technique, and that pre-kuzushi displacements facilitate the effective occurrence of kuzushi, the aim of this study was to investigate the effect of the practice organization in learning pre-kuzushi displacements. Initially two experiments were carried out using the o soto gari technique: the first experiment with beginners and the second with participants not beginners (experience between three and six months of practice). Each experiment was composed by three groups: the constant practice group (Co), which performed the o soto gari technique with only one pre-kuzushi displacement; the blocked varied practice group (Bl), which practiced three possible pre-kuzushi displacements varying every ten trials; and random varied practice group (Al), which practiced three possible pre-kuzushi displacements at random. The experimental design consisted of three phases: Pre-test (3 tries), Acquisition (250 attempts) and Retention Test (3 tries, a week after the last day of Acquisition). The movement patterns were analyzed using recorded videos, considering the total configuration of the throwing technique, the pre-kuzushi displacements and the kuzushi concerning motor action and effect. In the Experiment 1 (beginners) Co showed superior results to the groups with practice variability (Bl and Al) in the pre-kuzushi displacements that was the aspect manipulated in the practice organization, and it was the only group to present progress in the effect of kuzushi. In the Experiment 2 (not beginners) the groups with practice variability (Al and Bl) were superior to Co in pre-kuzushi displacement; Al was superior to Co in relation to the motor action of kuzushi and only the variability of practice groups (AI and BI) showed improvement in the effect of kuzushi. Based on the results of Experiments 1 and 2 it was conducted a third experiment, adding a new experimental group to the three groups of Experiment 1 - Co-Al (constant-random group) that practiced 50% initial acquisition trials constantly and the remaining 50% randomly. The results showed superiority of Co-Al compared to all other groups (Co, Al and Bl) in the retention test for total configuration of the throwing technique. It was concluded that the constant practice or previous experience before the variable practice is important in learning pre-kuzushi displacements that influences the total configuration of the throwing technique. Probably by benefiting from what was acquired in learning pre-kuzushi displacement, Co and Co-Al in beginners and Al in the non-beginners showed improvement relative to the effect of kuzushi, positioning the opponent unbalanced
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-09-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.